Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

EXPERIÊNCIA DE USO DE SERVIÇOS DE SUPERMERCADOS: ANÁLISE DE FERRAMENTAS PARA COLETA DADOS PROMOVIDAS PELO DESIGN THINKING

Demilis, Marcelo Pereira; Fialho, Francisco Antônio Pereira; Reis, Alexandre Amorim dos;

Artigo Completo:

Os serviços, ao invés de oferecer ao usuário a posse de objeto pessoal, oferece ao usuário uma experiência (MAGER, 2009), composta por três elementos: Produto (Serviço), Usuário e Contexto (MERINO e MERINO, 2014). Demilis (2015) propôs que dentro desses três elementos se encontram sete aspectos que auxiliam a compor essa experiência (físicos, estéticos, sensoriais, emocionais, motivacionais, sociais e de envolvimento), e demonstrou, por meio de entrevistas semiestruturadas com uma amostra de 150 idosos usuários do serviço de um supermercado da grande XXX, que é possível valorar esses aspectos estatisticamente para a melhor descrição da experiência de consumo do serviço, como fonte de incremento para os métodos do Design de serviços. Contudo, a entrevista é um método de coleta passível de influência de vários fatores como interpretação e veracidade das afirmações dos usuários, abordagem e interpretação do entrevistador. Por isso, percebeu-se a oportunidade do uso de uma outra ferramenta de coleta de dados, com maior grau de imersão no problema, como forma de confrontar os resultados obtidos e ter maior precisão nas afirmativas finais e maior refinamento na valoração dos aspectos da experiência de uso do serviço de supermercado por idosos. Dado isso, objetivou-se neste artigo observar a experiência sob o ponto de vista do processo de design thinking e levantar ferramentas usadas na fase de imersão desse método como possível forma de coletar o valor atribuído aos aspectos da experiência. Dessa maneira, foram levantados sete instrumentos de coleta usados por Viana et al. (2012) e concluiu-se que dois desses, utilizados para imersão em profundidade, podem vir a ser usados como técnicas finais para a coleta de informações e, em um segundo momento, confronto com os resultados obtidos por Demilis (2015).

Artigo Completo:

Palavras-chave: Design de Serviços; Gestão de Design; Experiência de uso (consumo); Design Thinking; Métodos.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/despro-ped2016-0094

Referências bibliográficas
  • [1] AVENDAÑO, Luis Emiliano Costa. Resgate do protagonismo do desenhista industrial por meio da gestão do design. Revista do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAU/USP. Nº 17, p.34 a 45. 2005.
  • [2] BROWN, Tim. Design Thinking. Harvard Business Review. p. 84-9 2008. Disponível em: http://www.ideo.com/images/uploads/thoughts/IDEO_HBR_Design_Thinking.pdf. Acessado em maio de 2015.
  • [3] BROWN, Tim. Design Thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro. Campus, 2010.
  • [4] CAMARA, J. J. D. et. al. gestão do design na concepção de novos produtos e a diferenciação metodológica . Actas de Diseño, v. 3, p. 84-87, 2007.
  • [5] CASAS, D. D.; MERINO, E. A. D. RESUMO. GESTÃO DE DESIGN & DESIGN THINKING: uma relação possível. Florianópolis: e-Revista LOGO, vol.II. 2011.
  • [6] COATES, D. Watches Tell More than Time: Product Design, Information and the Quest for Elegance. London, UK: McGraw-Hill. 2003.
  • [7] DAMAZIO, V. M. MONTALVÃO, C. Design Ergonomia Emoção. 1a. ed. Rio de Janeiro: FAPERJ / MAUAD X, 2008.
  • [8] DEMILIS, M. P. Fatores Humanos no Design de serviços: Valoração de aspectos da experiência de consumo pelo público idoso em supermercados. Florianópolis, 2015. 135 p. Dissertação (Mestrado em Design) – Programa de Pós Graduação em Design – PPGDesign, Universidade do Estado de Santa Catarina, 2015.
  • [9] DEWEY, J. Como Pensamos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 195
  • [10] DOUGLAS, M. ISHERWOOD, B. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Ed. UFRJ: Rio de Janeiro, 2006.
  • [11] FADEL, L. M. ULBRICHT, V. CASTRO NETO, M. Hipermídia e acessibilidade na era da inclusão. 1. ed. João Pessoa: Ideia, 2013.
  • [12] FERNANDES, F. R. ; BOMFIM, G. ; PLÁCIDO, J. C. . O Estado e o Design no Brasil: do estilo à ferramenta estratégica de negócios - 3ª. ed. Rio Claro: FRF Produções, v. 1. 54p . 2014.
  • [13] FREIRE, K. M. Reflexões sobre o conceito de design de experiências. Strategic Design Research Journal, v. 2, p. 37-44, 2009.
  • [14] HASDOGAN, G. The role of user models in product design for assessment of user needs. Design Studies, n.17, pp. 19-33, 1996.
  • [15] HASSENZAHL, Marc. Experience Design: Technology for All the Right Reasons. Denmark: Morgan and Claypool Publishers, 2010.
  • [16] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/ Acessado em: ago. 2015
  • [17] LOCKWOOD, Thomas. Transition: Becoming a Design Minded Organization In: ________. Design Thinking: Integrating Innovation, Customer Experience, and Brand Value. Nova Iorque: Allworth Press. Cap. 8, 65- 80p. 2010.
  • [18] MAGER, B. Service Design as an Emerging Field. In: S. Miettinen; M. Kivisto; Designing Services with Innovative Methods. Helsink: Helsinki Univesity of Art and Desig, 2009.
  • [19] MARTINS, Rosane F F ; MERINO, E. A. D. . A gestão de design como estratégia organizacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Rio Books. v. 1. 244p. 2011.
  • [20] MERINO, G. S. A. D.; MERINO, E. A. D. Design Centrado no Usuário: projetando a experiência. Florianópolis, 2014. 34 slides, color. Disponível em: https://drive.google.com/folderview?id=0Bzq-T8_vqhMhekVjS09PZkYwbnM&usp=sharing&tid=0Bzq-T8_vqhMhY3NRM3RzQVduUXc Acessado em ago. 2015.
  • [21] MORITZ, S. Service design: Practical access to an evolving field. MSc thesis, KISD. 2005.
  • [22] MUNARI, B. Das coisas nascem coisas. Martins Fontes. São Paulo. 2008.
  • [23] NIELSEN, J. Projetando websites: designing web usability . Tradução Ana Gibson. 4.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007 .
  • [24] PARASURAMAN, A. Marketing research. 2. ed. Addison Wesley Publishing Company, 1991.
  • [25] SCHMITT, B. H. Marketing Experimental: Sua empresa e suas marcas conquistando o sentir e o pensar o agir e o identificar-se dos clientes. São Paulo: Nobel, 2000.
  • [26] SLEESWIJK VISSER, F. et. al. Contextmapping: Experiences from practice. CoDesign, ano 1 (vol. 2), p.119-149. 2005.
  • [27] STICKDORN, M.; SCHNEIDER, J. This is service design thinking. Amsterdam: BIS, 2010.
  • [28] SURI, F. The experience of evolution: developments in design practice. The Design Journal, 6(2):39-48. 2003.
  • [29] VIANNA, Maurício et al. DESIGN THINKING: inovação em negócios. Rio de Janeiro: Mjv Press, 2011.
Como citar:

Demilis, Marcelo Pereira; Fialho, Francisco Antônio Pereira; Reis, Alexandre Amorim dos; "EXPERIÊNCIA DE USO DE SERVIÇOS DE SUPERMERCADOS: ANÁLISE DE FERRAMENTAS PARA COLETA DADOS PROMOVIDAS PELO DESIGN THINKING", p. 1105-1117 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 9, n. 2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-ped2016-0094

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações