Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

DESINDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA EM PERSPECTIVA: UMA ANÁLISE EMPÍRICA DO PROCESSO EM DIFERENTES NÍVEIS DE SEVERIDADE

Felipe, Ednilson Silva; Colombo, Arthur; Sampaio, Daniel Pereira;

Artigo completo:

O objetivo deste artigo é analisar e investigar o processo de desindustrialização vivido pelo Brasil com uma proposta metodológica distinta das utilizadas usualmente. Através da proposta metodológica empírica, é possível inferir que a desindustrialização brasileira se apresenta como um processo complexo e ocorre em mais de um formato, sendo que esses formatos apresentam níveis de severidade distintos. Com a análise através de diversos indicadores sugeridos, a conclusão é de que o Brasil apresenta sinais de desindustrialização em pelo menos três formatos, que são: i)desindustrialização relativa por aumento do gap tecnológico; ii) desindustrialização relativa por redução dos insumos nacionais pelos insumos importados; e iii) substituição do produto final nacional pelo produto importado.

Artigo completo:

Palavras-chave: Desindustrialização, Desindustrialização Relativa, Indústria de transformação brasileira,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-1.4-021

Referências bibliográficas
  • [1] AREND, M.; FONSECA, P. C. D. Brasil (1955-2005): 25 anos de catching up, 25 anos de
  • [2] Falling behind. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 32, n. 1, p. 33-54, 201
  • [3] CANO, W. (Des)Industrialização e (Sub)Desenvolvimento. Texto apresentado no 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado, Centro de Estudos do BNDES, Rio de Janeiro, 18 a 20 de agosto de 2014.
  • [4] CARNEIRO, R. Impasses do desenvolvimento brasileiro: a questão produtiva. Textos para discussão IE/Unicamp nº 153. Disponível em: . Acesso em: 20outubro 2018.
  • [5] CASSIOLATO, J. E.; SZAPIRO, M. LASTRES, H. M. M. Dilemas e perspectivas da política de inovação. In: Nelson Marconi; Nelson Barbosa; Mauricio Canedo; Laura Carvalho. (Org.). Indústria e Desenvolvimento Produtivo no Brasil. 1ed.Rio de Janeiro: Elsevier, 201
  • [6] CASSIOLATO; LASTRES, H. M. M. Celso Furtado e os Dilemas da Indústria e Inovação no Brasil. Cadernos do Desenvolvimento, v. 10, p. 188-213, 2015.
  • [7] CNI. Desempenho do Brasil no índice global de inovação 2011-2017 / Confederação Nacional da Indústria / Confederação Nacional da Indústria, Serviço Social da Indústria, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. -- Brasília: CNI, 201
  • [8] DIEESE. Desindustrialização: conceito e situação no Brasil. Nota Técnica, n. 100, jun 2011.
  • [9] DIEGUES, A. C.; ROSSI, C. Além da desindustrialização: transformações no padrão de organização e acumulação da indústria em um cenário de ‘Doença Brasileira’. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 21, Anais 2016.
  • [10] DINIZ, C. Expansão asiática, corrida científica e tecnológica mundial, desindustrialização no Brasil - Belo Horizonte: UFMG/CEDEPLAR, 2017 (Texto para discussão, 565).
  • [11] DUTTA, S.; LANVIN, B. Global Index Inovation. Cornell University, INSEAD, and the World Intellectual Property Organization, 2018.
  • [12] GURRY, F. World Intellectual Property Indicators. Switzerland, 2018.
  • [13] HIRATUKA, C.; SARTI, F. Transformações na estrutura produtiva global, desindustrialização e desenvolvimento industrial no Brasil. Revista de Economia Política, v. 37, n. 1 (146), p. 189–207, 2017.
  • [14] IBGE. Pesquisa Industrial Anual - Empresa. Vários anos. Retirado de: . Acesso em: 25 agosto 2018.
  • [15] LAVOPA, A.; SZIRMAI, A. Industrialisation in time and space. Viena: Unido, 20 (Working Paper, 10/2015).
  • [16] IEDI – INSTITUTO DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL. Carta IEDI 773. São Paulo: IEDI: 2017
  • [17] MARCONI, N.; ROCHA, M. Taxa de câmbio, comércio exterior e desindustrialização precoce: o caso brasileiro. Economia e Sociedade (UNICAMP. Impresso), v. 21, 2012.
  • [18] MORCEIRO, P. C. Desindustrialização na economia brasileira no período de 2000-2011: abordagens e indicadores. São Paulo: Ed. Unesp/Cultura Acadêmica, 2012.
  • [19] OREIRO, J.L. Macroeconomia do desenvolvimento: Uma perspectiva keynesiana. 1. ed. – Rio de Janeiro: LTC, 2016.
  • [20] OREIRO, J.L.; BASÍLIO, F.; SOUZA, G. J. Acumulação de capital, taxa real de câmbio e catching-up: teoria e evidência para o caso brasileiro. In. FÓRUM DE ECONOMIA DA FGV/EESP, 10., 2013, São Paulo. São Paulo, outubro 2013.
  • [21] PEREZ, C. Revoluciones Tecnológicas y Capital Financiero: La Dinámica de las Grandes Burbujas, 2004.Financieras y las Épocas de Bonanza. México: Siglo XXI.
  • [22] RICUPERO, R. Desindustrialização precoce: futuro ou presente do Brasil. São Paulo: Le Monde Diplomatique Brasil. 06 mar 2014. Retirado de:. Acessoem 25 out 2018.
  • [23] SAMPAIO, D. P. Categorias analíticas para o estudo da desindustrialização brasileira: uma sugestão metodológica em múltiplas escalas espaciais. XI Congresso Brasileiro de História Econômica. 12ª Conferência Internacional da História de Empresas, Vitória/ES, 2015.
  • [24] SARTI, F.; LACERDA A. A manufatura brasileira se afunda na crise, 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 nov 2018.
  • [25] SARTI, F.; HIRATUKA, C. Desempenho recente da indústria brasileira no contexto de mudanças estruturais domésticas e globais. Campinas: Unicamp. IE, abr. 2017. (Texto para Discussão, 290).
  • [26] TORRES, R. L.; CAVALIERI, H. Uma crítica aos indicadores usuais de desindustrialização no Brasil. Revista de Economia Política (Online), v. 35, 2015.
Como citar:

Felipe, Ednilson Silva; Colombo, Arthur; Sampaio, Daniel Pereira; "DESINDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA EM PERSPECTIVA: UMA ANÁLISE EMPÍRICA DO PROCESSO EM DIFERENTES NÍVEIS DE SEVERIDADE", p. 307-315 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-1.4-021

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações