Resumo expandido - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Intervenção ergonômica no trabalho em olarias artesanais: o caso do município de Rosário (MA).

Intervenção ergonômica no trabalho em olarias artesanais: o caso do município de Rosário (MA).

Franco, Ana Tássia Silva ; Diniz, Raimundo Lopes;

Resumo expandido:

"A região de Rosário é considerada um dos principais polos cerâmicos maranhenses caracteriza-se por ser uma localidade onde há abundância, tanto da matéria-prima (argila), quanto de produção de artefatos tornando-se um forte setor produtivo na região (CARACAS et al., 2012). As olarias são os locais onde são fabricadas as peças de cerâmica que mesmo diante dos avanços tecnológicos e das mudanças nos hábitos da sociedade resistem utilizando técnicas rudimentares de fabricação, estando atualmente limitados a produção de filtros, vasos, objetos decorativos entre outros itens, para o mercado local e regional. Para Bentes et. al (2012) esse tipo de atividade possui escassez de equipamentos e gestão sendo, portanto, ambientes de poucos recursos e que podem desencadear sérios problemas à saúde e a segurança desse trabalhador. A ergonomia aplicada ao local de trabalho tem como função permitir que os artesãos tenham ambientes mais seguros e confortáveis, evitando possíveis afastamentos e promovendo melhor desempenho das atividades produtivas (FIGUEIREDO, 2015). De caráter interdisciplinar, a ergonomia agrega-se a várias disciplinas que sustentam a sua base científica e tecnológica. Carriel e Paschoarelli (2009) acrescentam ainda que o design é uma dessas disciplinas que trazem de forma correlata um elo para que os objetivos da ergonomia sejam amplamente alcançados e estabelecidos. Sendo assim, a ergonomia lida com um largo escopo de problemas relevantes ao design e avaliação de sistemas de trabalho, produtos de consumo e ambientes de trabalho nos quais as interações humano-máquina afetam o desempenho humano e a usabilidade dos produtos. Diante do contexto observado surgiu o questionamento sobre como uma intervenção ergonômica poderia auxiliar à identificação de fatores de risco no trabalho de artesãos ceramistas. Desta forma, o objetivo da pesquisa é compreender o trabalho das olarias de Rosário (MA) através de uma intervenção ergonômica, a fim de detectar possíveis problemas ergonômicos relacionados a essas atividades criativas. Pretende-se descrever as condições de trabalho no âmbito geral até a geração de uma hierarquia quanto aos constrangimentos ergonômicos encontrados e finalmente, o aprofundamento relacionado aos fatores musculoesqueléticos ligados às posturas ocupacionais. Assim pode-se categorizar conforme Santos (2018) a pesquisa como descritiva e explicativa sob abordagem quali-quantitativa, sendo, portanto, um estudo de caso pois possui ênfase fenomenológica e holística do fenômeno (Trabalho das olarias). Será utilizado o método de Intervenção ergonomizadora de Morais e Mont’Alvão (2003), até a fase da diagnose ergonômica. Serão utilizadas técnicas de cunho descritivo, como a aplicação de entrevistas estruturadas, questionário fechado para a problematização quanto ao sistema-alvo estudado (“artesãos ceramistas”) e a técnica GUT (Gravidade, Urgência e Tendência) para hierarquizar os constrangimentos encontrados. Em seguida serão usadas técnicas de avaliação da postura ocupacional como diagrama de CORLETT (1976) e REBA (2000), para a diagnose ergonômica, partindo-se da hipótese de que “há a presença de desconforto/dor entre os artesãos ceramistas”. Com a pesquisa espera-se contribuir com propostas de intervenção que visem a prevenção ou diminuição de riscos à saúde de artesãos ceramistas que trabalham especificamente em olarias, propiciando também meios para discussões mais abrangentes no que se refere às melhorias da qualidade de vida dos envolvidos neste processo. "

Resumo expandido:

__

Palavras-chave: Intervenção ergonômica; olarias; trabalho; constrangimentos ergonômicos,

Palavras-chave: __,

DOI: 10.5151/jopdesign2021-56

Referências bibliográficas
  • [1] "BENTES, F. M.; FERREIRA, S. S.; LAMERA, D. L.; MANTOVANI, O. C.; POSSEBON, J. Cerâmica vermelha: Processo produtivo e áreas de vivência requerem melhorias. Revista Proteção Ed. 244, abril 2012. Disponível em: http://www.protecao.com.br/edicoes/4/2012/A5ja. Acesso em: 14 de setembro de 202
  • [2] CARACAS, L. B.; SANTOS, D; GUARÁ, T; JÚNIOR J. M. G.; ELÍ J. S. Design e produção artesanal em cerâmica: um estudo de caso em Rosário-MA. 10° P&D Design, São Luís- MA, 201
  • [3] CARRIEL, Ivan Ricardo Rodrigues; PASCHOARELLI, Luís Carlos. Design e ergonomia: aspectos tecnológicos / Luís Carlos Paschoarelli, Marizilda dos Santos Menezes (org.). - São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.Disponível em: https://static.scielo.org/scielobooks/yjxnr/pdf/paschoarelli-978857983001pdf. Acesso em: 25 de agosto de 2021.
  • [4] CORLETT, E. N.; BISHOP, R.P. A technique for assessing postural discomfort. Ergonomics, n. 29, 1976. p. 281-283.
  • [5] FIGUEIREDO, Monica Parisi. Análise Ergonômica do Trabalho – Fábrica de cerâmica. Curitiba 201 Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/43328/R%20-%20E%20-%20MONICA%20PARISI%20FIGUEIREDO.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 24 de agosto de 2021.
  • [6] HIGNETT, S.; MCATAMNEY, L. Rapid Entire Body Assessment (REBA). Applied ergonomics, n. 31, 2000. p. 201-105.
  • [7] MORAES, Ana, MONT’ALVÃO, Cláudia. Ergonomia: conceitos e aplicações. Rio de Janeiro: IUsEr, 2003.
  • [8] SANTOS, Aguinaldo dos. Seleção do método de pesquisa: guia para pós-graduando em design e áreas afins. Curitiba, PR: Insight, 201
  • [9] "
Como citar:

Franco, Ana Tássia Silva ; Diniz, Raimundo Lopes; "Intervenção ergonômica no trabalho em olarias artesanais: o caso do município de Rosário (MA).", p. 469-471 . In: Anais da II Jornada de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Design - UFMA. São Paulo: Blucher, 2021.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/jopdesign2021-56

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações