Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Eu acho é muito amor: O ano em que o Eu Acho é Pouco se vestiu de Bajado

I think it’s too much love: the year that ‘Eu Acho É Pouco’ dressed as Bajado

Santana, Rafael; Miranda, Eva Rolim;

Artigo completo:

Este artigo toma como unidade de análise uma estampa carnavalesca desenvolvida pela agremiação brasileira Eu Acho é Pouco em homenagem ao artista popular Bajado (1912-1993). Considerando o objeto de estudo um artefato da cultura material, este estudo em memória gráfica utilizou ferramentas do design da informação para a análise visual. Constatou-se que o discurso gráfico sintetizou figurativamente as duas grandezas semânticas e as articulou em pesos hierárquicos equânimes favorecendo um protagonismo solidário entre elas. O procedimento metodológico seguiu os seguintes passos: (1) levantamento historiográfico; (2) definição das ferramentas orientadoras da análise; (3) análise do artefato visual: produção e linguagem gráfica; (4) inferências sobre a significação.

Artigo completo:

This article takes as a unit of analysis a carnival print developed by the Brazilian association Eu Acho é Pouco in tribute to the popular artist Bajado (1912-1993). As a visual artifact belonging to material culture, this graphic memory study was based on the visual analysis tools of information design. It was found that the graphic discourse figuratively synthesized the two semantic greats and articulated them in equal hierarchical weights favoring a protagonism of solidarity between them. The methodological procedure followed the following steps: (1) historiographic survey; (2) definition of tools to guide the analysis; (3) visual artifact analysis: production and graphic language; (4) inferences about signification.

Palavras-chave: memória gráfica, linguagem gráfica, design da informação, carnaval,

Palavras-chave: graphic memory, graphic language, information design, carnival,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-5.0219

Referências bibliográficas
  • [1] Ashwin, C. (1979). The Ingredients of Style in Contemporary Illustration: A case study. In Information Design Journal, 1(1), pp. 51–67.
  • [2] Calheiros, I. (2019). In VERAS, Luciana. Eu acho é pouco: o carnaval em vermelho e amarelo – Recife: Zoludesign.
  • [3] Bertin, J. (2010). Semiology of Graphics. University of Wisconsin Press, Madison,Wisconsin.
  • [4] Córdula, R. (2013). Olinda: Utopia do olhar. Recife : Fundarpe.
  • [5] Coutinho, S. (2011). In: Imagens comerciais de Pernambuco: Ensaios sobre os efêmeros da Guaianases/ org. Silvio Barreto Campelo, Isabela Aragão. – Recife: Néctar.
  • [6] Cuentro, J. (1985). Bajado, um artista de Olinda. – Olinda: Fundação centro de preservação dos sítios históricos de Olinda.
  • [7] DIÁRIO DE PERNAMBUCO. 1981a. Recife, 22 fev. Carnaval, p.A-20. In: , 11/04/2019.
  • [8] DIÁRIO DE PERNAMBUCO. 1981b. Recife, 25 fev. Carnaval, p.A-11. In: , 11/04/2019.
  • [9] Farias, P., & Braga, M. C. (2018). Dez ensaios sobre memória gráfica. - São Paulo: Blucher.
  • [10] Fausto, B. (2015). História concisa do Brasil. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.
  • [11] Lima G. C., Lima E. C., Barros, H., & Lessa, W. D. (2016). Rótulos cromolitográficos brasileiros: efêmeros, memória gráfica, cultura material e identidade nacional. In:.Revista Brasileira de Design da Informação / Brazilian Journal of Information Design. São Paulo, 13(3), [2016], p. 199 – 213.
  • [12] Meneses, U. T. B. (2003). Fontes visuais, cultura visual, História visual. Balanço provisório, propostas cautelares. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, 23(45), pp. 11-36.
  • [13] Mijksenaar, P. (1997). Visual Function: An Introduction to Information Design. Princeton Architectural Press.
  • [14] Prado, G. (1997). Bajado. – Recife: Cepe.
  • [15] SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA. 1972. In Relatório Brasil Nunca Mais, 710 processos do STM, Acervo do Conselho Mundial de Igrejas e Documentos da Comissão Justiça e Paz. In: , 14/04/2019.
  • [16] Twyman, M. (1979). A Schema for the Study of Graphic Language. KOLERS, P.A. & WROSTAD, M.E. & BOUMA, H. (Eds.), In: The Processing of Visible Language, vol. 1, Plenum, New York, pp. 117–150. 1979.
  • [17] __________ . 1982. The graphic presentation of language. In: Information Design Journal, 3/1,
  • [18] pp. 2-22.
  • [19] __________. 1985. Using pictorial language: a discussion of the dimensions of the problem. In T. M. Dufty and R. Waller (eds.) Designing usable texts. Orlando, Florida: Academic Press, p. 245-312.
  • [20] Veras, L. (2019). Eu acho é pouco: o carnaval em vermelho e amarelo – Recife: Zoludesign.
  • [21] Woodward, I. (2007). Understanding Material Culture. Londres: Sage Publications.
Como citar:

Santana, Rafael; Miranda, Eva Rolim; "Eu acho é muito amor: O ano em que o Eu Acho é Pouco se vestiu de Bajado", p. 2319-2333 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-5.0219

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações