Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Inovação em design de serviços públicos

Innovations in public service design

Dias, Maria Regina Álvares Correia; Pinto, Gabriella Nair Figueiredo Noronha;

Artigo Completo:

Este artigo tem por objetivo abordar o design de serviços aplicado ao setor público, haja vista sua ainda tímida disseminação no discurso acadêmico e institucional brasileiro, por meio da revisão bibliográfica sobre o tema. Inicialmente são apresentados os conceitos de serviços, design de serviços e serviço público. Mostra-se que, a despeito de sua importância na economia mundial atualmente, o setor de serviços ainda é marcado por equívocos quanto a suas características essenciais e consequente análise, considerando-se a variada gama de atividades enquadradas como tal. Também, ainda que não sejam classificados como parte da “indústria de serviços”, os serviços públicos apresentam inquestionável importância na vida dos cidadãos. Sob outra perspectiva, tendo-se por referência instituições e estudos realizados na área, o design de serviços tem sido apresentado como uma abordagem capaz de melhorar os serviços públicos, a partir do emprego de técnicas que priorizam a cocriação e a perspectiva dos usuários. Essas melhorias seriam percebidas não apenas percebidas pelos cidadãos, mas também em termos de redução de custos e prazos para implementação. A seguir, são traçadas algumas considerações sobre as formas e benefícios do emprego dos métodos e técnicas do design de serviços no desenho de políticas públicas, essencialmente no enfrentamento dos chamados wicked problems . Ainda, são oferecidos alguns exemplos de aplicação do design de serviços em projetos de diversos países e os resultados alcançados. Por fim, realiza-se uma discussão sobre alguns dos desafios e limitações dessa abordagem no contexto do serviço público, essencialmente no que tange ao desconhecimento e resistência por parte da burocracia, aliados à ainda tímida existência de agências de fomento.

Artigo Completo:

This article aims to address the service design applied to the public sector, given its still timid dissemination in the Brazilian academic and institutional discourse, through a literature review on the subject. Initially the concepts of services, service design and public service are presented. It is shown that, despite its importance in the world economy nowadays, the service sector is still marked by misunderstandings about its essential characteristics and consequent analysis, considering the varied range of activities framed as such. Also, even though they are not classified as part of the "servisse industry", public services are unquestionably important in citizens' lives. From another perspective, with reference to institutions and studies carried out in the area, service design has been presented as a possible approach to improve public services, using techniques that prioritize co-creation and the perspective of users. These improvements would be perceived not only by citizens, but also in terms of cost reduction and implementation deadlines. The following are some considerations about the forms and benefits of using the methods and techniques of service design in the design of public policies, essentially in the face of the so-called "wicked problems". Also, some examples of application of service design in projects from different countries are offered, as well as the results achieved. Finally, there is a discussion about some of the challenges and limitations of this approach in the context of the public service, mainly regarding the lack of knowledge and resistance on the part of the bureaucracy, together with the still timid existence of development agencies.

Palavras-chave: design de serviços; serviço público; inovação; gestão,

Palavras-chave: service design; public service; innovation; administration,

DOI: 10.5151/cid2017-40

Referências bibliográficas
  • [1] AUSTRALIAN GOVERNMENT. Australian Public Service Commission. Tackling wicked problems: A public policy perspective. Commonwealth of Australia, 2007.
  • [2] BONSIEPE, G. El diseño de la periferia. Barcelona: Gustavo Gili, 1985.
  • [3] BRITISH COLUMBIANS & OUR GOVERNMENTS. Childcare subsidy program. Disponível em: . Acesso em: 8 jun. 2017.
  • [4] BUCHANAN, R. Wicked Problems in Design Thinking. Design Issues, v. 8, n. 2, p. 5-21, spring, 1992.
  • [5] CARVALHO FILHO, J. dos S. Manual de direito administrativo. 28 ed. São Paulo: Atlas, 201
  • [6] DE OLIVEIRA, S. S. Design de Serviços: proposição de frameworks para investigação do nível de competência dos designers. 201 223 f. Dissertação (Mestrado em Design) - Escola de Design, Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, 201
  • [7] DESERTI, A.; RIZZO, F. Design and organisational change in the public sector. 19th DMI: Academic Design Management Conference. Design Management in an Era of Disruption. Londres, 2014.
  • [8] DESIGN COUNCIL. Reducing violence and aggression in A&E. Londres: Design Council, 2011.
  • [9] ____________. Design for public good. Londres: Design Council, 2013. 95 p. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2017.
  • [10] DESIGN FOR EUROPE. Designing for public services: a practical guide. 2016. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2017.
  • [11] DESIGN VLAANDEREN. Public service design. Agentschap innoveren en ondernemen, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2017.
  • [12] FREIRE, K. DE M. Design de serviços, comunicação e inovação social: Um estudo sobre serviços de atenção primária à saúde. Tese (Doutorado em Design). PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2011.
  • [13] GREGÓRIO, A; NEVES, A. Ferramentas sociais e design de serviços públicos. Anais do VII Congresso CONSAD de Gestão Pública, Brasília, 2014.
  • [14] HEAD, B.; ALFORD, J. Wicked problems: the implications for public management. Panel on public management in practice, International Research Society for Public Management - 12th Annual Conference. Brisbane, 2008.
  • [15] HINNIG, R.; FIALHO, F. A. P. Design de Serviço no setor público: estudo de caso do projeto Make It Work na cidade de Sunderland (Inglaterra). Estudos em Design (online). Rio de Janeiro, 2013.
  • [16] ICSID - International Council of Societies of Industrial Design. Definition of industrial design. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2017.
  • [17] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE 2015. Sala de imprensa. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 20
  • [18] JUNGINGER, S.; SANGIORGI, D. Public Policy and Public Management: Contextualizing Service Design in the Public Sector. In: COOPER R., JUNGINGER, S.; LOCKWOOD, T. (Org.) Handbook of Design Management. Londres: Berg Press, 2011. p. 481-494.
  • [19] MEIRELLES, D. S. O conceito de serviço. Revista de economia política, v. 26, n. 1, p. 119-136, jan./mar. 2006.
  • [20] MELLES, G.; HOLMLID, S.; ARVOLA, M. Service design thinking contributions to urban renewal: case study from Sweden. In: Future Housing: Global Cities and Regional Problems. AMPS, Architecture_MPS; Swinburne University. Jun. 2016.
  • [21] MANZINI, E. Design, ethics and sustainability: Guidelines for a transition phase. In: Cumulus Working Papers Nantes: Publication Series G. University of Art and Design. Helsinki, 2006.
  • [22] ____________. Design para a inovação social e sustentabilidade: Comunidades criativas, organizações colaborativas e novas redes projetuais. Rio de Janeiro, RJ: E-papers, 2008.
  • [23] MENACHEMSON, D. Viable: Balancing Community Experience and Government Strategy. Revista Touchpoint, Köln, v. 5, n. 3, p. 36-40, set. 2013.
  • [24] MORELLI, N. Beyond the experience. In search of an operative paradigm for the industrialisation of services. In: Conference Proceedings ServDes. 2009; DeThinking Service; ReThinking Design. Oslo Norway: 24-26 November, 2009.
  • [25] MORITZ, S. Service Design: practical access to an evolving field. Köln International. School of Design, University of Applied Sciences Cologne, 2005.
  • [26] PAPANEK, V. Design for the real world. New York. Pantheon, 1971.
  • [27] PARKER, S.; HEAPY, J. The journey to the interface: How public service design can connect users to reform. London: Demos, 2006. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2017.
  • [28] SANGIORGI, D. Building up a framework for service design research. In: European Academy of Design Conference, 2009, Aberdeen. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2017.
  • [29] SECOMANDI, F. Design e as interfaces de serviço. Anais do 11o Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, Gramado, 2014.
  • [30] SECOMANDI, F.; SNELDERS, D. The object of service design. Design Issues, v. 27, n. 3. MIT, 2011.
  • [31] SERVICE DESIGN NETWORK. Service design impact report: Public Sector, Köln, 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2017.
  • [32] SHOSTACK, G. L. Designing services that deliver. Harvard Business Review, 1984. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2017.
  • [33] THOMSON, M.;KOSKINEN, T. Design for growth and prosperity. Helsinki: DG Enterprise and Industry of the European Commission, 2012.
  • [34] VASSIL, K. Estonian e-Government ecosystem: Foundation, Applications, Outcomes. Tartu: 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2017.
  • [35] WHICHER, A. The value of design to the public sector. 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2017.
Como citar:

Dias, Maria Regina Álvares Correia; Pinto, Gabriella Nair Figueiredo Noronha; "Inovação em design de serviços públicos", p. 455-465 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-40

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações