Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Estratégias de explicações visuais em infográficos de saúde

Visual explanatory strategies for health information in infographics

Andrade, Rafael de Castro; Spinillo, Carla Galvão;

Artigo completo:

As estratégias visuais de explicação podem ser um auxílio aos infografistas iniciantes no processo de produção de infográficos de saúde. Apesar da literatura apresentar algumas estratégias de representações visuais abrangentes, carece o levantamento de estratégias que contemplem características das explicações de saúde. Neste sentido, o presente artigo busca levantar as estratégias de explicação utilizadas em infográficos de saúde encontrados em veículos jornalísticos. Para tal, foi realizada uma análise comparativa de caráter qualitativo em 40 infográficos, publicados entre 2006 e 2017 em jornais e revistas no Brasil com a temática de saúde. A análise ocorreu em duas fases, em uma primeira, buscou-se categorizar estes infográficos de acordo com o tipo de explicação dominante, já em uma segunda fase foram observados os componentes gráfico-informacionais destes infográficos. As categorias encontradas foram: Fenômenos do organismo (n=13); Doenças (n=10); Procedimentos médicos (n=9); Lesões e ações de agentes externos (n=5) e efeito de substâncias no organismo (n=3). Os principais componentes gráfico-informacionais foram: passo a passo (n=30), diagrama do corpo humano (n=20), imagem sinóptica (n=17) e gráfico de tempo (n=4). Também foram identificadas convenções de desenho: corte seccional (n=33), lupa/raio-x (n=26), perspectiva forçada (n=15) e sobreposição/interação de fotografia (n=3). E o uso dos seguintes tipos de desenho: desenho realista (n=31) e desenho de esquemas (n=28). Por fim, as principais estratégias de representação visual na infografia de saúde identificadas foram: apresentar sequência, apresentar simultaneidade, mostrar internamente, localizar no corpo humano e indicar o funcionamento.

Artigo completo:

Visual explanatory strategies can be an aid to beginner infographists in the design of health infographics. Although, literature presents some incipient strategies of visual representations, that not embrace health explanations due to particular characteristics of the field. In this sense, this paper seeks to raise explanatory strategies used in health infographics found in journalistic press media. For that, a comparative qualitative analysis was carried out in 40 infographics, published in Brazillian newspapers and magazines about health between 2006 and 2017. The analysis took place in two phases, in the first one, we categorize these infographics according to the type of dominant explanation. In the second, we observe the graphical-informational components. The categories found were: Organism phenomena (n = 13); Diseases (n = 10); Medical procedures (n = 9); Injuries and actions of external agents (n = 5) and substance effect in the organism (n = 3). The main graphic-informational components: step by step (n = 30), human body diagram (n = 20), synoptic image (n = 17) and time graph (n = 4). Drawing conventions were also identified: sectional cut (n = 33), magnifying glass / x-ray (n = 26), forced perspective (n = 15) and photo overlay / interaction (n = 3). And the use of the following drawing types: realistic drawing (n = 31) and schematic drawing (n = 28). Finally, the main strategies of visual representation in the health infographics identified were: present sequence, present simultaneity, show internally, locate in the human body, and indicate the functioning.

Palavras-chave: Infografia, saúde, estratégias de explicações visuais,

Palavras-chave: Infographics, health, visual explanatory strategies,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-1.0397

Referências bibliográficas
  • [1] Andrade, R. C. (2014) Infográficos animados e interativos em saúde Um estudo sobre a compreensão de notícias. Dissertação (Mestrado em Design) – UFPR.
  • [2] Arcia, A; Tejeda, N.; Bales, M. E.; Merrill, J. A.; Woollen, J.; Bakken, S. (2016) Sometimes more is more: Iterative participatory design of infographics for engagement of community members with varying levels of health literacy. Journal of the American Medical Informatics Association, v. 23, n. 1, p. 174–183.
  • [3] Barnes, S. R. (2017) Examining the processes involved in the design of journalistic information graphics: an exploratory study. Journal of Visual Literacy, v. 36, n. 2, p. 55–76. Disponível em: .
  • [4] Cairo, A.(2008) Infografía 2.0: visualización interactiva de información en prensa. Madrid: Alamut.
  • [5] Engelhardt, Y. (2002). The language of graphics. Amsterdam: Sewn.
  • [6] Escobar, B. T. (2018) Infográficos de saúde em EAD na UNASUS-UFMA : um enfoque de gestão de design. Dissertação (Mestrado em Design) – UFPR, Curitiba.
  • [7] Fassina, U. (2011) A infografia como recurso comunicacional no processo de aquisição de informação e compreensão de tipografia . Dissertação (Mestrado em Comunicação Visual) – Universidade Estadual de Londrina, Centro de Educação, Comunicação e Artes, Londrina.
  • [8] Kanno, M.(2013) Infografe: como e porque usar infográficos para criar visualizações e comunicar de forma imediata e eficiente. Eletrônica. ed. São Paulo: Infolide.com.
  • [9] Katz, J.(2012) Designing Information. 1. ed. New York: John Wiley & Sons Inc.
  • [10] Kibar, P. N.; Akkoyunlu, B. (2017) Fostering and assessing infographic design for learning: the development of infographic design criteria. Journal of Visual Literacy, v. 36, n. 1, p. 20–40. Disponível em: .
  • [11] Lankow, J.; Ritchie, J.; Crooks, R.(2012) Infographics: The power of visual storytelling. New Jersey: John Wiley & Sons.
  • [12] Lapolli, M.; Vanzin, (2016). T. Infografia na era da cultura visual. Florianópolis: Pandion.
  • [13] Lima.R.C. (2015) O que é infografia jornalística? InfoDesign - Revista Brasileira de Design da Informação, v. 12, n. 1, p. 111–127. Disponível em: .
  • [14] Meyer, E. (1997) Designing infographics. Indianapolis: Hayden Books.
  • [15] Miranda, F. Andrade, R. C. (2017) Pensar Infográfico: uma proposta de ensino introdutório de infografia sob a perspectiva da linguagem gráfica. v. 3, p. 374–396.
  • [16] Moraes, A.(2013) Infografia – História e Projeto. Blucher, p.90.
  • [17] Netter, F. (1978) CIBA collection of medical illustrations. Summit, N.J.: CIBA Pharmaceutical Co.
  • [18] Redish, J.; Felker, D. (1981). Evaluating the effects of document design principles. Information Design Journal, v. 4, p. 236–243.
  • [19] Roam, D. (2012). Desenhando negócios: como desenvolver ideias com o pensamento visual e vencer nos negócios. Elsevier.
  • [20] Spinillo, C. G. (2000). An analytical approach to procedural pictorial sequences. Tese (Doutorado em Tipografia e Comunicação Gráfica)- Department of Typography Andamp; Graphic Communication, The University of Reading.
  • [21] Teixeira, C. C. C. (2014) Criatividade, Design Thinking e Visual Thinking e sua relação com o universo da infografia e da visualização de dados. 2014. PUC-Rio.
  • [22] Thomas, M. V. (2015) Proposição de processo de design para infográficos interativos com fins educacionais. Dissertação, UFRGS.
  • [23] Twyman, M.(1985) Using Pictorial Language: A Discussion of the Dimensions of the Problem. In: Duffy, T. M.; Waller, R. (Org.). Designing usable texts. 1. ed. [S.l.]: Academic Press. p. 245–311.
Como citar:

Andrade, Rafael de Castro; Spinillo, Carla Galvão; "Estratégias de explicações visuais em infográficos de saúde", p. 426-440 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-1.0397

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações