Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Lesões Pulmonares Associadas ao Uso do Cigarro Eletrônico

Lesões Pulmonares Associadas ao Uso do Cigarro Eletrônico

D’Almeida, PCV; Silveira, MB; Poiano, R; Américo, B; Padula, AL; Santos-Junior, NG;

Artigo completo:

EVALI - E-cigarette or Vaping Associated Lung Injuries/Illnessess (lesões pulmonares/doenças pulmonares associadas ao cigarro eletrônico ou ao “vaping”). Difundido pela indústria do tabaco como menos prejudicial à saúde, o cigarro eletrônico ganhou espaço entre jovens. Mas seu uso vem causando síndrome emergente, com manifestações clínicas importantes e até mesmo óbito. O diagnóstico é de exclusão. O tratamento é feito com cessação do uso do cigarro eletrônico e terapia empírica com corticóides, antimicrobianos e antivirais. OBJETIVO: Descrever as principais manifestações clínicas, radiológicas e anátomo patológicas em pacientes com EVALI. METODOLOGIA: Revisão narrativa sistematizada, em base de dados: Bireme, Cochrane Library, Pubmed e Scielo. Descritor utilizado: "Electronic Nicotine Delivery Systems" AND "Lung Injury". Selecionados publicações dos últimos dez anos (línguas inglesa, espanhola e portuguesa), sem restrição do tipo de estudo. 402 artigos incialmente; excluídos os repetidos em diferentes bases de dados e os que não se relacionavam ao tema ou se relacionavam com outras doenças. Por fim, 101 estudos foram utilizados. RESULTADOS: 2.668 relatos de pessoas com EVALI (até 14 janeiro 2020), média de idade 24 anos (13 a 85 anos); 66 % sexo masculino; Tempo médio de uso do cigarro eletrônico de 12,8 meses (variando de 1 dia a 5 anos de uso). Manifestações clínicas: dispneia (66,5%), tosse (64%), febre (60%), fadiga (40%) e dor torácica (35,5%). Sintomas gastrointestinais foram frequentes: vômitos (48%), náuseas (45%), diarréia (25%) e dor abdominal (19%). Cerca 25% dos pacientes apresentaram taquipneia e hipoxemia e 3,6% hemoptise. Manifestações radiológicas: infiltrado intersticial (vidro fosco) em mais de 90% dos casos e raramente consolidações, opacidades alveolares, lesões cavitárias e bronquiectasias. Análise anatomopatológica realizada em 164 desses indivíduos, (material via broncoscopia) e achados mais frequentes: dano alveolar difuso, hemorragia alveolar; pneumonia lipoide, proteinose alveolar e BOOP em alguns casos. E 68 casos evoluíram a óbito. CONCLUSÃO: O uso do cigarro eletrônico é uma nova forma de tabagismo 
emergente, principalmente em indivíduos jovens, não isento de malefícios à saúde. O EVALI é uma síndrome de lesão pulmonar aguda, com manifestações importantes, inclusive risco de morte.

Artigo completo:

EVALI - E-cigarette or Vaping Associated Lung Injuries/Illnessess (lesões pulmonares/doenças pulmonares associadas ao cigarro eletrônico ou ao “vaping”). Difundido pela indústria do tabaco como menos prejudicial à saúde, o cigarro eletrônico ganhou espaço entre jovens. Mas seu uso vem causando síndrome emergente, com manifestações clínicas importantes e até mesmo óbito. O diagnóstico é de exclusão. O tratamento é feito com cessação do uso do cigarro eletrônico e terapia empírica com corticóides, antimicrobianos e antivirais. OBJETIVO: Descrever as principais manifestações clínicas, radiológicas e anátomo patológicas em pacientes com EVALI. METODOLOGIA: Revisão narrativa sistematizada, em base de dados: Bireme, Cochrane Library, Pubmed e Scielo. Descritor utilizado: "Electronic Nicotine Delivery Systems" AND "Lung Injury". Selecionados publicações dos últimos dez anos (línguas inglesa, espanhola e portuguesa), sem restrição do tipo de estudo. 402 artigos incialmente; excluídos os repetidos em diferentes bases de dados e os que não se relacionavam ao tema ou se relacionavam com outras doenças. Por fim, 101 estudos foram utilizados. RESULTADOS: 2.668 relatos de pessoas com EVALI (até 14 janeiro 2020), média de idade 24 anos (13 a 85 anos); 66 % sexo masculino; Tempo médio de uso do cigarro eletrônico de 12,8 meses (variando de 1 dia a 5 anos de uso). Manifestações clínicas: dispneia (66,5%), tosse (64%), febre (60%), fadiga (40%) e dor torácica (35,5%). Sintomas gastrointestinais foram frequentes: vômitos (48%), náuseas (45%), diarréia (25%) e dor abdominal (19%). Cerca 25% dos pacientes apresentaram taquipneia e hipoxemia e 3,6% hemoptise. Manifestações radiológicas: infiltrado intersticial (vidro fosco) em mais de 90% dos casos e raramente consolidações, opacidades alveolares, lesões cavitárias e bronquiectasias. Análise anatomopatológica realizada em 164 desses indivíduos, (material via broncoscopia) e achados mais frequentes: dano alveolar difuso, hemorragia alveolar; pneumonia lipoide, proteinose alveolar e BOOP em alguns casos. E 68 casos evoluíram a óbito. CONCLUSÃO: O uso do cigarro eletrônico é uma nova forma de tabagismo emergente, principalmente em indivíduos jovens, não isento de malefícios à saúde. O EVALI é uma síndrome de lesão pulmonar aguda, com manifestações importantes, inclusive risco de morte.

Palavras-chave: "Electronic Nicotine Delivery Systems" AND "Lung Injury",

Palavras-chave: "Electronic Nicotine Delivery Systems" AND "Lung Injury",

DOI: 10.5151/comusc2020-07

Referências bibliográficas
Como citar:

D’Almeida, PCV; Silveira, MB; Poiano, R; Américo, B; Padula, AL; Santos-Junior, NG; "Lesões Pulmonares Associadas ao Uso do Cigarro Eletrônico", p. 92-120 . In: Anais do VIII Congresso Médico Universitário São Camilo. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/comusc2020-07

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações