Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

ESTUDO DA MATRIZ DAS PRÁTICAS DE ECODESIGN E POLÍTICAS PÚBLICAS DE DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS, NO CASO DO IMPACTO DA

YOSHIYASSE, Ciro; ANDRADE, Bruna; MATOS, Ederson; FRANIECK, Erwin; HERNÁNDEZ, Francisco del Moral; BECKER, Roberto; ARRUDA, Theophilo;

Artigo Completo:

Este trabalho pretende estudar a matriz obtida pela análise das relações e consequências das estratégias do Ecodesign quanto a destinações de resíduos, em um cenário determinado de inovação e mudança de modo de consumo. O projeto de produto guarda em sua estratégia original, características irreversíveis que determinam sua destinação quando do final de vida do produto, exemplos: o que foi concebido para compostagem não será reciclado senão com grande consumo de energia e complexo manuseio ou, o que foi desenhado para uso contínuo poderá ter índices de toxicidade acima do recomendável. Os diversos graus de compatibilidade entre ações de produto e repercussão no resíduo oscilam da completa adequação variando até o oposto, gerando gradações intermediárias de equacionamento complexo para as políticas públicas. Submetendo a matriz a um cenário de mudanças, aponta-se uma reorientação da base de seleção de materiais conhecidos: recicláveis, tóxicos, termo recicláveis, biodegradáveis etc. Tal cenário, de busca da superação da mobilidade de base fóssil, é aliada a possível mudança no comportamento do consumidor; com a desmaterialização do produto enquanto bem privado, em função da preferência pelo uso, um fenômeno no transporte individual urbano baseado na “economia compartilhada”, - teríamos então o consumo orientado para uso público reposicionando a visão de duração do ciclo de vida do produto, que resulta na reclassificação dos bens de consumo (duráveis, semiduráveis, não duráveis) para uma perspectiva de “economia circular”.

Artigo Completo:

Palavras-chave: economia circular,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/engpro-simea2017-36

Referências bibliográficas
  • [1] CONTI, L. Ecologia Trabalho e Ambiente. ed. São Paulo: Hucitec, 1986.
  • [2] RIBEIRO, F.M.; KRUGLIANSKAS, S. A Economia Circular no contexto europeu: Conceito e potenciais de contribuição na modernização das políticas de resíduos sólidos. Anais do XVI Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente (ENGEMA). São Paulo, 2014.
  • [3] LAYARGUES, P. O Cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental; In: LOUREIRO, C.F.B., LAYRARGUES, P.P. & CASTRO, R. de S. (Eds.) Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. p. 179- 219. São Paulo: Cortez. 2002.
  • [4] HOEKSTRA, A.Y.; CHAPAGAIN, A. K.; ALDAYA, M. M. & and MEKONNEN, M. M. The Water Footprint Assessment Manual London(UK), Washington DC(USA). Earthscan, 2011.
  • [5] SEVA FILHO, A. O. Para combater a poluição, pense globalmente dentro e fora da fábrica, equacione rigorosamente a matéria e a energia. pp. 9 a 23 , apresentação do livro de SILVA LORA, Electo “Prevenção e controle de poluição nos setores Energético, Industrial e de Transportes”, Edit. Interciência, R.J., 2002.
  • [6] SILVA LORA, E. Prevenção e controle de poluição nos setores Energético, Industrial e de Transportes”, Editora Interciência, R.J., 2002.
  • [7] DEAN, W. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. 1. ed. São Paulo: Cia. das Letras, 2004.
  • [8] HEMERY, D.; DEBIER, J.C.; DELEAGE, J. P. Uma História da Energia. Editora Universidade de Brasília, DF. 1986.
  • [9] ASHBY, Michael F.; JOHNSON, Kara. Materiais e design: arte e ciência da seleção de materiais no design de produto. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.
  • [10] DA ROSA, A.V. Fundamentals of Renewable Energy Processes, ELSEVIER, 2005. [11] Renewable Energy Focus Handbook, Academic Press Elsevier, 2009.
  • [11] [12] BRASKEN . Catálogo http://www.braskem.com.br/Portal/Principal/Arquivos/Download/Upload/Catalogo_PE_Verde.pdf
  • [12] [13] MARTINEZ ALIER, J. ; JUSMET, J.R., Economia Ecologica y Politica Ambiental. 2a.ed Mexico: Fondo de Cultura Econômica, 2001.
  • [13] [14] DAVIS, G. F. What Might Replace the Modern Corporation? Uberization and the Web Page Enterprise. Seattle University Law Review .Vol. 39-2: 501-515. 2016.
  • [14] [15] SUNDARARAJAN, A. The Sharing Economy: the end of employment and the rise of crowd-based capitalism. Cambridge, MA: MIT Press. 2016.
  • [15] [16] ELLEN MACARTHUR FOUNDATION . Rumo à economia circular: o racional de negócio para acelerar a transição. 20
  • [16] [17] ELLEN MACARTHUR FOUNDATION. Growth Within; a circular economy vision for a competitive Europe. SUN, McKinsey & Co. 2015.
  • [17] [18] ELLEN MACARTHUR FOUNDATION. Uma Economia Circular no Brasil: Uma abordagem exploratória inicial. 20
  • [18] [19] ISO 14040:2006 . Environmental management -- Life cycle assessment -- Principles and framework.
  • [19] [20] YOSHIYASSE, C.S.; GARCIA, F. P.; DEDDING, R.; CAIRES, T.; SILVA, V. DESENVOLVIMENTO DE MOTOR ELÉTRICO BASEADO EM INDICADORES EMBODIED ENERGY COMO REFERÊNCIA DE PROJETO VIÁVEL E SUSTENTÁVEL. In Anais do Simpósio de Engenharia Automotiva (SIMEA), 2010.
  • [20] [21] YOSHIYASSE, C.; Mascota, D.; Ferreira, H.;, SERVOS, P.; BECKER, R. Avaliação energética do uso do CCA (Cinza de Casca de Arroz) como alternativa de carga mineral na produção de defletores de ar. Uma reflexão sobre o Plano Nacional de Resíduos Sólidos. In Anais do Simpósio de SAE, 2012.
  • [21] [22] RIBEIRO, D.V.. Resíduos: problema ou oportunidade? Rio de Janeiro: Interciência, 2009.
  • [22] [23] BRASIL. Lei n. 12.305 de 2012- Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília.
  • [23] [24] ASHBY, M.F. Materials and the Environment: EcoInformed Material Choice. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2009.
  • [24] [25] CARMO, R.L.; OJIMA, A.L.R.O.; OJIMA, R.; NASCIMENTO, T.T. Água virtual, escassez e gestão: O Brasil como grande “exportador” de água. Ambiente & Sociedade. Campinas v. X, n. 1 p. 83-96. 2007.
  • [25] [26] YOSHIYASSE, C. S.; GARCIA, F. Design sustentável. In Anais do Simpósio de Engenharia Automotiva (SIMEA), 2009
  • [26] [27] MARTINS, E. Contabilidade de custos. Editora Atlas, SP. 2010.
Como citar:

YOSHIYASSE, Ciro; ANDRADE, Bruna; MATOS, Ederson; FRANIECK, Erwin; HERNÁNDEZ, Francisco del Moral; BECKER, Roberto; ARRUDA, Theophilo; "ESTUDO DA MATRIZ DAS PRÁTICAS DE ECODESIGN E POLÍTICAS PÚBLICAS DE DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS, NO CASO DO IMPACTO DA ", p. 477-496 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/engpro-simea2017-36

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações