Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

DESIGN, IDENTIDADE, CULTURA E TERRITÓRIO: UMA ANÁLISE DO DESIGN CÊNICO NO ESPETÁCULO “A MANDIOCA BRAVA”

Silveira, Yuri Simon da; Moraes, Dijon De;

Artigo Completo:

Este artigo analisa, a partir dos conceitos de Design e Território, Identidade Cultural e Multiculturalismo, as criações e as configurações elaboradas para a montagem do espetáculo “A Mandioca Brava”, observando de que forma a montagem teatral se utilizou dos elementos e dos símbolos inerentes da cultura regional a partir da manipulação dos signos visuais e verbais. Os aspectos de mineiridade estão presentes tanto no discurso quanto no vocabulário e na musicalidade, bem como nas imagens produzidas pelo conjunto visual, que se pode chamar de design cênico, estabelecido pelos signos visuais do espetáculo: a cenografia, a iluminação e a caracterização dos personagens (obtida por meio do figurino, da maquiagem e da composição corporal dos atores). Um espetáculo que, em sua configuração final, deixa evidente a importância de se levar em consideração a utilização de elementos visuais da cultura regional com o propósito de se criar um sentimento de identificação e empatia nos espectadores do espetáculo.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Design e Território; Multiculturalismo; Identidade; Teatro; Design Cênico.,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/despro-ped2016-0072

Referências bibliográficas
  • [1] ABRACE - Associação Brasileira de Pesquisa e Pós Graduação em Artes Cênicas. Disponível em: Acesso em 02 nov. 2015.
  • [2] A MANDIOCA BRAVA. Globo Horizonte. Belo Horizonte: Rede Globo Minas. 12 de janeiro de 2014. Programa de TV. Disponível para acesso em: Acesso em 10 jun. 2016.
  • [3] ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. Mitologia da mineiridade: o imaginário mineiro na vida política e cultural do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1999.
  • [4] BIGNOTTO, Newton. Política e vida privada na Mandrágora de Maquiavel. Cadernos de Ética e Filosofia Política – Dep. Filosofia - Universidade de São Paulo. 201 Disponível em: Acesso em 08 nov. 2015.
  • [5] BRANDÃO, Carlos Antônio Leite. Grupo Galpão: diário de montagem. Livro1 Romeu e Julieta. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.
  • [6] BREWSTER, Karen. SHAFER, Melissa. Fundamentals of Theatre Design. New York: Allworth Press. 2011.
  • [7] CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 2003.
  • [8] CALAHANI, Aline Ignácio. BRITO, Luciana. O adultério e as relações sociais em A Mandrágora de Nicolau Maquiavel. Universidade Estadual do Norte do Paraná. VI Seminário de Iniciação Científica – SóLetras - 2009. Disponível em: Acesso em 08 fev. 2016.
  • [9] CINTRA, Rodrigo Augusto Suzuki Dias. O Príncipe e A Mandrágora: filosofia política e teatro em Maquiavel. Revista de Direito Mackenzie. Volume 5, número 2, 2011. Disponível em: Acesso em 08 fev. 2016.
  • [10] COSTA, Fernanda M. Alves. A representação da mineiridade: o corpo e o galpão das gerais. Facom-UFBa – Salvador-Brasil, 20 Disponível em: Acesso em 01 fev. 2016.
  • [11] _____________________. Grupo galpão: a mineiridade na cena contemporânea. Facom-UFBa – Salvador/Brasil, 2008. Disponível em: Acesso em 01 fev. 2016.
  • [12] DALGLISH, Lalada. Noivas da seca: cerâmica popular do Vale do Jequitinhonha. São Paulo: Editora UNESP, 2006.
  • [13] HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP & A editora, 2002.
  • [14] __________. Notas sobre a desconstrução do popular. Da Diáspora – Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
  • [15] LUPTON, Ellen; PHILLIPS, Jennifer Cole. Novos Fundamentos do Design. São Paulo: Cosac Naify, 2008.
  • [16] MORAES, Dijon de (org.). KRUCKEN, Lia. (org.) Design e multiculturalismo. Cadernos Avançados em Design. Belo Horizonte: EdUEMG. 2008.
  • [17] ONO, M. M. Design, cultura e identidade, no contexto da globalização. Revista Design em foco, julho-dezembro, vol I, nº 001. Salvador: Universidade do Estado da Bahia, 2004. Disponível para acesso em: Acesso em 02 fev. 2016.
  • [18] Pavis, Patrice. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.
  • [19] PICHLER, R.F; MELLO, C.I de. O Design e a Valorização da Identidade Local. Revista Design & Tecnologia – Edição nº 4. 2012. Disponível em: . Acesso em 04 fev. 2016.
  • [20] PRATES, Marco Aurélio. A Mandioca Brava. Belo Horizonte: 2014. Acervo de imagens da página do Facebook do espetáculo A Mandioca Brava – Disponível em: . Acesso em 04 fev. 2016.
  • [21] ROCHA, Gilmar. Cultura popular: do folclore ao patrimônio. Mediações - Revista de Ciências Sociais, Volume 14 nº1. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Londrina. 2009. Disponível em: Acesso em 04 fev. 2016.
  • [22] ROSA, João Guimarães. Aí está Minas: a mineiridade. publicado na revista “O Cruzeiro”, em 25 de agosto de 1957. Disponível em: Acesso em 01 fev. 2016.
  • [23] SCHNEIDER, B. Design – uma introdução: O design no contexto social, cultural e econômico. São Paulo: Editora Blücher, 2010.
  • [24] TUDELLA, Eduardo. Design, Cena e Luz: anotações. Escola de Teatro: Revista Alberto, nº 3, p. 11 a São Paulo, 2012.
  • [25] YÚDICE, George. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: Editora UFMG; 2004.
Como citar:

Silveira, Yuri Simon da; Moraes, Dijon De; "DESIGN, IDENTIDADE, CULTURA E TERRITÓRIO: UMA ANÁLISE DO DESIGN CÊNICO NO ESPETÁCULO “A MANDIOCA BRAVA”", p. 839-850 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 9, n. 2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-ped2016-0072

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações