Artigo - Open Access.

Idioma principal

Indicadores industriais dos estados do Sudeste brasileiro: uma análise sobre desindustrialização a partir de modelos ARDL

Veríssimo, Michele Polline;

Artigo:

Este artigo investiga a hipótese dedesindustrialização nos estados da região Sudeste brasileira a partir daanálise de indicadores de produção, emprego e exportações de bensmanufaturados, conforme os principais conceitos do problema apontados pela literaturaeconômica. Além disso, avalia as possíveis causas do processo por meio daestimação de modelos Auto Regressivos de Defasagens Distribuídas (ARDL) querelacionam os efeitos da taxa de câmbio real, dos preços das commodities, do grau de abertura comerciale da taxa de juros básica da economia sobre os indicadores industriais analisados.Os dados assinalam perda de participação da indústria de transformação naprodução, no emprego e nas exportações nos estados do Sudeste, sobretudo em SãoPaulo, indicando desindustrialização. Contudo, as evidências econométricassugerem que a apreciação cambial e os altos preços das commodities não se mostraram relevantes para explicar taisresultados. A abertura comercial foi prejudicial especialmente ao emprego, e ataxa de juros exerceu efeitos negativos sobre os indicadores industriais emtodos os estados da região.

Artigo:

Palavras-chave: Indicadores Industriais; Desindustrialização; Estados; Região Sudeste,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-11

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, T. R. C.; SOUZA, C. C. A. Evolução da estrutura industrial de Minas Gerais no período 1960-2010: uma análise frente aos demais estados da federação. Anais do XVI Seminário sobre a Economia Mineira em Diamantina, Diamantina, 2014. AMBROZIO, A. M. Aumento do emprego contrasta com desindustrialização em SP e RJ. BNDES Visão do Desenvolvimento, nº. 5, set., 2007. BOTELHO, M. R. A.; SOUSA, G. F.; AVELLAR, A. P. M. A incidência desigual do processo de desindustrialização nos estados brasileiros. Anais do XVI Seminário sobre a Economia Mineira de Diamantina, Diamantina, 2014. BCB. BANCO CENTRAL DO BRASIL. Economia e Finanças. Séries Temporais. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pt-br/#!/n/SERIESTEMPORAIS. Acesso em: Jan. 2018. BRESSER-PEREIRA, L. C. Doença holandesa e sua neutralização: uma abordagem ricardiana. Revista de Economia Política, 28 (1), São Paulo. 2007. CAÇADOR, S. B.; GRASSI, R. A. A evolução recente da economia do Espírito Santo: um estado desenvolvido e periférico? Anais do XXXVII Encontro Nacional de Economia. Foz do Iguaçu, Dezembro, 2009. CAÇADOR, S. B. A Economia do Espírito Santo está sofrendo um processo de desindustrialização? Redes (St. Cruz Sul, Online), v. 20, nº. 3, Suplemento, p. 341-362, set./dez., 2015. CANO, W. A desindustrialização no Brasil. Economia e Sociedade, v. 21, número especial, p. 831-851, Campinas. 2012. CARVALHO, L.; KUPFER, D. A transição estrutural da indústria brasileira: da diversificação para a especialização. Anais do XXXV Encontro Nacional de Economia da ANPEC, Recife. 2007. COSTA, D. O. N.; FUNARI, A. P.; MATTOS, L. O. Evidências da Desindustrialização no Brasil e no Estado de São Paulo entre 1989 e 2010. Anais do VI Seminário Internacional de Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, setembro, 2013. CRUZ, J. L. V. A retomada do crescimento brasileiro e a reestruturação do espaço regional no Norte do Estado do Rio de Janeiro. Vértices, Campos dos Goytacazes/ RJ, v.14, n. Especial 1, p. 31-61, 2012. CRUZ, B. O.; SANTOS, I. R. S. Dinâmica do emprego industrial no Brasil entre 1990 e 2009: uma visão regional da desindustrialização. Texto para discussão, n. 1673, Secretária de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, IPEA, Rio de Janeiro. 201 ENGLE, R. F.; GRANGER, C. W. J. Co-integration and error correction: representation, estimation, and testing. Econometrica. p. 251-276, 1987. FERREIRA, J. S. W. São Paulo: o Mito da Cidade-Global. 2003. 336f. Tese (Doutorado). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003. IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Industrial Anual (PIA) – Empresa. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pia-empresa/tabelas/brasil/2015. Acesso em: Jan. 2018. IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional (PIM-PF/RG). Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/home/pimpfrg/brasil. Acesso em: Jan. 2018. IMF. INTERNATIONAL MONETARY FUND. Data and Statistics. IMF Primary Commodity Prices. Disponível em: http://www.imf.org/external/np/res/commod/index.asp. Acesso em: Jan. 2018. IPEADATA. INSTITUTO DE PESQUISA EM ECONOMIA APLICADA. Dados macroeconômicos. Disponivel em: http://www.ipeadata.gov.br/Default.aspx. Acesso em: Jan. 2018. JOHANSEN, S. Estimation and Hypothesis Testing of Cointegration Vectors in Gaussian Vector Autoregressive Models. Econometrica, vol. 59, pp. 1551–1580, 199 MANHÃES, V. T.; ROSENDO, R. C. Evolução da Densidade Industrial nos Estados do Sudeste Brasileiro (2000/2010): Vivenciamos um Fenômeno de Desindustrialização? Revista de Desenvolvimento Econômico, v. 3, n. 35, p. 924-953, dezembro, 2016. MDIC. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR. Estatísticas do Comércio Exterior. Disponível em: http://www.mdic.gov.br//sitio/interna/interna.php?area=5&menu=1076. Acesso em: Jan. 2018. MONTEIRO, F. D. S. C.; LIMA, J. P. R. Desindustrialização regional no Brasil. Nova Economia, v.27, n.2, p.247-293, 2017. MTE-CAGED. Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Evolução de Emprego do CAGED – EEC. Ministério do Trabalho. Disponível em: http://pdet.mte.gov.br/evolucao-do-emprego-do-caged. Acesso em: Jan. 2018. MTE-RAIS. Relação Anual de Informações Sociais. Dados estatísticos. Ministério do Trabalho. Disponível em: http://pdet.mte.gov.br/acesso-online-as-bases-de-dados. Acesso em: Jan. 2018. OREIRO, J. L.; FEIJÓ, C. A. Desindustrialização: Conceituação, Causas, Efeitos e o Caso Brasileiro. Revista de Economia Política, v. 30, nº. 2, Abr-Jun, 2010. PALMA, J. G. Quatro fontes de desindustrialização e um novo conceito de doença holandesa. Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. São Paulo. 2005. PEREIRA, W. M.; CARIO, S. A. F. Desindustrialização e mudança estrutural na Região Sudeste: um estudo comparado. Anais do 1º Encontro da Nacional de Economia Industrial e Inovação, vol. 3, nº 4, dezembro, 2016. PESARAN, M. H.; SHIN, Y. An Autoregressive Distributed-Lag Modelling Approach to Cointegration Analysis. In: Econometrics and Economic Theory in the 20th Century: The Ragnar Frisch Centennial Symposium. Cambridge: Cambridge University Press, 1999. PESARAN, M. H.; SHIN, Y.; SMITH, R. J. Bounds Testing Approaches to the Analysis of Level Relationships. Journal of Applied Econometrics, vol. 16, n. 3, pp. 289-326, 200 PHILLIPS, P. C. B.; HANSEN, B. E. Statistical Inference in Instrumental Variables Regression with I(1) Processes. The Review of Economic Studies, vol. 57, n. 1, pp. 99-125, 1999. REZENDE, F. A. E.; SANTOS, F. Desindustrialização, rearranjo industrial e desemprego no Brasil. O caso do ABC paulista. Revista Eletrônica, ano 1, n. 1, p. 31-34. 2007. ROSENDO, R. C.; BRITTO, J. Evolução da densidade industrial do estado do Rio de Janeiro: análise comparativa com os estados de sudeste brasileiro – 2000/2005. Anais do XXXIX Encontro Nacional de Economia, ANPEC, Foz do Iguaçu. 201 ROWTHORN, R.; WELLS, J. R. De-Industrialization and Foreign Trade. Cambridge, Cambridge University Press. 1987. ROWTHORN, R.; RAMASWANY, R. Growth, Trade and Deindustrialization. Working Paper, International Monetary Fund, Research Department. 1999. SOBRAL, B. L. B. A falácia da “inflexão econômica positiva”: algumas características da desindustrialização fluminense e do “vazio produtivo” em sua periferia metropolitana. Cadernos do Desenvolvimento Fluminense, n. 1, Rio de Janeiro. 2013. SONAGLIO, C. M. O comércio de manufaturados e o desenvolvimento econômico: Por que se preocupar com a trajetória brasileira? Revista Estudos do CEPE, Santa Cruz do Sul, n34, p.122-138, jul./dez. 201 TREGENNA, F. Characterizing deindustrialization: an analysis of changes in manufacturing employment and output internationally. Cambridge Journal of Economics, v. 33, n. 3, Cambridge. 2009. VERÍSSIMO, M. P.; ARAÚJO, S. C. Perfil industrial de Minas Gerais e a hipótese de desindustrialização estadual. Rev. Bras. Inov., Campinas (SP), 15 (1), p. 113-138, janeiro/junho, 2016. VILLASCHI FILHO, A.; LEAL, E. A. S. Desindustrialização e doença holandesa: há evidências para a economia brasileira e capixaba? Seminário XX GPIDECA. Departamento de Economia. Universidade Federal do Espírito Santo. 25/04/2012.
Como citar:

Veríssimo, Michele Polline; "Indicadores industriais dos estados do Sudeste brasileiro: uma análise sobre desindustrialização a partir de modelos ARDL", p. 179-198 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-11

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações