Full Article - Open Access.

Idioma principal

Gamificação na educação patrimonial: Escola Álvaro Guião (SP-BR)

Crivelli, Juliana de Mello; Vizioli, Simone Helena Tanoue;

Full Article:

This article integrates works developed in the Núcleo de Apoio em Pesquisa em Estudos de Linguagem em Arquitetura e Cidade (N.elac) of the Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, and aims to evaluate the contribution of the game as an auxiliary instrument to the patrimonial education (Horta, Grunberg & Monteiro, 1999). Games present themselves as one of the constitutive elements of culture, and many are the authors that discuss the theme. Between them, Huizinga, 2000; Callois, 1990 and Brougère, 2004. The developed game is an interactive narrative inside a building listed as herritage by the Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico (CONDESPHAASC): the Escola Estadual Dr. Álvaro Guião.

Full Article:

Palavras-chave: Gamificação; Educação Patrimonial; Meio digital; Jogo Digital; Escola Álvaro Guião,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/despro-sigradi2016-499

Referências bibliográficas
  • [1] Albuquerque, R. M., & Fialho, F. A. P. (2010). A interatividade e o potencial de aprendizagem através dos jogos eletrônicos. Encuentro Latinoamericano de Diseño em Palermo. Actas de Diseño no9, v. 9, 175-178.
  • [2] Arce, A. (Org); Nery, A. C. B. (Org). (2011). Ideias pedagógicas em movimento: Produção de saberes na Escola Normal Secundária de São Carlos. São Carlos: EdUFSCar.
  • [3] Brougère, G. (2004). Brinquedos e Companhia. São Paulo: Cortez.
  • [4] Bomtempo, Edda. (1999). Brinquedo e Educação: na Escola e no Lar. Psicologia Escolar e Educacional, Abrapee / São Paulo, v. III, n.1, p. 61-69.
  • [5] Caillois, R. (1990). Os Jogos e os Homens. Lisboa: Cotovia.
  • [6] Fadel, L. M. (Org) et al. (2014). Gamificação na educação. São Paulo: Pimenta Cultural.
  • [7] Flusser, V. (2008). O Universo das Imagens Técnicas. Elogio da Superficialidade. São Paulo: Annablume.
  • [8] Horta, M. de L. P., Grumberg, E., & Monteiro, A. Q. (1999). Guia Básico da Educação Patrimonial. Brasília: Instituto do Patrimônio Artístico Nacional, Museu Imperial.
  • [9] Huizinga, J. (2000). Homo Ludens: O Jogo como Elemento de Cultura. São Paulo: Perspectiva, 4ª edição.
  • [10] Meira, A. M. (2003). Benjamin, os brinquedos e a infância contemporânea. Psicologia & Sociologia. n.2, vol.15, 74-87. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • [11] Morila, A. P. (2005, Setembro). Um monumento na avenida: a escola normal de São Carlos. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.19, p. 40 -62, ISSN: 1676-2584
  • [12] Santaella, L. Games e Comunidades Virtuais. (2004) In: Hiper> Relações Eletro/ Digitais. Porto Alegre: Santander Cultural, Retirado de: http://www.canalcontemporaneo.art.br/tecnopoliticas/archives/000334.html
  • [13] Santiago, R. P. (2011). Jogos e Processos de Projeto: Diálogos Possíveis. Artigo. Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas. XV Congresso SIGRADI.
  • [14] Stencylpedia - Table of Contents. (2016). Stencyl.com. Retirado 16 de janeiro 2016, de http://www.stencyl.com/help/toc/
Como citar:

Crivelli, Juliana de Mello; Vizioli, Simone Helena Tanoue; "Gamificação na educação patrimonial: Escola Álvaro Guião (SP-BR)", p. 860-864 . In: XX Congreso de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital [=Blucher Design Proceedings, v.3 n.1]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-sigradi2016-499

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações