Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Linguagem e Design: sobre a impossibilidade da neutralidade da informação

Language and Design: about the impossibility of neutrality of information

Carvalho, Ricardo Artur Pereira; Emanuel, Bárbara;

Artigo Completo:

O artigo discorre sobre a impossibilidade de neutralidade da informação a partir de autores que abordam a retórica e a filosofia da linguagem. Apesar de existirem estudos em outras áreas que contradizem essa concepção, ainda vigoram no campo do Design discursos com forte herança funcionalista, que advogam por um design neutro. Apresenta-se um estudo transdisciplinar que se apropria dos estudos da linguagem e observa o caráter discursivo que a constitui para se apontar a impossibilidade da neutralidade. Ao se tratar a linguagem pelo viés do discurso e da retórica, argumenta-se que a eleição dos termos que compõem um enunciado reflete as visões de mundo de quem os enuncia, portanto mesmo um discurso que se diz neutro assume uma postura ideológica. Autores como Bakhtin e Burke fundamentam este pensamento em relação a linguagem verbal e fomentam a discussão também acerca dos elementos não verbais. Com a discussão, pretende-se expor as bases teóricas e evidenciar que o Design da Informação, ao ser tratado como discurso, não pode ser neutro pois manifesta, reforça ou refuta aspectos ideológicos presentes em nossa sociedade.

Artigo Completo:

This work discusses the impossibility of neutrality of information, from authors who examine rhetoric and philosophy of language. Despite studies in other fields that contradict this notion, discourses with strong functionalist background still stand in the field of design, advocating neutrality. Here, we present a transdisciplinary study that borrows from studies of language, observing the discursive character that constitutes it in order to point the impossibility of neutrality. By discussing language from the angle of discourse and rhetoric, we argue that the selection of terms that compose an enunciation reflects the standpoints of those who enunciate it. Therefore, even a discourse that claims to be neutral adopts an ideological attitude. Authors such as Bakhtin and Burke found this reasoning in relation to verbal language and promote a discussion about nonverbal elements as well. From this discussion, we intend to expose theoretical bases and substantiate the argument that Information Design, when regarded as discourse, cannot be neutral, for it manifests, sustains or refutes ideological aspects present in our society

Palavras-chave: design da informação, linguagem, retórica, teoria, comunicação, information design, language, rhetoric, theory, communication,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-CIDI2015-cidi_20

Referências bibliográficas
  • [1] BAKHTIN, M. (Volochinov). 2006. Marxismo e filosofia da linguagem.Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec.
  • [2] BAKHTIN, M. 2003. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.
  • [3] BARBOSA, E. Q. 201 A comunicação do selo de certificação de orgânicos aplicado do design da embalagem. Anais do 6º Congresso Internacional de Design da Informação, v. 1, n. 2.
  • [4] BONSIEPE, G. 1965. Retórica visual/verbal. In: Bierut, M.; Helfand, J.; Heller, S. Andamp; Poynor, R. (Eds.). 2010. Textos clássicos do design gráfico: 177-183. São Paulo: Martins Fontes.
  • [5] BOTELHO, V.; SOUTO, V. T. 2013. Análise do design de aplicativos para dispositivos móveis com foco em crianças e adolescentes. Anais do 6º Congresso Internacional de Design da Informação, v. 1, n. 2.
  • [6] BURKE, K. 1969 [1950]. A Rhetoric of Motives. Los Angeles: University of California Press.
  • [7] COSTA, F. B.; PACHECO, H. S. 2013. O design, o teclado de computador e o idoso. Anais do 6º Congresso Internacional de Design da Informação, v. 1, n. 2.
  • [8] DROSTE, M. 2006. Bauhaus. Colônia: Taschen, 2006.
  • [9] DUBOIS, P. 2008. O ato fotográfico e outros ensaios (L’acte photographique et autres essais). Trad. Marina Appenzeller. Campinas: Papirus.
  • [10] KINROSS, R. 1985. The Rhetoric of Neutrality. In: Margolin, V. (Ed.). 1989. Design discourse: history, theory, criticism: 131-143. Chicago: The University of Chicago Press.
  • [11] LUPTON, E. 1986. Reading Isotype. In: Margolin, V. (Ed.). 1989. Design discourse: history, theory, criticism: 145-156. Chicago: The University of Chicago Press.
  • [12] MARCUSCHI, L. A. 2003. Generos textuais: definição e funcionalidade. In Dionisio, A., Machado, A. e Bezerra, M. (orgs). Gêneros Textuais Andamp; Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna.
  • [13] MAZZAROTTO, M. 20 Identificação e análise do uso da família tipográfica Gotham por instituições de poder no Brasil. Anais do 6º Congresso Internacional de Design da Informação, v. 1, n. 2.
  • [14] MCCOY, K. 1993. Countering the tradition of the apolitical designer. In: Bierut, M.; Drenttel, W.; Heller, S. Andamp; Holland, D. K (Eds.). Looking Closer 2: Critical Writings on Graphic Design. New York: Allworth Press.
  • [15] MCMURTRIE, D. C. 1929. A filosofia modernista na tipografia. In: Bierut, M.; Helfand, J.; Heller, S. Andamp; Poynor, R. (Eds.). 2010. Textos clássicos do design gráfico: 41-43. São Paulo: Martins Fontes.
  • [16] MEDEIROS, D. P.; SOUZA, R. P. L. 2013. Design e expressão nos cartazes contemporâneos: uma abordagem semiótica. Anais do 6º Congresso Internacional de Design da Informação, v. 1, n. 2.
  • [17] MOLES, A. 1986. The Legibility of the World: A Project of Graphic Design. In: Margolin, V. (Ed.). 1989. Design Discourse: history, theory, criticism: 91-109. Chicago: The University of Chicago.
  • [18] NEURATH, O. 1931. Visual Education and the Social and Economic Museum in Vienna. In: Neurath, O. 1973. Empiricism and Sociology: 215-2 Dordrecht: D. Reidel.
  • [19] NEURATH, O. 1945. Visual Education: Humanisation versus Popularisation. In: Neurath, O. 1973. Empiricism and Sociology: 227-248. Dordrecht: D. Reidel.
  • [20] RIBEIRO, B. e GARCEZ, P. 2002. Sociolinguística Interacional. São Paulo: Loyola.
  • [21] ROCK, M. 1992. Since when did USA Today become the national design ideal? In: Bierut, M.; Drenttel, W.; Heller, S. Andamp; Holland, D. K. (Eds.). 1994. Looking Closer: Critical writings on graphic design: 146-149. New York: Allworth Press.
  • [22] RUDER, E. 1959. A tipografia da ordem. In: Bierut, M.; Helfand, J.; Heller, S. Andamp; Poynor, R. (Eds.). 2010. Textos clássicos do design gráfico: 142-145. São Paulo: Martins Fontes.
  • [23] TSCHICHOLD, J. 1930. Vida nova na tipologia. In: Bierut, M.; Helfand, J.; Heller, S. Andamp; Poynor, R. (Eds.). 2010. Textos clássicos do design gráfico: 46-50. São Paulo: Martins Fontes.
  • [24] TUFTE, E. 1990. Envisioning Information. Cheshire: Graphics Press.
  • [25] TUFTE, E. R. 1997. Visual Explanations: Images and Quantities, Evidence and Narrative. Cheshire: Graphics Press.
  • [26] TUFTE, E. R. 2001. The Visual Display of Quantitative Information. Cheshire: Graphics Press.
  • [27] WARDE, B. 1932. A taça de cristal ou a impressão deve ser invisível. In: Bierut, M.; Helfand, J.; Heller, S. Andamp; Poynor, R. (Eds.). 2010. Textos clássicos do design gráfico: 58-61. São Paulo: Martins Fontes.
  • [28] WEINGART, W. 1972. Como alguém pode fazer tipografia suíça? In: Bierut, M.; Helfand, J.; Heller, S. Andamp; Poynor, R. (Eds.). 2010. Textos clássicos do design gráfico: 236-257. São Paulo: Martins Fontes.
Como citar:

Carvalho, Ricardo Artur Pereira; Emanuel, Bárbara; "Linguagem e Design: sobre a impossibilidade da neutralidade da informação", p. 855-868 . In: . In: C. G. Spinillo; L. M. Fadel; V. T. Souto; T. B. P. Silva & R. J. Camara (Eds). Anais do 7º Congresso Internacional de Design da Informação/Proceedings of the 7th Information Design International Conference | CIDI 2015 [Blucher Design Proceedings, num.2, vol.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-6968, ISBN: 978-85-8039-122-0
DOI 10.5151/designpro-CIDI2015-cidi_20

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações