Artigo - Open Access.

Idioma principal

Inovações tecnológicas e organizacionais: um ensaio teórico e uma análise empírica dos serviços de tecnologia da informação de Minas Gerais a partir da PINTEC

Rapini, Márcia Siqueira; Oliveira, Vanessa Parreiras de; Teixeira, André Luiz da Silva; Caliari, Thiago;

Artigo:

O presente estudo analisa, teórica e empiricamente, a interdependência entre inovação tecnológica (IT) e organizacional (IO) no setor de Tecnologia da Informação (TI). Para isso, são utilizados os dados da PINTEC para os períodos de 2009-2011 e 2012-2014, comparando Minas Gerais e Brasil. Os principais resultados empíricos são: (1) a combinação de IT com IO pelas empresas mineiras de TI reduz a percepção da rigidez organizacional como obstáculo; e (2) para as firmas que não realizaram IT, a IO é mais presente nas firmas mineiras do que nas brasileiras, na média.

Artigo:

Palavras-chave: inovação tecnológica, inovação organizacional, tecnologia de informação, Minas Gerais, PINTEC,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-30

Referências bibliográficas
  • [1] ARMBRUSTER, H. et al. Organizational innovation: The challenge of measuring non-technical innovation in large-scale surveys. Technovation, v. 28, n. 10, p. 644–657, 2008. BALLOT, G.; FAKHFAKH, F.; GALIA, F.; SALTER, A. The fateful triangle: Complementarities in performance between product, process and organizational innovation in France and the UK. Research Policy, v.44, 2015, p. 217-232. BATTISTI, G.; STONEMAN, P. How Innovative are UK Firms? Evidence from the Fourth UK Community Innovation Survey on Synergies between Technological and Organizational Innovations. British Journal of Management, vol. 21, 187–206, 2010. CAMISÓN, C.; VILLAR-LÓPEZ, A. Organizational innovation as an enabler of technological innovation capabilities and firm performance. Journal of Bussiness Research, 67, p. 2891-2902, 2014. CHANDLER, A. D. The Visible Hand: The Managerial Revolution in American Business. Massachusetts: The Belknap Press of Harvard University Press, 1977. COHEN, W. M.; LEVINTHAL, D. A. Absorptive Capacity : A New Perspective on Learning and Innovation. Administrative Science Quarterly, v. 35, p. 128–152, 1990. EVANGELISTA, R.; VEZZANI, A. The economic impact of technological and organizational innovations. A firm-level analysis. Research Policy, v.39, 2010, p. 1253-1263. FREEMAN, C.; PEREZ, C. Structural crises of adjustment, business cycles and investment behaviour. In: DOSI, G. et al. Technical change and economic theory. Pinter Publishers, London, NY, 1988, pp. 38-66. FREEMAN, C.; SOETE, L. A economia da inovação industrial. Campinas: Editora da Unicamp, 2008. FRENKEN, K. Innovation, Evolution and Complexity Theory. ed. Northampton: Edward Elgar Publishing, 2006. IBGE Pesquisa de Inovação. 2003. IBGE. Pesquisa de Inovação. 2014, Questionário. KENAROGLU, B. Implications of Information Technology in Developing Countries and Its Impact in Organizational Change: STPS Working Papers, n. 302 Çankaya, Turquia. KON, A. Economia de serviços: teoria e evolução no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. KUBOTA, L. C. A contribuição dos SICs para a inovação tecnológica das firmas de serviços. In: BERNARDES, R.; ANDREASSI, T. (Orgs) Inovação em serviços intensivos em conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2007, p.211-230. MENDONÇA, M. A.; FREITAS, F.; SOUZA, J. Tecnologia da informação e produtividade na indústria brasileira. Revista de Administração de Empresas, jan./mar. 2009, n. 1, v. 49. p.75-85, 2009. MUROVEC, N.; PRODAN, I. Absorptive capacity, its determinants, and influence on innovation output: Cross-cultural validation of the structural model. Technovation, v. 29, n. 12, p. 859–872, dez. 2009. NELSON, R. R. Por que as empresas diferem e qual é a importância disso? In: NELSON, R. R. (Ed.). As fontes do Crescimento Econômico. Campinas: Editora da Unicamp, 2006. p. 165–194. NELSON, R.; SAMPAT, B. Making sense of institutions as a factor shaping economic performance, Journal of Economic Behavior and Organization, 44, p. 31-54, 2001 NELSON, R. R.; WINTER, S. G. Uma Teoria Evolucionária da Mudança Econômica. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2005. OCDE/FINEP. Manual de Oslo: diretrizes para Coleta e Intepretação de dados sobre Inovação. Rio de Janeiro: Financiadora de Estudos e Projetos, p. 184. PARANHOS, J.; HASENCLEVER, L. 2017. A Teoria da firma e empresa inovadora. Em: RAPINI, M.S.; SILVA, L.A.; ALBUQUERQUE, E. M. Economia da Ciência, Tecnologia e Inovação – Fundamentos Teoricos e a Economia Global. Editora Prismas, 2017. SAPPRASERT, K.; CLAUSEN, T. H. Organizational innovation and its effects. Industrial and Corporate Change, v. 21, n. 5, p. 1283–1305, 2012. SIMON, H. A. The Sciences of the Artificial. 3. ed. London: The MIT Press, 1996. TEECE, D. J.; PISANO, G.; SHUEN, A. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, v. 18, n. 7, p. 509–533, ago. 1997. VIEIRA, K. P.; SANTOS, F.; OLIVEIRA, F. H. P. O pólo de tecnologia da informação de Belo Horizonte. Cadernos BDMG, n. 14, p. 1-130, abr. 2007.. VROMEN, J. J. Routines, genes and program-based behavior. Journal of Evolutionary Economics, v. 16, n. 5, p. 543–560, 2006. ZAHRA, S. A.; GEORGE, G. Absorptive Capacity: A Review, Reconceptualization, and Extension. Academy of Management Review, v. 24, n. 2, p. 185–203, abr. 2002.
Como citar:

Rapini, Márcia Siqueira; Oliveira, Vanessa Parreiras de; Teixeira, André Luiz da Silva; Caliari, Thiago; "Inovações tecnológicas e organizacionais: um ensaio teórico e uma análise empírica dos serviços de tecnologia da informação de Minas Gerais a partir da PINTEC", p. 526-543 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-30

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações