Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

Infrastructuring e a construção de uma rede de futuros possíveis

Bueno, Aline Callegaro de Paula; Franzato, Carlo;

Artigo Completo:

Em 2015, 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável foram estabelecidos no âmbito da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas. Os objetivos propõem acabar com a fome e a pobreza, assegurar uma vida saudável, educação inclusiva e equitativa de qualidade, promover o crescimento econômico sustentado e sociedades pacíficas e inclusivas. Em Porto Alegre, foi possível identificar diversas organizações que, de uma forma ou de outra, trabalham em prol desses objetivos. As teorias do design para a inovação social e a sustentabilidade definem essas organizações como ‘organizações colaborativas’. No contexto em questão, as organizações colaborativas são chamadas de casas colaborativas, espaços compartilhados de trabalho em que processos colaborativos são desenvolvidos entre diferentes atores, das mais variadas áreas. Nesta pesquisa, mapeamos e estudamos as casas colaborativas de Porto Alegre para distinguir as iniciativas que convergem nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Para que amplie-se o impacto social das casas colaborativas e das iniciativas que nela são realizadas, propomos o processo de infrastructuring orientado pelo design. Na perspectiva dos pesquisadores de design participativo da universidade de Malmö, na Sécia, que vêm realizando atividades de infrastructuring desde 2007, esse é um processo aberto e contínuo, que proporciona as condições para interações entre diversos atores, humanos e não-humanos. A partir dessas interações surgem inovações e novas oportunidades de design. Isso se dá na medida em que o infrastructuring é também um processo de longa duração, sem prazos nem metas pré-definidas, o que permite que as relações e a inovação surjam ao longo do tempo, gradualmente. Compreendemos que este processo possa servir para a formação de uma rede de organizações colaborativas que promovem inovação social rumo ao desenvolvimento sustentável, permitindo sinergias na procura dos 
objetivos em análise.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Organizações Colaborativas; Organizações em Rede; Inovação Social; Desenvolvimento Sustentável; Infrastructuring,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/cid2017-70

Referências bibliográficas
  • [1] AVITAL, M. The generative bedrock of open design. In: VAN ABEL, B. et al. (org.). Open Design Now: Why Design Cannot Remain Exclusive. Amsterdam: BIS publishers, 201 BJÖRGVINSSON, E.; EHN, P.; HILLGREN, P.A. Participatory design and ‘democratizing innovation’. In: PDC ’10: Proceedings of the 11th biennial participatory design conference, Sydney, Australia, 29 November-3 December 2010. New York: ACM Press, pp. 41–50. HILLGREN, P.-A.; SERAVALLI, A.; EMILSON, A. Prototyping and infrastructuring in design for social innovation. CoDesign, v. 7, n. 3–4, 2011, p. 169–183. HOLWALDT, Jurgen; KOPP, Ralf; SCHWARZ, Michael. On the theory of social innovations: Tarde's neglected contribuition on the development of a sociological innovation theory. Weinheim: Beltz Juventa, 2015. ILLICH, I. A Convivencialidade. Lisboa: Publicações Europa-América, 1976. LÉVY, P. A inteligência coletiva: para uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Edições Loyola, 2011, p. 19-33.
Como citar:

Bueno, Aline Callegaro de Paula; Franzato, Carlo; "Infrastructuring e a construção de uma rede de futuros possíveis", p. 821-830 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-70

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações