Dezembro 2020 vol. 8 num. 5 - Colóquio Internacional de Design 2020

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Influências atuantes na conformação gráfica dasmarcas no âmbito do período modernista à era dapós-modernidade

Influences acting on the graphic conformation of brands in the scope of themodernist period to the postmodernity era

Souza, André Antônio de; Grimaldi, Madalena Ribeiro;

Artigo completo:

Este artigo apresenta uma breve revisão bibliográfica acerca dos possíveis fatores que interferem naconfiguração estética das marcas. Elencamos algumas das influências específicas que determinaram aconformação gráfica destas representações no período modernista à era subsequente, denominadapor vários autores como Pós-modernidade. O texto aqui desenvolvido faz parte de uma pesquisa emandamento para o Programa de Pós-graduação em Design (PPGD) da Escola de Belas Artes daUniversidade Federal do Rio de Janeiro – EBA/UFRJ.

Artigo completo:

This article presents a brief bibliographic review about the possible factors that interfere inthe aesthetic configuration of the brands. We list some of the specific influences that determined thegraphic conformation of these representations in the modernist period to the subsequent era, calledby several authors as Postmodernity. The text developed here is part of an ongoing research for thePostgraduate Program in Design (PPGD) of the School of Fine Arts at the Federal University of Rio deJaneiro – EBA / UFRJ.

Palavras-chave: design gráfico; marcas; estilo internacional; modernismo; pós-modernismo,

Palavras-chave: graphic design; brands; international style; modernism; postmodernism,

DOI: 10.5151/cid2020-78

Referências bibliográficas
  • [1] AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? in: O que é o contemporâneo e outros ensaios, Argos. Chapecó, SC: 2009.
  • [2] ALMEIDA, Marcelo Vianna Lacerda de. Design Social: definição constituída no complexo social, in: Anais do 13° Congresso Brasileiro de Pesquisa & Desenvolvimento em Design. Disponível em . Acesso em 14 Mar. 2020.
  • [3] BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. in: Magia e técnica, arte e política, Brasiliense. São Paulo: 1994.
  • [4] BOCCHESE, Lorenzo Ellera. Marcas Mutantes: Percepção de Profissionais, Pesquisadores e Clientes do Design Gráfico sobre Identidades Visuais Cambiantes. Dissertação (Mestrado em Design) – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul: 201 Disponível em . Acesso em 14 Mar. 2020.
  • [5] CARDOSO, Rafael. Uma introdução à história do design, Edgard Blücher. São Paulo: 2004.
  • [6] CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo, Ubu Editora. São Paulo: 201
  • [7] CIPINIUK. Alberto. Design: o livro dos porquês: o campo do design compreendido como produção social, Reflexão. São Paulo: 2014.
  • [8] CONSOLO, Cecília. Marcas: design estratégico. Do símbolo à gestão da identidade corporativa, Blucher. São Paulo: 2015.
  • [9] CRISTO, Deborah Chagas. O campo do design e a consagração das logomarcas: estudo da relação entre as instâncias de legitimação e consagração do campo do design e a linguagem gráfica das logomarcas produzidas nas décadas de 60 e 70. Dissertação (Mestrado em Design) – Departamento de Artes e Design. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro: 2003.
  • [10] FARTHING, Stephen. Tudo sobre arte, Sextante. Rio de Janeiro: 2011.
  • [11] FORTY, Adrian. Objetos de desejo. Design e sociedade desde 1750, Cosac Naify. São Paulo: 2007.
  • [12] FOSTER, Hal. Construção de Imagens, in: O Complexo arte-arquitetura, Cosac Naify. São Paulo: 2015.
  • [13] GROYS, Boris. Camaradas do tempo, in: Caderno Sesc Videobrasil / Sesc SP, Associação Cultural Videobrasil, Edições Sesc SP. São Paulo: 2010.
  • [14] LEITÃO, Sandra; LÉLIS, Catarina; MEALHA, Óscar. Marcas Dinâmicas: Haverá formas de as orientar?, in: Anais do 1st International Congress on Branding, Leiria, Portugal: 20 Disponível em . Acesso em 14 Mar. 2020.
  • [15] LYOTARD, Jean-François. O Sublime e a Vanguarda, in: O Pós-moderno Explicado às Crianças. Correspondência 1982-1985, Publicações Dom Quixote. Lisboa: 1987.
  • [16] KRAUSS, Rosalind. A escultura no campo ampliado, in: Arte & Ensaios 17. Rio de Janeiro: Programa de Pós-graduação em Arte Visuais, Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro: 2008.
  • [17] KREUTZ, Elizete de Azevedo. Construindo Marcas Mutantes, in: Revista Latinoamericana Comunicación Chasqui, v. 119, p. 61-65, 2012. Disponível em . Acesso em 14 Mar. 2020.
  • [18] MANOVITH, Lev. A visualização de dados como uma nova abstração anti-sublime, in: Arte & Ensaios 11. Rio de Janeiro: Programa de Pós-graduação em Arte Visuais, Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro: 2004.
  • [19] MEGGS, Philip B. História do design gráfico, Cosac Naify. São Paulo: 2009.
  • [20] OBJECTIFIED. Direção e Produção: Gary Hustwit. Plexi Productions, Swiss Dots: 2009.
  • [21] POYNOR, Rick. Abaixo as regras, Bookman. Porto Alegre: 2010.
  • [22] RYBCZYNSKI, Witold. Casa: Pequena História de uma ideia, Record. Rio de Janeiro:1999.
  • [23] SOUZA, André Antônio de. Análise Gráfica das Marcas da Copa do Mundo de Futebol. Monografia (Especialização em Técnicas de Representação Gráfica) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro: 2011.
Como citar:

Souza, André Antônio de; Grimaldi, Madalena Ribeiro; "Influências atuantes na conformação gráfica dasmarcas no âmbito do período modernista à era dapós-modernidade", p. 1027-1042 . In: Anais do Colóquio Internacional de Design 2020. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cid2020-78

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações