Artigo - Open Access.

Idioma principal

Evolução da estrutura de interdependência tecnológica setorial da economia brasileira entre 2000 e 2014

Silva, Felipe Queiroz; Rocha, Carlos Frederico Leão;

Artigo:

Oobjetivo deste artigo é analisar a estrutura de interdependência tecnológicasetorial da economia brasileira, ou seja, a identificação da direção e daintensidade do fluxo entre os setores que mais transferem e os que mais absorvemtecnologia ou conhecimento. Essa análise compreende alguns intervalos de anosentre 2000 e 2014 e apresenta a evolução da estrutura dos fluxos tecnológicosintersetoriais da economia brasileira ao longo desse período. A análise é feitaem nível setorial e utiliza a abordagem metodológica de insumo-produto eanálises de redes para a construção de matrizes de fluxos tecnológicos baseadosem gastos de P&D incorporados nas transações de bens de consumointermediário e bens de capital entre os setores econômicos. Dentre osresultados encontrados, verifica-se que a estrutura de interdependênciatecnológica setorial da economia brasileira entre 2000 e 2014 apresentou maisestabilidade do que modificações ao longo do tempo. A indústria química sedestaca como setor-chave em termos de transbordamentos tecnológicosincorporados em bens de consumo intermediário para seus setores usuários,enquanto a indústria de máquinas e equipamentos se destaca nos transbordamentostecnológicos incorporados nos bens de capital. Já a absorção tecnológica apresentouuma estrutura mais dispersa entre os setores.

Artigo:

Palavras-chave: Interdependência Tecnológica Setorial; Inovação; Fluxos Tecnológicos,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-51

Referências bibliográficas
  • [1] ANDERSEN, E. S. Approaching national systems of innovation from the production and linkage structure. In: LUNDVALL, B. A. National systems of innovation: toward a theory of innovation and interactive learning. London: Anthem Press: 2010. ARCHIBUGI. D. In search of a useful measure of technological innovation (to make economists happy without discontenting technologists). Technological Forecasting and Social Change, v. 34, p. 253-277, 1988. DREJER, I. Comparing patterns of industrial interdependence in national systems of innovation: a study of Germany, the United Kingdom, Japan and the United States. Economic Systems Research, v. 12, n. 3, p. 377-399, 2000. DÜRING, A.; SCHNABL, H. Imputed interindustry technology flows: a comparative SMFA analysis. Economic System Research, v. 12, n. 3, p. 363-375, 2000. GRIJÓ, E. BÊRNI, D.A. Metodologia completa para a estimativa de matrizes de insumo-produto. Teoria e evidência econômica, v. 14, n. 26, p. 9-42, 2006. GRILICHES, Z. Issues in Assessing the Contribution of R&D to Productivity Growth. Bell Journal of Economics, v. 10, n. 1, p. 92-116, 1979. GUILHOTO, J. J. M.; SESSO FILHO, U. A. Estimação da matriz insumo-produto a partir de dados preliminares das Contas Nacionais. Economia Aplicada, v. 9, n. 2, p. 277-299, 2005. IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTATÍSTICA E GEOGRAFIA. Matriz de Insumo-Produto: Brasil: 2010. Coordenação de Contas Nacionais. Rio de Janeiro: IBGE, 2016a. IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTATÍSTICA E GEOGRAFIA. Pesquisa de Inovação: 2014. Coordenação de Indústria. Rio de Janeiro: IBGE, 2016b. LEONCINI, R.; MAGGIONI, M. A.; MONTRESOR, S. Intersectoral innovation flows and national technological systems: network analysis for comparing Italy and Germany. Research Policy, v. 25, n. 3, p. 415-430, 1996. LEONCINI, R.; MONTRESOR, S. Technological systems and intersectoral innovation flows. Cheltenham: Edward Elgar, 2003. LUNDVALL, B. A. Innovation as an interactive process: from user-producer interaction to the national system of innovation. In: DOSI, G., FREEMAN, C., NELSON, R., SILVERBERG, G e SOETE, L. Technical change and economic theory, Pinter, London, 1988. LUNDVALL, B. A.; JOHNSON, B.; ANDERSEN, E. S.; DALUM, B. National systems of production, innovation and competence building. Research Policy, v. 31, p. 213-231, 2002. MILLER, R. E.; BLAIR, P. D. Input-output analysis: foundations and extensions. 2 ed. New York: Cambridge University Press, 2009. MALERBA, F. Sectoral systems of innovation and production. Research Policy, v. 31, p. 247-264, 2002. MARENGO, L.; STERLACCHINI, A. Intersectoral technology flows: methodological aspects and empirical applications. Metroeconomica, v. 41, n. 1, p. 19-39, 1990. MARTINEZ, T. S. Método RAWS/RAW para estimação anual da Matriz de Insumo-Produto na referência 2000 das Contas Nacionais. Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Brasília, Rio de Janeiro: IPEA, 2015. MIGUEZ, T. de H. L. Evolução da Formação Bruta de Capital Fixo na Economia Brasileira 2000-2013: Uma Análise Multissetorial a partir das Matrizes de Absorção de Investimento (MAIS). 2016. 155 f. Tese de Doutorado - Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016. MOMIGLIANO, F.; SINISCALCO, D. Technology and international specialization. BNL Quarterly Review, n. 150, p. 257-284, 1984. PAPACONSTANTINOU, G.; SAKURAI, N.; WYCKOFF, A. Domestic and international product-embodied R&D diffusion. Research Policy, v. 27, p. 301-314, 1998. PASSONI, P. A.; FREITAS, F. Estrutura produtiva e indicadores de encadeamento na economia brasileira entre 2010 e 2014: uma análise multissetorial baseada no modelo insumo-produto. In: 45º Encontro Nacional de Economia. Natal: ANPEC, 2017. PAVITT, K. Sectorial patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, n. 6, p. 343-373, 1984. ROSENBERG, N. Technological interdependence in the American economy. Technology and Culture, v. 20, n. 1, p. 25-50, 1979. SCHNABL, H. The evolution of production structures, analyzed by a multi-layer procedure. Economic Systems Research, v. 6, n. 1, p. 51-68, 1994. SCHNABL, H. The subsystem-MFA: a qualitative method for analyzing national innovation systems - the case of Germany. Economics Systems Research, v. 7, n. 4, p. 383-396, 1995. SCHMOOKLER, J. Invention and economic growth. Harvard: Harvard University Press, 1966. SCHERER, F. M. Inter-industry technology flows and productivity growth, Review of Economics and Statistics, v. 64, p. 627-634, 1982.
Como citar:

Silva, Felipe Queiroz; Rocha, Carlos Frederico Leão; "Evolução da estrutura de interdependência tecnológica setorial da economia brasileira entre 2000 e 2014", p. 905-925 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-51

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações