Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Estruturando uma metodologia para analisar a ressignificação como ferramenta estratégica do design

Structuring a methodology to analyze resignification as a strategic design tool

Belchior, Camilo; Ribeiro, Rita Aparecida da Conceição;

Artigo Completo:

Várias inovações atreladas ao design estão sendo desenvolvidas ao longo de décadas e muitas estão ligadas direta ou indiretamente a questões da significação, ou melhor, à relação de sentidos ou significados que atribuímos aos objetos, artefatos ou as coisas de um modo geral. Pensar que, se podemos atribuir sentidos, podemos também alterá-los de sua significação inicial, nos abre um leque infinito de possibilidades para o design. Neste contexto, ressignificar é proporcionar um novo sentido ao objeto, alterando seu conceito, sua percepção ou interpretação original. É tornar o objeto coerente para o sujeito, sob novo ponto de vista, transformando-o para o contexto vigente. Refletir sobre esta questão nos levou a acreditar que a ressignificação possa ser também entendida como uma ferramenta para o design, atribuindo-lhe mais elementos estratégicos. O estudo da ressignificação como ferramenta estratégica do design é o tema central da tese de doutorado de Camilo Belchior e este artigo versa sobre como foi estruturada a metodologia do seu trabalho. Portanto, pretendemos trabalhar nas possibilidades de intervenção do design, usando a ressignificação de forma estratégica para atuar na autoestima destas crianças portadoras de algum tipo de deficiência física, nos seus familiares e seus cuidadores (profissionais de reabilitação). Nossa proposta é pensar em outro tipo de atuação do design, no campo das práticas de inclusão social, voltado à construção de artefatos que são indispensáveis às pessoas com deficiências, ressignificando estes artefatos (estabilizadores, andadores, muletas, cadeiras de roda, órteses, etc), promovendo assim o aumento da autoestima de seus usuários, familiares, bem como dos profissionais que lidam diariamente com estas crianças.

Artigo Completo:

Various innovations linked to the design have been developed over decades and many are linked directly or indirectly to questions of meaning, or rather the relation of meaning or meanings we attach to objects, artifacts or things in general. To think that if we can assign meanings, we can also change them from their initial meaning, opens up an infinite range of possibilities for design. In this context, re-meaning is to provide a new meaning to the object by changing its concept, its original perception or interpretation. It is to make the object coherent for the subject, under a new point of view, transforming it into the current context. Reflecting on this issue has led us to believe that redetermination can also be understood as a tool for design, giving it more strategic elements. The study of resignification as a strategic design tool is the central theme of Camilo Belchior's doctoral thesis and this article deals with how the methodology of his work was structured.

Palavras-chave: Ressignificação; Design; Significação; Estratégia; Percepção,

Palavras-chave: Ressignification; Design; Meaning; Strategy; Perception,

DOI: 10.5151/cid2017-37

Referências bibliográficas
  • [1] BAUDRILLARD, Jean. O sistema dos objetos. São Paulo: Perspectiva, 2006.
  • [2] BROWN, Tim. Design thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
  • [3] CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo: Cosac Naify, 201
  • [4] DAVIS, Melinda. A nova cultura do desejo. Tradução Eliane Fraga e Sylvio Gonçalvez. Rio de Janeiro: Record, 2003.
  • [5] FORTY, Adrian. Objeto de desejo: design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
  • [6] GOBÉ, Marc. Brandjam: o design emocional na humanização das marcas. Rio de Janeiro: Roco, 2010.
  • [7] HOBSBAWM, Eric. A era do capital, 1848 – 1875. São Paulo: Paz e Terra, 2016.
  • [8] LIPOVETSKY, Gilles. A estetização do mundo: Viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
  • [9] McCRACKEN, Grant. Cultura e Consumo II: mercados, significados e gerenciamento de marca. Rio de Janeiro: Muad, 2012.
  • [10] MAZOTA, Brigitte Borja de. Gestão do design: usando o design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman, 2011.
  • [11] MOLES, Abraham. Teoria dos objetos. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1981.
  • [12] NORMAN, Donald A. Design emocional: por que adoramos (ou detestamos) os objetos do dia-a-dia. Tradução Ana Derió. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.
  • [13] OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia científica. São Paulo: Pioneira, 2001.
  • [14] PEVSNER, Nikolaus. Origens da arquitetura moderna e do design. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
  • [15] SUDJIC, Deyan. A linguagem das coisas. Tradução Adalgisa C. Silva. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2010.
  • [16] THOMPASON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
  • [17] ZURLO, Francesco. Entrevista. São Leopoldo, 2006. Disponível em: . Acesso em: 08 jan. 2010.
  • [18] VERGANTI, Roberto. Design-driven innovation: mudando as regras da competição – a inovação radical do significado de produtos. São Paulo: Canal Certo, 2012.
Como citar:

Belchior, Camilo; Ribeiro, Rita Aparecida da Conceição; "Estruturando uma metodologia para analisar a ressignificação como ferramenta estratégica do design", p. 425-433 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-37

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações