Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

ELABORAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO L2 PARA ALUNOS SURDOS DO CURSO DE PEDAGOGIA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES

MORAIS, Fernanda Beatriz Caricari de; CRUZ, Osilene Maria de Sá e Silva da;

Artigo Completo:

Este artigo apresenta uma reflexão sobre a construção do material didático de Língua Portuguesa como Segunda Língua para Surdos, desenvolvido para o curso de Licenciatura em Pedagogia com característica bilíngue a ser oferecido na modalidade online, para integrar o Programa “Viver sem Limite”, do Governo Federal, visando formar pedagogos para atuarem no ensino e na gestão escolar, com enfoque na educação de surdos. Tendo em vista a importância do ensino de LP como L2 e a necessidade premente de elaboração de materiais didáticos eficazes para o ensino dessa língua para alunos surdos, esta pesquisa detalha o processo de elaboração de unidades didáticas do curso online, a partir do que sugerem os Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1998) sobre a importância do ensino de LP baseado em gêneros textuais e em pesquisas sobre ensino de LP para surdos (FERNANDES, 2002, 2004; QUADROS, 2005; QUADROS e SCHMIEDT, 2006; SALLES et al, 2004, entre outros). Os usos de recursos digitais e de tecnologias para a EAD desempenham um papel importante na elaboração de material didático para esses aprendizes, facilitando o processo de aprendizagem.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Educação a Distância; Material Didático; Língua Portuguesa para alunos surdos,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-clafpl2016-008

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA FILHO, J.C.P. A Abordagem Orientadora da Ação do Professor. In: Parâmetros Atuais para o Ensino de Português Língua Estrangeira. Campinas: Pontes, 1997. p. 15
  • [2] BAKHTIN, M. A Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 199
  • [3] BHATIA, V. K. The Power and Politics of Genre. World Englishes, v. 16, n. 3, p. 359-371, Nov. 1997.
  • [4] BELLONI, M. L. Educação a Distância. 5ª Edição. Campinas: Autores Associados, 2009.
  • [5] BRASIL.Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 07.01.201
  • [6] BRASIL. Decreto Nº 5.62 Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Publicada no Diário Oficial da União em 22/12/2005.
  • [7] BRONCKART, J. P. The language system at the heart of the systems that make up the human being. Plenary session at the International Systemic Functional Congress, Faculty of Letters, University of Lisbon, Portugual, 2011.
  • [8] FERNANDES, S. Educação bilíngue para surdos: identidades, diferenças, contradições e mistérios. Curitiba, 2003. Tese (Doutorado em Letras), Universidade Federal do Paraná.
  • [9] FERNANDES, Sueli. Departamento de Educação Especial: área da surdez, 2002. Disponível em :http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br. Acesso em: 15/05/2012.
  • [10] ________. Educação Bilíngüe para Surdos: trilhando caminhos para a prática pedagógica. Curitiba: SEED/SUED/DEE, ago. 2004.
  • [11] ________. Práticas de letramento na educação bilíngue para surdos. Curitiba: SEED/SUED/DEE, 2006.
  • [12] INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS. Manual do Professor-autor. Rio de Janeiro: INES, 2016.
  • [13] KARNOPP, Lodenir. Língua de sinais e língua portuguesa: em busca de um diálogo. In: LODI, Ana Claudia Balieiro et. al. (orgs.). Letramento e minorias. Porto Alegre: Mediação, 2003.
  • [14] MAIA, C. e MATTAR, J. ABC da EaD: educação a distância hoje. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.
  • [15] MOORE, M. e KEARSLEY. Educação a Distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008.
  • [16] MORAN, J. M. Tendências da educação on-line no Brasil In: RICARDO, Eleonora Jorge (Org.). Educação Corporativa e Educação a Distância. Rio de Janeiro: Editora Qualitymark, 2005.
  • [17] PEREIRA,M.C.C. Papel da língua de sinais na aquisição da escrita por estudantes surdos. In: LODI, A.C.B.; HARRISON, K.M.P.; CAMPOS, S.R.L.; TESKE, O Letramento e minorias. Porto Alegre: Editora Mediação, 2002.
  • [18] ________. Leitura, escrita e surdez. São Paulo: Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, 2003.
  • [19] QUADROS, R. M. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed,1997.
  • [20] ________. O ‘Bi’ em Bilinguismo na educação de surdos. In E. Fernandes (org.) Surdez e Bilinguismo. Porto Alegre: Editora Mediação, 2005. p. 26-36.
  • [21] QUADROS, R. M., SCHMIEDT, M. L. P. Ideias para ensinar português para alunos surdos. Brasília: MEC, SEESP, 2006.
  • [22] SALLES, H. M. M. L. et al. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2007, vol. 2, 2ª ed.
  • [23] SWALES, J. M. Genre Analysis: English in Academic and Research Settings. Cambridge (UK); New York: Cambridge University Press, 1990.
  • [24] VALENTE, C. e MATTAR, J. Second Life e Web 2.0 na Educação: o potencial revolucionário das novas tecnologias. São Paulo: Novatec, 2007.
Como citar:

MORAIS, Fernanda Beatriz Caricari de; CRUZ, Osilene Maria de Sá e Silva da; "ELABORAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO L2 PARA ALUNOS SURDOS DO CURSO DE PEDAGOGIA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES", p. 99-110 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-695X, DOI 10.5151/edupro-clafpl2016-008

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações