Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

DIGITALIZAÇÃO FINANCEIRA: EFEITOS DO MOBILE E HOME BANKING SOBRE AS TARIFAS BANCÁRIAS BRASILEIRAS

Feld, Mateus; Giacobbo, Tatiana Silva Fontoura de Barcellos; Schuster, Wagner Eduardo;

Artigo completo:

Este trabalho tem como objetivo investigar o impacto que o uso do mobile e do home banking tiveram sobre as tarifas bancárias no Brasil entre 2011 e 2018. Inicialmente, apresenta-se uma evolução temporal do e-banking no Brasil. Em seguida, trata-se dos efeitos do e-banking sobre a concorrência, através do modelo de rede-cidade de Wang e Wang (2018), uma evolução dos modelos seminais de cidade linear de Hotteling (1929) e cidade circular de Salop (1979). Por fim, mostra-se o estudo empírico realizado, através do qual se conclui que as tarifas bancárias foram impactadas pelas plataformas digitais. Os resultados indicam que a diminuição dos custos de transporte, propiciada pela digitalização financeira, reduziu o preço das tarifas bancárias aos consumidores no período analisado.

Artigo completo:

Palavras-chave: Tarifas bancárias. Concentração bancária. E-banking. Modelo de localização rede-cidade,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-1.2-024

Referências bibliográficas
  • [1] ARAÚJO, L. A. D. D.; JORGE NETO, P. D. M.; PONCE, D. A. S. Competição e Concentração entre os Bancos Brasileiros. Revista Economia, v.7, n.3, p.561–586, 2006.
  • [2] ARAÚJO, L. A. D. D.; JORGE NETO, P. D. M. Risco e competição bancária no Brasil. Revista Brasileira de Economia, v. 61, n. 2, p. 175-200, 2007.
  • [3] BANCO CENTRAL DO BRASIL, BACEN. Relatório de Economia Bancária 2017. 2018.
  • [4] BANCO CENTRAL DO BRASIL. Balancetes e Balanços Patrimoniais. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2019.
  • [5] BANCO CENTRAL DO BRASIL. Estatísticas censo semestral sobre os créditos garantidos pelo FGC. Disponível em: Acesso em: 12 fev. 2019.
  • [6] BARBOSA, K.; ROCHA, B. P.; SALAZAR, F. Assessing competition in the banking industry: a multi-product approach. Journal of Banking and Finance, v. 50, p. 340-62, 2015.
  • [7] BARBOSA, Roberto Rodrigues. Fintechs: a atuação das empresas de tecnologia de serviço financeiro no setor bancário e financeiro brasileiro. 2018. Dissertação de Mestrado.
  • [8] BECK, T.; KUNT, A. D.; LEVINE, R. Bank concentration, competition, and crises: first results. Journal of Banking & Finance, v. 30, p. 1581–1603, 2006.
  • [9] BIKKER, Jacob A.; HAAF, Katharina. Measures of competition and concentration in the banking industry: a review of the literature. Economic & Financial Modelling, v. 9, n. 2, p. 53-98, 2002.
  • [10] BITTENCOURT, Wanderson Rocha et al. Estudo sobre a evolução da concentração do setor bancário no Brasil e da taxa de juros. Gestão, Finanças e Contabilidade, UNEB, Salvador, v. 5, n. 3, p. 05-25, maio/ago., 2015.
  • [11] BUSCAROLLI, B; EMERICK, J. Econometria com Eviews. 1 ed. São Paulo: Saint Paul Editora LTDA, 20
  • [12] CHEN, Yongmin; RIORDAN, Michael H. Price and variety in the spokes model. The Economic Journal, v. 117, n. 522, p. 897-921, 2007.
  • [13] COETZEE, Johan. Strategic implications of Fintech on South African retail banks. South African Journal of Economic and Management Sciences. 21(1), a2455. DOI: https://doi.org/10.4102/sajems.v21i1.2455.
  • [14] CRUZ, Pedro et al. Mobile banking rollout in emerging markets: evidence from Brazil. International Journal of bank marketing, v. 28, n. 5, p. 342-371, 2010.
  • [15] DAPP, Thomas F. Fintech reloaded – Traditional banks as digital ecosystems. Deutsche Bank Research. 20
  • [16] DIVINO, José Ângelo; SILVA, Renan Said. Banking competition in the Brazilian economy. Nova Economia, v. 27, n.3, 2017.
  • [17] ESTRADA, Manuel Martin Pino. A internet banking no Brasil, na América Latina e na Europa. Prismas: Direito, Políticas Públicas e Mundialização (substituída pela Revista de Direito Internacional), v. 2, n. 1, 2005.
  • [18] FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE BANCOS, FEBRABAN. Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 20 2019. Disponível em: Acesso em: 08 mai. 2019.
  • [19] FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS.FGV Dados: Conjuntura Econômica. Disponível em: Acesso em: 14 fev. 20
  • [20] GALBRAITH, John Kenneth; SANVICENTE, Antonio Zoratto. Moeda: de onde veio para onde foi. Cengage Learning Editores, 1997.
  • [21] GOMES, M. C.; OLIVEIRA, S. V. W. B; MATIAS, A. B. Eficiência do setor bancário brasileiro no período de 2006 a 2013: bancos domésticos x bancos estrangeiros. Nova Economia, v. 27, n. 3, p. 641-670, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-6351/3057.
  • [22] GUJARATI, D.N.; PORTER, D.C. Econometria básica. 5. ed. Porto Alegre: AMGH Editora LTDA, 2011.
  • [23] HORDONES, Cristiano Augusto Costa Melo. Poder de mercado e lucratividade: um estudo do setor bancário da América Latina. 2019. Dissertação de Mestrado.
  • [24] HOTELLING, Harold. Stability in competition. In: The Collected Economics Articles of Harold Hotelling. Springer, New York, NY, 1929. p. 50-63.
  • [25] LUCINDA, C. R. Competition in the Brazilian loan market: An empirical analysis. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 40, p. 831-858, 2010.
  • [26] MIA, Mohammad Abdul Hannan et al. E-Banking: Evolution, Status and Prospect. The Cost and Management, v. 35, n. 1, 2007.
  • [27] NAKANE, M. I. A test of competition in Brazilian banking. Estudos Econômicos, n. 32, p. 203-224, 2002.
  • [28] SAIDI, Normaizatul Akma et al. Determinants for adoption of e-banking among bank’s customers. International Journal of Accounting, Finance and Business, v. 1, n. 2, p. 37-44, 2016.
  • [29] SALOP, Steven C. Monopolistic competition with outside goods. 1979.
  • [30] SHAIKH, Aijaz A.; KARJALUOTO, Heikki. Mobile banking adoption: A literature review. Telematics and informatics, v. 32, n. 1, p. 129-142, 2015.
  • [31] SOMAINI, Paulo; EINAV, Liran. A model of market power in customer markets. The Journal of Industrial Economics, v. 61, n. 4, p. 938-986, 2013.
  • [32] TABAK, B. M.; GOMES, G. M. R.; MEDEIROS JÚNIOR, M. D. S. The impact of market power at bank level in risk-taking: the Brazilian case. International Review of Financial Analysis, v. 40, p. 154–165, 2015.
  • [33] VEIGA, Luiz Humberto Cavalcante; OLIVEIRA, Andre. Diferenciação Horizontal e Poder de Mercado: Os Efeitos do E-Banking sobre as Tarifas Bancárias. Revista Economia, 2006.
  • [34] VON UNGERN-STERNBERG, Thomas. Monopolistic competiton on the pyramid. The Journal of Industrial Economics, p. 355-368, 1991.
  • [35] WANG, Tao; WANG, Ruqu. A network-city model of spatial competition. Economics Letters, v. 170, p. 168-170, 2018.
  • [36] ZAVOLOKINA, Liudmila; DOLATA, Mateusz; SCHWABE, Gerhard. FinTech–What's in a Name?. 2016.
Como citar:

Feld, Mateus; Giacobbo, Tatiana Silva Fontoura de Barcellos; Schuster, Wagner Eduardo; "DIGITALIZAÇÃO FINANCEIRA: EFEITOS DO MOBILE E HOME BANKING SOBRE AS TARIFAS BANCÁRIAS BRASILEIRAS", p. 128-142 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-1.2-024

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações