Artigo - Open Access.

Idioma principal

DESINDUSTRIALIZAÇÃO E MUNDANÇA ESTRUTURAL NA REGIÃO SUDESTE: UM ESTUDO COMPARADO

PEREIRA, Wallace Marcelino; CARIO, Silvio Antonio Ferraz;

Artigo:

O presente trabalho tem por objetivo avaliar as especificidades da mudança estrutural em três estados da região Sudeste – São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais - visando contribuir para o debate sobre a desindustrialização no Brasil entre os anos de 1996 e 2013. Para tanto, resgata-se os estudos empírico-analíticos acerca da mudança estrutural na indústria brasileira. Utilizou-se indicadores tradicionais de estudo sobre desindustrialização para os estados federativos selecionados por intensidade tecnológica, e contribui na literatura sobre o tema, ao utilizar o Índice de Desindustrialização Relativa Regional – DRR, visando mitigar os problemas relacionados à variação do câmbio que afetam a razão VTI/VBPI. Constatou-se a existência de um processo de desindustrialização relativa com impactos distintos na estrutura industrial de cada estado analisado. Apesar disso, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais têm avançado, em níveis diferenciados, ainda que lentamente, de uma indústria de baixa intensidade tecnológica para uma indústria de média baixa e média alta intensidade tecnológica.

Artigo:

This paper aims to assess the specific structural change in three states in the Southeast - São Paulo, Rio de Janeiro and Minas Gerais - to contribute to the debate on de-industrialization in Brazil between 1996 and 2013. Therefore, rescues to the empirical-analytic studies of structural change in the Brazilian industry. We used traditional indicators study on de-industrialization to the federal states selected by technological intensity, and contributes to the literature on the subject, using the Deindustrialization Index Relative Regional - DRR, to mitigate the exchange rate variation related issues affecting the reason VTI / VBPI. It was found that there is a process of relative de-industrialization with different impacts on the industrial structure of the analyzed state. Nevertheless, the states of São Paulo, Rio de Janeiro and Minas Gerais have advanced at different levels, albeit slowly, in a low technology industry to an average low of industry and medium-high technological intensity.

Palavras-chave: Desindustrialização, Economia regional, Mudança Estrutural, Indústria, Desenvolvimento Regional,

Palavras-chave: Deindustrialization, Regional Economy, Structural Change, Manufacturing, Regional Development,

DOI: 10.5151/engpro-1enei-022

Referências bibliográficas
  • [1] AREND, M. A industrialização do Brasil ante a nova divisão internacional do trabalho. In: IPEA. Presente e Futuro: desafios ao desenvolvimentismo brasileiro. IPEA, 2014.
  • [2] BAZEN, S.; THIRLWALL, A. De-industrialisation: Studies in the UK economy. 1989.
  • [3] BLACKABY, F. T. (1978). De-industrialisation. Heinemann Educational Books. London.
  • [4] BONELLI, Regis; PESSOA, Samuel; MATOS, Silvia. Desindustrialização no Brasil: fatos e interpretação. O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 201-225, 2013.
  • [5] BRESSER-PEREIRA, L. C.; MARCONI, N. Existe Doença Holandesa no Brasil? IV Fórum de Economia da Fundação Getúlio Vargas. 2008.
  • [6] BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Maldição dos recursos naturais. Folha de S. Paulo, v. 6, n. 06, 2005.
  • [7] CAIRNCROSS, Alec. (1978). What is De-industrialisation? In: Blackaby, F. (ed.), Deindustrialisation. Heinemann Educational Books. London.
  • [8] CARNEIRO, R. Impasses do desenvolvimento brasileiro: a questão produtiva. Textos para Discussão, Campinas: IE/UNICAMP, n. 153, nov. 200
  • [9] COMIN, A. A desindustrialização truncada:: perspectivas do desenvolvimento econômico brasileiro.. 200 271 f. Tese (Doutorado) - Curso de Economia, Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 200
  • [10] FEIJÓ, C. OLIVEIRA, D. “Mudanças estruturais na economia brasileira e seus impactos sobre a evolução da produtividade na indústria de transformação pós- 1990” In: AZEVEDO, A.F; FEIJÓ, C; CORONEL, D.A. (orgs). A Desindustrialização Brasileira. Editora Unisinos, São Leopoldo. 2013.
  • [11] FERRAZ, J. C.; KUPFER, D; HAGUENAUER, L.. Made in Brazil: desafios competitivos para a indústria. Rio de janeiro: Campus, p. 386, 1995.
  • [12] FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.
  • [13] KALDOR, N. Causes of the slow rate of economic growth of the United Kingdom. Cambridge University Press. 1966.
  • [14] LAPLANE, M.; SARTI, F. Prometeu Acorrentado: o Brasil na indústria mundial no início do século XXI. Política Econômica em Foco, n. 7, p. 271-291, 2006.
  • [15] LOURES, R.R; OREIRO, J.L; PASSOS, C.A.K. "Desindustrialização: a crônica da servidão consentida". Economia e Tecnologia, Ano 2, Vol. 4, 2006.
  • [16] MORCEIRO, Paulo César. Desindustrialização na economia brasileira no período 2000-2011: abordagens e indicadores. Coleção PROPG Digital (UNESP), p. 301 p.: il., gráfs., tabs., 2012.
  • [17] OREIRO, José Luis; FEIJÓ, Carmem A. Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro. Revista de economia política, v. 30, n. 2, p. 219-232, 2010.
  • [18] PALMA, José Gabriel (2005). Quatro fontes de “desindustrialização” e um novo conceito de “doença holandesa”. Trabalho apresentado na Conferência de Industrialização, Desindustrialização e Desenvolvimento, organizada pela FIESP e IEDI. Centro Cultural da FIESP, 28 de Agosto de 2005.
  • [19] PALMA, José Gabriel (2008). “De-industrialization”, “premature” de-industrialization and the Dutch Disease. In: Durlauf, S. N.; Blume, L. E. (org.), The New Palgrave Dictionary of Economics. Second Edition. Palgrave Macmillan.
  • [20] PEREIRA, W. M. Mudança Estrutural e Desindustrialização na Região do Sul do Brasil: um estudo comparado. 227 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Economia, Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.
  • [21] PÉREZ, Carlota. Revoluciones tecnológicas y capital financiero: la dinámica de las grandes burbujas financieras y las épocas de bonanza. Siglo XXI, 2004.
  • [22] ROWTHORN, R. e COUTTS, K. Commentary: Deindustrialisation and the balance of payments in advanced economies. Cambridge Journal of Economics. vol. 28, no. 5, 767–790. 2004.
  • [23] ROWTHORN, R.; RAMASWAMY, R. Growth, trade, and deindustrialization. IMF Staff papers, p. 18-41, 1999.
  • [24] SARTI, F.; HIRATUKA, C., Desenvolvimento industrial no Brasil: oportunidades e desafios futuros. Campinas: IE. Unicamp, 2011.
  • [25] SILVA, H. C. O processo de desindustrialização: uma avaliação sob a perspectiva da economia brasileira (1990-2010). 157 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Economia, Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.
  • [26] SINGH, A. (1977). UK Industry and the World Economy: A case of Deindustrialization? Cambridge Journal of Economics. Vol. 1, n° 2, june.
  • [27] TORRES, Ricardo Lobato; DA SILVA, Henrique Cavalieri. Uma crítica aos indicadores usuais de desindustrialização no Brasil. Revista de Economia Política, v. 35, p. 4, 2015.
  • [28] THIRWALL, A.P. The nature of economic growth.Edward Elgar: Aldershot. 2002
  • [29] TREGENNA, Fiona. Characterising deindustrialisation: An analysis of changes in manufacturing employment and output internationally. Cambridge Journal of Economics, v. 33, n. 3, p. 433-466, 2009.
  • [30] UNCTAD. World Development Report. Genebra, 2003.
Como citar:

PEREIRA, Wallace Marcelino; CARIO, Silvio Antonio Ferraz; "DESINDUSTRIALIZAÇÃO E MUNDANÇA ESTRUTURAL NA REGIÃO SUDESTE: UM ESTUDO COMPARADO", p. 372-390 . In: Anais do 1º Encontro da Nacional de Economia Industrial e Inovação [=Blucher Engineering Proceedings, v.3 n.4]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/engpro-1enei-022

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações