Artigo - Open Access.

Idioma principal

EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CONSERVAÇÃO DO CÓRREGO TAMANDUÁ EM APARECIDA DE GOIÂNIA - GO

MOREIRA JUNIOR, Arnaldo Baena; SOUZA, André Luiz de; MOREIRA, Samantha Junqueira; VAZ, Sara Francielly Pereira; GONÇALVES, Wallax Araújo;

Artigo:

Este artigo relata os resultados da proposta educativa executada com o objetivo de sensibilizar a comunidade local acerca dos problemas ambientais recorrentes em um curso d’água. A área de estudo é o Córrego Tamanduá, localizado no município de Aparecida de Goiânia -GO. O projeto envolveu uma pesquisa qualitativa, exploratória e diagnóstica que permitiu conhecer as condições ambientais do córrego, assim como identificar o conhecimento e comportamento ambiental das pessoas e sua percepção da comunidade acerca do córrego. Com base em tal levantamento foram propostas e executadas algumas ações de educação ambiental de cunho informal para a comunidade local. Dessa maneira, as praticas elaboradas foram aplicadas para a população visando a sensibilização para uma reflexão de forma critica sobre a relação dos mesmos e o Córrego Tamanduá. Por fim, percebeu-se a importância da educação ambiental na construção de uma nova consciência que resulte em novos e corretos hábitos.

Artigo:

Palavras-chave: Água, Córrego Tamanduá, Educação ambiental,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/engpro-eneeamb2016-ea-006-4988

Referências bibliográficas
  • [1] ARCHELA, Edison et al. Considerações sobre a geração de efluentes líquidos em centros urbanos. Geografia. Londrina, v. 12, n. 1, p. 517-525, jan./jun. 2003. Disponível: . Acesso em: 17 de fevereiro de 2016.
  • [2] BEZERRA, Zedeki Fiel et al. Comunidade e escola: reflexões sobre uma integração necessária. Curitiba: UFPR, 2010.
  • [3] BORBA, Alexandre Luiz Souza et al. A proteção das águas: recurso natural limitado. São Luiz: XVI Congresso Brasileiro de águas subterrâneas e XVII Encontro Nacional de perfuradores de Poços, 2010.
  • [4] BRAGA, Benedito et al. Introdução à engenharia ambiental. 2ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.
  • [5] BRASIL. Lei N° 9.795, de 27 de Abril de 1999. Disponível em: . Acesso em 18 de fevereiro de 2016.
  • [6] BRASIL. Lei N° 12.651, de 25 de Maio de 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 201
  • [7] BRASIL-MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2012.O bioma cerrado. Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.
  • [8] CARDOSO, Dione Pereira et al. Erosão hídrica avaliada pela alteração na superfície do solo em sistemas florestais. ScientiaForestalis, v. 66, p. 25-37, dez./2004. Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.
  • [9] COGO, Neroli Pedro; STRECK, Edemar Valdir; VOLK, Leandro Bochi da Silva. Erosão hídrica influenciada por condições físicas de superfície e subsuperfície do solo resultantes do seu manejo, na ausência de cobertura vegetal. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 28, n. 4, p. 763-774, 2004. Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.
  • [10] CUNHA, Renato. O impacto das mídias sociais na educação. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 de fevereiro de 2016.
  • [11] GASPAR, Alberto. A educação formal e a educação informal em ciências. Rio de Janeiro:Cidade Cultural, 1990.
  • [12] GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 27-38, jan./mar. 2006. Disponível em: . Acesso em: 19 de fevereiro de 2016.
  • [13] JACOBI, Pedro. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de pesquisa, v. 118, n. 1, p. 189-205, 2003. Disponível em: . Acesso em: 19 de fevereiro de 2016.
  • [14] JACOBI, Pedro. Meio ambiente e redes sociais: dimensões intersetoriais e complexidade na articulação de práticas coletivas. Revista de Administração Pública, v. 34, n. 6, p. 131 a 158, nov./dez. 2000. Disponível em: . Acesso em: 19 de fevereiro de 2016.
  • [15] LORENTZ, Juliana Ferreira; MENDES, Paulo André Barros. A água e sua distribuição espacial. Revista das Águas. Ano 2, n. 6, jun./2006. Disponível em: . Acesso em: 19 de fevereiro de 2016.
  • [16] MARQUES, Rosângela Francisca de Paula Vitor. Impactos ambientais da disposição de resíduos sólidos urbanos no solo e na água superficial em três municípios de Minas Gerais. Lavras: UFL, 2011.
  • [17] SANTANA, Márcia Nayane Rocha. Identificação dos impactos ambientais da ocupação irregular na área de preservação permanente (APP) do córrego tamanduá em aparecida de Goiânia. Anais do II Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 de fevereiro de 2016.
  • [18] SANTOS, Álvaro Rodrigues dos. Enchentes Urbanas: causas e soluções. São Paulo: Convenção Secovi, 2012.
Como citar:

MOREIRA JUNIOR, Arnaldo Baena; SOUZA, André Luiz de; MOREIRA, Samantha Junqueira; VAZ, Sara Francielly Pereira; GONÇALVES, Wallax Araújo; "EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CONSERVAÇÃO DO CÓRREGO TAMANDUÁ EM APARECIDA DE GOIÂNIA - GO", p. 1185-1192 . In: Anais do XIV Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia Ambiental [= Blucher Engineering Proceedings v.3 n.2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/engpro-eneeamb2016-ea-006-4988

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações