Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

Empresas de biotecnologia e biociências no Brasil: um panorama

ALVES, Nathalia; VARGAS, Marco Antônio; BRITTO, Jorge;

Artigo Completo:

O objetivo artigo é apresentar um panorama sobre as empresas de biotecnologia e biociências constituídas sob o modelo de empreendimentos intensivos em conhecimento no Brasil, através da sistematização de resultados provenientes de trabalhos e pesquisas de campo encontrados na literatura técnica e acadêmica. Busca-se, ainda, a identificação e o mapeamento de empresas de biotecnologia que possuem aplicações no segmento de saúde humana, removendo um importante gargalo para o desenvolvimento de estudos voltados à micro e pequenas empresas de base tecnológica no segmento de fármacos e medicamentos biológicos. A análise está baseada em dados provenientes dos estudos: Bianchi (2013); ABDI (2012); CEBRAP e BRBIOTEC (2011); Biominas e PwC (2011); Biominas (2009); Razaie et al (2008); Biominas (2007); Biominas (2001) e Miglioli (2014). Foram utilizados também dados extraídos do Censo 2010 do Diretório dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), dos diretórios de empresas de biociências elaborados por Biominas e PwC (2011) e Biominas e SEBRAE (2014) e das páginas institucionais de empresas e incubadoras.

Artigo Completo:

The paper aims to present an overview of the biotechnology and bioscience companies established under the Knowledge-Intensive Entrepreneurship model in Brazil. It also aims to map Brazilian Biotechnology companies with applications in human health, removing a major bottleneck to study small innovative firms in biopharmaceuticals in Brazil. The analysis is based upon data gathered from the studies: Bianchi (2013); ABDI (2012); CEBRAP and BRBIOTEC (2011); Biominas and PwC (2011); Biominas (2009); Razaie et al (2008); Biominas (2007); Biominas (2001) and Miglioli (2014). Were also collected data from the Diretório dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) concerning the Census 2010, from the bioscience enterprise databases available on Biominas. PwC (2011) and Biominas. SEBRAE (2014), and from enterprisers and incubators institutional web sites.

Palavras-chave: Biotecnologia, Biociências, Empreendimentos baseados em conhecimentos,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/enei2017-58

Referências bibliográficas
  • [1] AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL (ABDI). Estudo de Caso: Biotecnologia no Brasil. Sumário Executivo. Brasília. 2012.
  • [2] ALVES, N. Um estudo prospectivo das empresas de biotecnologia em saúde humana no Brasil. Dissertação (Mestrado em Economia). Faculdade de Economia. Universidade Federal Fluminense. Niteroi. 2017
  • [3] ARORA, A. GAMBARDELLA, A. The division of innovative labor in biotechnology. In: ROSEMBERG, N. et al (orgs). Sources of Medical Technology: Universities and Industry. Washington, DC: National Academy Press. p.188-208, 1995.
  • [4] BIANCHI, C. A Indústria Brasileira de Biotecnologia: montando o quebra-cabeça. In: Revista Economia e Tecnologia (RET), v. 9, p. 99-116. 2013.
  • [5] BIOMINAS BRASIL. PRICEWATERHOUSECOOPERS BRASIL (PWC). A indústria de biociências nacional: caminhos para o crescimento. Belo Horizonte, 2011.
  • [6] ___. A indústria de biociências nacional: caminhos para o crescimento. Diretório de empresas de biociências do Brasil. Belo Horizonte, 2011.
  • [7] BIOMINAS BRASIL. SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Diagnóstico do Setor de biociências em Minas Gerais. Diretório de empresas. Belo Horizonte, 2014.
  • [8] BRASIL. Lei Complementar Nº 123 de 14 de dezembro de 2006.
  • [9] BRINK, J. MCKELVEY, M. SMITH, K. Conceptualizing and measuring modern biotechnology. In: MCKELVEY, M.; RICKNE, A.; LAAGE-HELLMAN, J. (orgs). The Economics Dynamics of Modern Biotechnology. Edward Elgar Publishing, p.20-42. 2004.
  • [10] CENTRO BRASILEIRO DE ANALISE E PLANEJAMENTO (CEBRAP). ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE BIOTECNOLOGIA (BRBIOTEC). Brazil Biotech Map 2011. São Paulo. 2011.
  • [11] CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPq). Diretório Nacional dos Grupos de Pesquisa. Disponível em: < http://lattes.cnpq.br/web/dgp>. Acesso em: 25 de julho de 2016.
  • [12] CORIAT, B.; ORSI, F.; WEINSTEIN, O. Does biotech reflect a new science-based innovation regime? In: Industry and Innovation, v.10, p.231-253. 2003.
  • [13] ECONODATA. Disponível em: . Acesso em dezembro de 2016.
  • [14] EMPRESAS.CNPJ. Disponível em: . Acesso em dezembro de 2016.
  • [15] FUNDAÇÃO BIOMINAS. Estudo de empresas de biociências do Brasil 2009. 2009.
  • [16] ____. Estudo de empresas de biotecnologia do Brasil. 2007
  • [17] ____. Parque nacional de empresas de biotecnologia. Belo Horizonte. 2001
  • [18] GRAVAGLIA, C. MALERBA, F. ORSENIGO, L. Entry, market structure and innovation in a "history friendly" model of the evolution of the pharmaceutical industry. In: DOSI, G. MAZZUCATO, M. (Orgs) Knowledge Accumulation and industry evolution. The case of Pharma-Biotech. Cambridge University Press, P.234-266. 2006.
  • [19] LANZONICK, W. MAZZUCATO, M. The risk-reward nexus in the innovation-inequality relationship: who takes the risks? Who gets the rewards?. In: Industrial and Corporate Change, v. 22, p. 1093–1128. 2014.
  • [20] LEONEL, S. G. Mitos e Verdades sobre a Indústria de Venture Capital. Abril de 2014. 186f. Tese (Doutorado em Economia). Faculdade de Economia. Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2014.
  • [21] MALERBA, F. MCKELVEY, M. Conceptualizing knowledge based entrepreneurship: Definition and model. In: MALERBA, F. et al (orgs). Dynamics of Knowledge-Intensive Entrepreneurship: Business strategy and public policy. Routledge Taylor & Francis Group, p.19-48. 2016.
  • [22] MCKELVEY, M. RICKNE, A. LAAGE-HELLMAN, J. Stylized facts about innovation processes in modern biotechnology. In: MCKELVEY, M. RICKNE, A.; LAAGE-HELLMAN, J. (orgs). The Economics Dynamics of Modern Biotechnology. Edward Elgar Publishing, p.43-76. 2004.
  • [23] MIGLIOLI, J. Biotecnologia na região de Ribeirão Preto: um estudo sobre aglomeração de empresas. Dissertação (Mestrado Profissional). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto. 2015.
  • [24] ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). A framework for biotechnology statistics. 2005.
  • [25] PISANO, G. The Evolution of Science-Based Business: Innovating How We Innovate. Harvard Business School, Working Paper, n 10-062. 2010.
  • [26] REZAIE, R. FREW, S. SAMMUT, S. MALIAKKAL, M. DAAR, A. SINGER, P. Brazilian health biotech: fostering crosstalk between public and private sectors. In: Nature Biotechnology, v. 26, p.627-644. 2008.
  • [27] SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Critérios de classificação de empresas: MEI – ME – EPP. Disponível em: . Acesso em novembro de 2016.
  • [28] SHANE, S. Academic Entrepreneurship: University Spinoffs and wealth creation. Edward Elgar Publishing Limited. 2004.
Como citar:

ALVES, Nathalia; VARGAS, Marco Antônio; BRITTO, Jorge; "Empresas de biotecnologia e biociências no Brasil: um panorama", p. 1069-1088 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2017-58

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações