Artigo - Open Access.

Idioma principal

Estratégia e Teoria Evolucionária – elementos para um debate teórico

Barcelos, Renata; Barbosa, Allan Claudius Queiroz;

Artigo:

O presente artigovisa discutir como a teoria evolucionária pode contribuir para a estratégiaempresarial fornecendo uma base teórica para além das visões individuais da VBR– visão baseada em recursos – e da economia industrial, as quais sãoreconhecidas no campo da Administração como paradigmas concorrentes. Além deenglobar simultaneamente as ideias dessas correntes teóricas diante domecanismo de seleção ambiental, a teoria evolucionária oferece elementos quevão além dos recursos e da visão setorial, incorporando tanto o papel de instituiçõesquanto do indivíduo decisor pautado pela racionalidade limitada. Um modelo depensamento estratégico mais fluido é proposto a partir da substituição dacompetitividade pela adaptação enquanto a complexidade que pauta a relaçãoentre a estratégia e o desempenho elimina a ideia de linearidade entre eles ecoloca as capacidades dinâmicas como condições centrais mais não necessáriasnem suficientes para a perenidade das empresas, dependendo da dinâmicaambiental. São propostas algumas mudanças significativas para os estudos daestratégia, tais como a substituição de vantagens competitivas por vantagensadaptativas, a definição de janelas estratégicas e uma maior valorização deelementos externos à firma como elementos fundamentais ao desempenho. 

Artigo:

Palavras-chave: teoria evolucionária, inovação, capacidades dinâmicas, estratégia empresarial, teoria da firma,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-35

Referências bibliográficas
  • [1] ALCHIAN, Armen A. Uncertain, Evolution and Economic Theory. Journal of Political Economy, v. 58, n. 3, p. 211–2121, 1950. BARCELOS, Renata. A dinâmica das capacidades - elementos para a gestão estratégica à luz da teoria evolucionária. Revista Eletrônica Gestão e Sociedade, v. 11, n. 30, p. 1934–1962, 2017. BARNEY, J. Firm Resources and Sustained Competitive Advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99–120, 199 BENNETT, Nathan; LEMOINE, G. James. What VUCA really means for you. Harvard Business Review, n. JAN-FEB, 2014. CALDAS, Silvio Borrero. The pendulum swings again: critical notes on the resource-based view. Cuadernos de Administración (Universidad del Valle), n. 44, p. 11–23, 2010. Disponível em: . DANNEELS, Erwin. THE DYNAMICS OF PRODUCT INNOVATION AND FIRM COMPETENCES. v. 1121, n. September, p. 1095–1121, 2002. DOSI, Giovanni; NELSON, Richard R.; WINTER, Sidney G. The Nature and Dynamics of Organizational Capabilities. New York: Oxford University Press, 2000. DRNEVICH, Paul L.; KRIAUCIUNAS, Aldas P. Clarifying the conditions and limits of the contributions of ordinary and dynamic capabilities to relative firm performance. Strategic Management Journal, v. 32, p. 254–279, 201 DRUCKER, Peter F. Administrando em Tempos de Grandes Mudanças. São Paulo: Pioneira, 1995. EISENHARDT, K.M.; MARTIN, J.A. Dynamic capabilities: what are they? Strategic Management Journal, v. 21, n. 10–11, p. 1105–1121, 2000. Disponível em: . FELIN, Teppo et al. Microfoundations of Routines and Capabilities : Individuals , Processes , and Structure. n. December, 2012. FREEMAN, R. Edward et al. Stakeholder Theory. New Haven: Cambridge University Press, 2010. FREEMAN, R. Edward. Stakeholder Theory of the Modern Corporation. Perspectives in Business Ethics Sie, v. 3, 200 Disponível em: . HELFAT, Constance E et al. Dynamic Capabilities. Oxford: Blackwell Publishing, 2007. HOSKISSON, Robert E; HITT, Michael A. Theory and research in strategic management : swings of a pendulum. Journal of Management, v. 25, n. 3, p. 417–456, 1999. MAKKONEN, Hannu et al. Dynamic capabilities and firm performance in a financial crisis. Journal of Business Research, adaptacaocomportamento adaptativofirma como ator que se adapta dentro dos limites de seus recursos e capacidadesaptidao ao ambiente, v. 67, n. 1, p. 2707–2719, 2014. Disponível em: . MARTIN, John D; SAYRAK, Akin. Corporate diversification and shareholder value: a survey of recent literature. Journal of Corporate Finance, v. 9, n. 1, p. 37–57, 2003. NELSON, Richard R.; WINTER, Sidney G. Uma Teoria Evolucionária da Mudança Econômica. Campinas: UNICAMP, 2005. OCASIO, William. TOWARDS AN ATTENTION-BASED VIEW OF THE FIRM. Strategic Management Journal, v. 18, n. Summer Special Issue, 1997. PENG, M. W. et al. The Institution-Based View as a Third Leg for a Strategy Tripod. Academy of Management Perspectives, v. 23, n. 3, p. 63–81, 2009. Disponível em: . PENROSE, Edith. Teoria do Crescimento da Firma. Campinas: Editora da Unicamp, 2006. PORTER, Michael. Estrategia Competitiva. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1986. SCHERER, F. M; ROSS, David. Industrial Market Structure and Economic Performance. [S.l: s.n.], 1990. SCHUMPETER, Joseph A. Teoria do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1997. SIMON, Herbert A. Administrative Behavior. 3. ed. New York: [s.n.], 1976. TALEB, Nassim Nicholas. A Lógica do Cisne Negro. Rio de Janeiro: Best Seller, 2009. TEECE, David; PISANO, Gary; SHUEN, Amy. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, v. 18, n. 7, p. 509–533, 1997. Disponível em: . VOLBERDA, Henk W; VAN BRUGGEN, G.H. Environmental Turbulence: A Look into its Dimensionality. . [S.l: s.n.], 1997. WANG, Catherine L; AHMED, Pervaiz K. Dynamic Capabilities : A Review and Research Agenda. The International Journal of Management Reviews, tres tipos de capacidade: absortiva, v. 9, n. 2007, p. 31–51, 2007. WINTER, Sidney G. Understanding dynamic capabilities. Strategic Management Journal, v. 24, n. 10 SPEC ISS., p. 991–995, 2003. ZAHRA, Shaker A; SAPIENZA, Harry J; DAVIDSSON, Per. Entrepreneurship and Dynamic Capabilities : A Review , Model and Research Agenda *. Journal of Management Studies, temporalidadetempo da realizacao das capacidades dinamicas, v. 43, n. June, 2006.
Como citar:

Barcelos, Renata; Barbosa, Allan Claudius Queiroz; "Estratégia e Teoria Evolucionária – elementos para um debate teórico", p. 630-643 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-35

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações