Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

INFLUÊNCIA DO GÊNERO NO RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS ATIVOS E SEDENTÁRIOS

REIS, Pedro Ferreira; TANAKA, Cristhiane Yoshie; FARIAS, Nayara Correa; SILVA, Cristina Ribeiro da;

Artigo Completo:

O sedentarismo influência significativamente na queda em idosos. O objetivo foi avaliar a influência do gênero no risco de quedas. Participaram 100 idosos com idade entre 60 e 80 anos, sendo composto por 50 idosas e 50 idosos do município de Foz do Iguaçu, estado do Paraná, Brasil. O risco de quedas realizado através do teste Timed Up and Go. No sexo masculino o tamanho das passadas dos ativos obteve uma diferença significativa com “t” tabelado de 1,71 e o “t” calculado de 1,32. Conclui-se que a amplitude das passadas dos idosos ativos foi melhor.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Idosos; Risco de quedas; Atividade Física; Sedentarismo,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/engpro-conaerg2016-7496

Referências bibliográficas
  • [1] BUSSE, A.L. et al. Physical activity and cognition in elderly: a review. Dement Neuropsycol. v.3, n.3, p.204-208, 2009.
  • [2] CAMPOS, K.S. et al. Os testes de equilíbrio Alcance Funcional e “Timed Up and Go” e o risco de quedas em idosos. Rev. Kairós Gerontologia. V.16, n.4, p.125-138, 2013.
  • [3] COSTA, K.S. Análise de diferença dos programas de exercício físico sobre a amplitude de movimento articular de idosos de ambos os sexos. 2014. Dissertação (Mestrado de atividade física para a terceira idade). Faculdade de Desporto da Universidade do Porto ao abrigo, Porto, 2014.
  • [4] ELIOPOULOS, C. Enfermagem gerontológica. Porto Alegre, Artmed, 2005.
  • [5] FIDELIS, L.T; PATRIZZI, L.J; WALSH, I.A.P. Influência da prática de exercícios físicos, sobre a flexibilidade, força muscular manual e mobilidade funcional em idosos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. v.16, n.1, p.109-116, 2013.
  • [6] FILHO, E.; NETTO, M. Geriatria – Fundamentos clínicos e terapêuticos. São Paulo. Atheneu, 200
  • [7] GOMES, G.A.O. et al. Comparação entre idosos que sofreram quedas segundo desempenho físico e números de ocorrências. Rev. Bras. Fisiot. v.12, n.5, p.430-437, 2009.
  • [8] GOMES, K.V.; ZAZÁ, D.C. Motivos de adesão a pratica de atividade física em idosos. Rev. Bras. De Atividade Física e Saúde. v. 14, n. 2, p.132-138, 2009
  • [9] GOODPASTER, B.H.; CHOMENTOWSKI, P.; WARD, B.K. et al. Effects of physical activity on strength and skeletal muscle fat infiltration in older adults: a randomized controlled trial. Journal of Applied Physiology. v.1, n.105, p.1498-1503, 2008.
  • [10] IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores populacionais. Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/projecao_da_populacao/2008/projecao.pdf Acesso em 10 de setembro de 2013.
  • [11] PADOIN, P.G. et al. Análise comparativa entre idosos praticantes de exercícios físicos e sedentários quanto ao risco de quedas. Mundo Saúde. v.34, n.2, p.158-164, 2010.
  • [12] PEREIRA, C.L.N; VOGELAERE, P, BAPTISTA, F. Role of physical activity in the prevention of falls and their consequences in the elderly. Eur Rev Aging Phys Act. v.5, n.1, p.51-58, 2008.
  • [13] PERRACINI, M. et al. Fatores associados a quedas em uma coorte de idosos residentes na comunidade. Revista de Saúde Pública. v.36, n.6, 2002.
  • [14] PERSCH, L.N.; et al. Strength training improves fall-related gait kinematics in the elderly: A randomized controlled trial. Clin Biomech. v.24, n.10, p.819-825, 2009.
  • [15] PINHEIRO, M.M. et al. O impacto da osteoporose no Brasil: dados Regionais das Fraturas em Homens e Mulheres Adultos. Rev. Bras. Reumatol. v.1, n.50, p.113-127, 2010.
  • [16] PODSIADLO, D; RICHARDON, S. The "Timed Up and Go": a test of basic functional mobility for frail elderly persons. J Am Geriatr Soc. n.39, p. 8-142, 1991.
  • [17] REIS, P.F.; MORO, A.R.P.; MERINO, E. A. D. Prevenção do risco de quedas na terceira idade: Uma abordagem no ambiente construído. In: 11º ERGODESIGN – UNIHC, 2011, Manaus: UFAM, 2011, v.1.
  • [18] REIS, P.F. et al. Universal Design and Accessibility: an Approach of the Influence of Muscle Strength. Work (Reading, MA), v. 41, p. 374-379, 2012.
  • [19] RODRIGUES, J.E.et al. Relação entre atividade física e equilíbrio em idosos de um grupo da terceira idade. Neurobiologia. v.1, n. 75, 2012.
  • [20] SAFONS MP, BALSAMO S. Treinamento de força e envelhecimento. São Paulo: 2005.
  • [21] SANTOS, G.M. et al. Valores preditivos para o risco de queda em idosos praticantes e não la de Equilíbrio de Berg. Rev. Bras. Fisioter. V.15, n.2, p.95-101, 2011.
  • [22] SIQUEIRA, FV, et al. Prevalência de quedas em idosos e fatores associados. Rev Saúde Pública. v.41, n. 5, p.749-756, 2007.
  • [23] SPIRDUSO, W, Dimensões Físicas do Envelhecimento. São Paulo, Manole 2005.
Como citar:

REIS, Pedro Ferreira; TANAKA, Cristhiane Yoshie; FARIAS, Nayara Correa; SILVA, Cristina Ribeiro da; "INFLUÊNCIA DO GÊNERO NO RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS ATIVOS E SEDENTÁRIOS", p. 573-581 . In: 1º Congresso Internacional de Ergonomia Aplicada [=Blucher Engineering Proceedings, v.3 n.3]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/engpro-conaerg2016-7496

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações