Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

HEURÍSTICA DA ANCORAGEM E AJUSTAMENTO EM ESTIMATIVAS NUMÉRICAS DE BENS DE CONSUMO: UMA APLICAÇÃO CONSIDERANDO DIFERENTES ESTRATOS SOCIOECONÔMICOS NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA-CE

Pereira, Ohanna Larissa Fraga; Martinelli Júnior, Orlando;

Artigo completo:

A Economia Comportamental avança como alternativa ao mainstream econômico, pressupondo que a racionalidade limitada dos agentes os conduz a regras simplificadoras na tomada de decisão, as heurísticas. A heurística da ancoragem e ajustamento ocorre quando a estimativa final do agente se baseia em uma âncora posta, que segue sendo ajustada insuficientemente produzindo uma resposta final viesada. Assim, objetivou-se analisar os efeitos dessa heurística em estimativas numéricas de itens de consumo de indivíduos fortalezenses através de uma pesquisa empírica com agentes pertencentes a diferentes estratos socioeconômicos. Os resultados indicaram uma grande influência do efeito ancoragem, sobretudo das âncoras baixas. Os itens comuns ao consumo de todos os estratos apresentaram Índices de Ancoragem mais baixos que aqueles consumidos apenas por estratos mais altos. Além disso, identificou-se que os indivíduos mais incertos quanto às suas estimativas sofreram maior efeito das âncoras, enquanto os mais confiantes obtiveram índices de ancoragem menores.

Artigo completo:

Palavras-chave: Heurística da Ancoragem e Ajustamento. Estratificação Socioeconômica. Comportamento do Consumidor,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-6.6-037

Referências bibliográficas
  • [1] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE PESQUISA (ABEP). Critério Brasil 2015 e atualização da distribuição de classes para 2016. 2016. Relatório do Comitê do Critério de Classificação Econômica Brasil
  • [2] BEZERRA, J. M. F.; LEONE, R. J. G. Efeito ancoragem e relações de consumo: um estudo com produtos da cesta básica. Revista Ambiente Contábil, Natal, v. 5, n. 2, p. 68-85, 2013. Disponível em: < https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/4150 >. Acesso em: 17 nov. 2016.
  • [3] BRASIL. Estatuto da Juventude. LEI Nº 12.852, DE 5 DE AGOSTO DE 201 Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2018.
  • [4] CAMERER, C. Behavioral economics: Reunifying psychology and economics. Proceedings of the National Academy of Sciences. USA, v. 96, p. 10575–10577, 1999.
  • [5] CAMERER, C.; LOEWENSTEIN, G. Behavioral Economics: past, present and future. In:
  • [6] CAMERER, C.; LOEWENSTEIN, G.; RABIN, M. (Coords.) Advances of Behavioral Economics. Princeton: Princeton University Press, 2004. cap. 1, p. 3-51.
  • [7] CASTRO, A. S. R. de. Economia comportamental: caracterização e comentários críticos. 2014. 145 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Econômicas) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.
  • [8] CUSINATO, R. T. Teoria da decisão sob incerteza e a hipótese da utilidade esperada: conceitos analíticos e paradoxos. 2003, 181 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.
  • [9] DOROW, A. Heurística da ancoragem na estimativa de preço de imóveis por corretores profissionais. 200 91 p. Dissertação (Mestrado em Contabilidade) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 200
  • [10] EPLEY, N.; GILOVICH, T. When effortful thinking influences judgmental anchoring: differential effects of forewarning and incentives on self-generated and externally provided anchors. Journal of Behavioral Decision Making, Chicago, v. 18, p. 199-212, 2005.
  • [11] FERNANDES, A. S. Heurísticas na decisão do consumidor. 2010. 137p. Tese (Doutorado em Economia) – Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2010.
  • [12] HOFFMANN, R. Estatística para economistas. São Paulo: Cengage Learning, 2006. 446 p.
  • [13] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Estimapop. 20 Disponível em: < https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/populacao/9103- estimativas-de-populacao.html?=&t=resultados >. Acesso em: 02 de mai. 2018.
  • [14] JACOWITZ, K. E.; KAHNEMAN, D. Measures of anchoring in estimation tasks. Personality and Social Psychology Bulletin, v. 21, n. 11, p. 1161-1166, 1995.
  • [15] KAHNEMAN, D. Maps of bounded rationality: psychology for behavioral economics. The American Economic Review, v. 93, n. 5, p. 1449-1475, 2003.
  • [16] KAHNEMAN, D. Rápido e devagar: duas formas de pensar. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012. 608 p.
  • [17] KAHNEMAN, D.; FREDERICK, S. A model of heuristic judgment. In: HOLYOAK, K. J.;
  • [18] MORRISON, R. G. (Eds.). The cambridge handbook of thinking and reasoning. Cambridge: Cambridge University Press, 2002. Cap. 12. p. 874 p.
  • [19] KAHNEMAN, D.; TVERSKY, A. Prospect Theory: an analysis of decision under risk. Econometrica, v. 47, n. 2, p. 263-291, mar. 1979.
  • [20] KAMAKURA, W. A.; MAZZON, J. A. Estratificação socioeconômica e consumo no Brasil. São Paulo: Blucher, 2013. 286 p.
  • [21] LUPPE, M. R. A heurística da ancoragem e seus efeitos no julgamento: decisões de consumo. 2006. 118f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade de São Paulo, 2006.
  • [22] LUPPE, M. R.; ANGELO, C. F. As decisões de consumo e a heurística da ancoragem: uma análise da racionalidade do processo de escolha. RAM-Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 6, p. 81-106, 2010.
  • [23] LUZ, M. R. S.; FRACALANZA, P. S. A gênese do indivíduo e o indivíduo da gênese: uma abordagem multidisciplinar acerca do papel da ideologia cristã nas origens do homem (econômico). Economia, Brasília, v. 14, n. 1A, p. 189-210, Jan./Abr. 2013. Disponível em: < http://www.anpec.org.br/revista/vol14/vol14n1p189_210.pdf >. Acesso em: 11 mar. 2018.
  • [24] MUSSWEILER, T.; STRACK, F. Hypothesis–consistent testing and semantic priming in the anchoring paradigma: a selective accessibility model. Journal of Experimental Social Psychology, v. 35, n. 2, p. 136 – 164, 1999.
  • [25] NORTHCRAFT, G. B.; NEALE, M. A. Experts, amateurs, and real estate: an anchoring-andadjustment perspective on property pricing decisions. Organizational behavior and human decision processes, v. 39, p. 84 – 97, 1987. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2017.
  • [26] SAMSON, A. Introdução à economia comportamental e experimental. In: BIANCHI, A. M.;
  • [27] ÁVILA, F. (Orgs.) Guia de economia comportamental e experimental. São Paulo: EconomiaComportamental.org, 2015. 400 p.
  • [28] SBICCA, A. Heurísticas na decisão do consumidor. 2010. 130 f. Tese (Doutorado em Economia) - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2010.
  • [29] SERPA, D. A. F. Julgamento e tomada de decisão do consumidor: percepção de preço e valorsob a perspectiva da teoria dos prospectos. 2000. 98 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.
  • [30] SILVA, E. M. da; GONÇALVES, V.; MUROLO, A. C. Estatística. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2018. 355 p.
  • [31] SIMON, H. A. A behavioral model of rational choice. The Quarterly Journal of Economics, v. 69, n. 1, p. 99-118, 1955. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017.
  • [32] __________. Models of Man: Social and Rational. New York: John Wiley & Sons, 1957. 287 p.
  • [33] __________. Invariants of human model. Annual review psychology, Palo Alto, v. 41, n. 1, p. 1 – 20, 1990.
  • [34] STANOVICH, K. E.; WEST, R. F. Individual differences in reasoning: implications for the rationality debate? In: GILOVICH, T.; GRIFFIN, D.; KAHNEMAN, D. (Eds.). Heuristics and biases: the psychology of intuitive judgment. Cambridge: Cambridge University Press, 2002. cap. 24, p. 421-440.
  • [35] __________. From cashews to nudges: the evolution of behavioral economics. American Economic Review, v. 108, n. 6, p. 1265 – 1287, 2018. Disponível em:. Acesso em: 12 set. 2018.
  • [36] TVERSKY, A.; KAHNEMAN, D. Judgment under uncertainty: heuristics and biases. Science, v.185, n. 4157, p. 1124-1131, 1974.
Como citar:

Pereira, Ohanna Larissa Fraga; Martinelli Júnior, Orlando; "HEURÍSTICA DA ANCORAGEM E AJUSTAMENTO EM ESTIMATIVAS NUMÉRICAS DE BENS DE CONSUMO: UMA APLICAÇÃO CONSIDERANDO DIFERENTES ESTRATOS SOCIOECONÔMICOS NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA-CE", p. 1238-1260 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-6.6-037

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações