Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

EXTENSÃO TECNOLÓGICA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: O CASO SIBRATEC-ET REDE RJ

MENDES, Heitor Soares; FERREIRA, Marta Lucia A.; HASENCLEVER, Lia; TEIXEIRA, Carlos Alberto M.;

Artigo Completo:

Este artigo discute os efeitos de uma das recentes políticas de fortalecimento da estrutura produtiva e de apoio à inovação no Brasil a partir de um estudo de caso. Ao reunir evidências bibliográficas, documentais e empíricas, busca-se investigar a efetividade do Sistema Brasileiro de Tecnologia (SIBRATEC) - criado em 2007 - como arranjo institucional de suporte à competitividade das Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME) que atuam no Estado do Rio de Janeiro (ERJ) por meio da Rede de Extensão do Estado do Rio de Janeiro (SIBRATEC-ET Rede RJ). As evidências indicam a existência de demandas tecnológicas e de gestão das empresas industriais do ERJ que, uma vez atendidas, podem representar a elevação do nível de produtividade da economia regional pelo caráter cumulativo sobre a competitividade das empresas e setores envolvidos, melhorando a capacitação tecnológica daquelas como fornecedoras de grandes empresas industriais. Acredita-se que a análise e a avaliação das condições atuais de funcionamento do SIBRATEC-ET Rede RJ, ao lado das recomendações e ações sugeridas, podem trazer repercussões positivas sobre o crescimento e o desenvolvimento econômico do ERJ.

Artigo Completo:

This paper discusses the effects of the recent policies of strengthening the productive structure and supporting innovation in Brazil using the case study method. Starting from bibliographical, documentary and empirical evidences, the aim is to investigate the effectiveness of the Brazilian System of Technology (SIBRATEC) - created in 2007 - as institutional arrangement to support the competitiveness of micro, small and medium-sized companies that operate in the Rio de Janeiro State through the Extension Network of the Rio de Janeiro State (SIBRATEC-ET Rede RJ). The evidences indicate that the technological and management demands of the industrial companies can increase the productivity level of the regional economy by the cumulative character on the competitiveness of companies and sectors involved, improving their technological capabilities as suppliers of large industrial companies. It is believed that the analysis and the evaluation of current conditions of functioning of SIBRATEC-ET Rede RJ, alongside the recommendations and suggested actions, can bring positive effects on economic growth and development of the Rio de Janeiro State.

Palavras-chave: Extensão Tecnológica, Desenvolvimento Regional, SIBRATEC,

Palavras-chave: Technological Extension, Regional Development, SIBRATEC,

DOI: 10.5151/enei2017-44

Referências bibliográficas
  • [1] ARRETCHE, M. T. S. Tendências no estudo sobre avaliação. In: RICO, E. M. (Org.) Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999, p. 29-39.
  • [2] CHANG, H. J. Globalisation, economic development and the role of the state. London, New York : Zed Books, 2003.
  • [3] _______. Chutando a escada: a estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica. São Paulo : UNESP, 2004.
  • [4] _______. Hamlet without the prince of Denmark: how development has disappeared from today’s development discourse. In: KHAN, S. R.; CHRISTIANSEN, J. (Eds.). Towards new developmentalism: market as means rather than master. Abingdon : Routledge, 2011, p. 47-58.
  • [5] CHRISPINO, A. Introdução ao estudo das políticas públicas: uma visão interdisciplinar e contextualizada. Rio de Janeiro: FGV, 2016.
  • [6] EVANS, P. Autonomia e parceria: estados e transformação industrial. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.
  • [7] _______. Constructing the 21st century developmental state: potentialities and pitfalls. In: EDIGHEJI, O. (Ed.). Constructing a democratic developmental state in South Africa: potentials and challenges. Cape Town : HSRC Press, 2010, p. 37-58.
  • [8] _______. The capability enhancing developmental state: concepts and national trajectories. [Texto para Discussão nº 63]. Centro de Estudos sobre Desigualdade e Desenvolvimento (CEDE). UFF, Niterói : Brasil, 2011.
  • [9] FIANI, R. Cooperação e conflito: instituições e desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.
  • [10] GARCIA, R. C. & MADEIRA, P. Uma avaliação da difusão de práticas de gestão da produção entre pequenas empresas em sistemas locais de produção. Produção, v. 23, n. 1, p. 20-30, 2013.
  • [11] GERSCHENKRON, A. Economic backwardness in historical perspective. In: GRANOVETTER, M.; SWEDBERG, R. The sociology of economic life. Westview Press, 1962, pp. 5-30.
  • [12] GOMIDE, A. A. & PIRES, R. R. C. Capacidades estatais e democracia: a abordagem dos arranjos institucionais para a análise de políticas públicas. In: GOMIDE, A. A. & PIRES, R. R. C. (Eds.). Capacidades estatais e democracia: arranjos institucionais e políticas públicas. Brasília : IPEA, 2014, p. 15-28.
  • [13] HASENCLEVER, L. & CUNHA, E. O pólo metal-mecânico: uma demanda para dinamização e modernização das empresas da zona oeste. In: ROVERE, R. L. L.; SILVA, M. O. (Orgs.). Desenvolvimento econômico local da Zona Oeste do Rio de Janeiro e seu entorno. Rio de Janeiro: PoD, 2010. P. 73-87
  • [14] HODGSON, G. M. Economics and institutions: a manifesto for modern institutional economics. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1988.
  • [15] INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA (INT). Implantação da Rede de Extensão Tecnológica do Rio de Janeiro para apoio às micro, pequenas e médias empresas: relatório técnico gerencial/final. Rio de Janeiro: INT, 2016.
  • [16] KUZNETS, S. S. Modern economic growth: findings and reflections. American Economic Review, v. 63, n. 3, pp. 247-258, 1973.
  • [17] LANGLOIS, R. N. The new institutional economics: an introductory essay. In: LANGLOIS, R. N. (Ed.). Economics as a process: essays in the new institutional economics. Cambridge University Press: Cambridge, 1986.
  • [18] LA ROVERE,R. L.; HASENCLEVER, L. & PINTO, J. P. M. An introduction to small and medium-sized enterprises (SMEs) in Brazil. In: HERNANDEZ, N. & RAMIREZ, J. (Org.). MEs unleashing the potential: opportunities and challenges. The cases of Brazil, Mexico, France, Germany, Italy and Spain. New Delhi: Bloomsbury, pp. 16-41, 2014.
  • [19] MADEIRA, P. Extensão industrial em sistemas locais de produção: os efeitos da aglomeração na aquisição e difusão de novas capacitações em PME. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, 2009.
  • [20] MAZZUCATO, M. Entrepreneurial State. London: Demos, 2011.
  • [21] MENDES, H. S. Extensão Tecnológica no Brasil: uma análise da oferta e da demanda das empresas de metalmecânica da zona oeste do município do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento) - Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016.
  • [22] _______ & HASENCLEVER, L. Development, entrepreneurial activity and industrial extension. In: ROVERE, R. L. L.; OZÓRIO, L. M. & MELO, L. J. (Orgs.). Entrepreneurship in BRICS: policy and research to support entrepreneurs. Cham : Springer International Publishing, 2015, p. 239-253.
  • [23] MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Programa Tecnologia Industrial Básica e serviços tecnológicos para inovação e competitividade. Brasília: MCTI, 2001.
  • [24] _______. Tecnologia industrial básica: trajetória, desafios e tendências no Brasil. Brasília: MCTI; CNI; SENAI/DN; IEL/NC, 2005.
  • [25] _______. Ações de C,T&I – Sistema Brasileiro de Tecnologia (SIBRATEC). Brasília, 2013a. Disponível em . Acesso em 10 set. 2013.
  • [26] _______. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Relatório de Gestão do Programa SIBRATEC: 2013. Brasília: MCTI, 2013b.
  • [27] MURARO, G. M. Análise da implementação do programa Sistema Brasileiro de Tecnologia – Sibratec – modalidade extensão tecnológica. Monografia (Especialização em Gestão Pública) – Escola Nacional de Administração Pública, 2013.
  • [28] OLIVEIRA, J. E. F. A metrologia aplicada aos setores industrial e de serviços: principais aspectos a serem compreendidos e praticados no ambiente organizacional. Brasília: SEBRAE, 2008.
  • [29] OLIVEIRA, S, T. Tecnologias de apoio à competitividade: programas e benefícios para as micro e pequenas empresas. Rio de Janeiro: REDETEC, 2011.
  • [30] ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OCDE). Small businesses, job creation and growth: facts, obstacles and best practices [Best Practices]. OECD, Paris, 1997. Disponível em: . Acesso em set. 2011.
  • [31] RUTHERFORD, M. Institutions in economics: the old and the new institutionalism. Cambridge University Press, Cambridge, 1994.
  • [32] _______. Institutional Economics: then and now. Journal of Economic Perspectives, v. 15, n. 3 pp. 173-194, 2001.
  • [33] SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. Coleção Os Economistas. São Paulo: Abril Cultural, 1982.
  • [34] _______. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.
  • [35] UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT (UNCTAD). Structural transformation for inclusive and sustained growth. [Trade and Development Report]. United Nations, New York and Geneva, 2016.
  • [36] YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.
Como citar:

MENDES, Heitor Soares; FERREIRA, Marta Lucia A.; HASENCLEVER, Lia; TEIXEIRA, Carlos Alberto M.; "EXTENSÃO TECNOLÓGICA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: O CASO SIBRATEC-ET REDE RJ", p. 792-811 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2017-44

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações