Dezembro 2020 vol. 8 num. 5 - Colóquio Internacional de Design 2020

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Design gráfico para causas sociais: aterritorialidade como elemento balizador para aconstrução da marca gráfica de um coletivo demulheres quilombolas

Graphic design for social causes: territoriality as a guiding element for theconstruction of the graphic brand of a collective of quilombola women

Guimarães, Juliana; Silva, Sérgio Antônio;

Artigo completo:

A partir da reflexão sobre o design gráfico com finalidade social, este trabalho buscou identificar oselementos que caracterizam a territorialidade de um coletivo de mulheres em uma comunidaderemanescente de quilombo, com a finalidade de se elaborar estratégias que confiram visibilidadesocial do grupo. Uma dessas táticas encontra-se no campo da comunicação visual, a partir de marcasgráficas de cunho social. Assim, adotou-se os preceitos metodológicos da pesquisa exploratória denatureza qualitativa, utilizando a hermenêutica de Wilhelm Dilthey para interpretação dos resultados.Constatou-se que a territorialidade do coletivo é caracterizada feminismo negro e oautoconhecimento, conceitos norteadores para a criação da marca. Mediante esta pesquisa, é possívelafirmar que o design gráfico voltado às causas sociais deve fomentar a reflexão crítica no própriodesigner e na sociedade e buscar estratégias de inovação e melhoria social a partir de ações quecolaborem para que minorias sociais se tornem socialmente visíveis

Artigo completo:

Based on the reflection on graphic design for social purposes, this work sought to identifythe elements that characterize the territoriality of a collective of women in a remnant quilombocommunity, in order to develop strategies that can provide social visibility for the group. One of thesetactics is found in the field of visual communication, based on social graphic brands. Thus, themethodological precepts of exploratory research of a qualitative nature were adopted, using thehermeneutics of Wilhelm Dilthey to interpret the results. It was found that the collective's territorialityis characterized by black feminism and self-knowledge, guiding concepts for the creation of the brand.Through this research, it is possible to affirm that graphic design aimed at social causes should fostercritical reflection in the designer and in society and seek strategies for innovation and socialimprovement based on actions that collaborate so that social minorities become socially visible.

Palavras-chave: design gráfico; engajamento social; mulheres quilombolas; marca gráfica; feminismo negro,

Palavras-chave: graphic design; social engagement; quilombola women; graphic brand; black feminism,

DOI: 10.5151/cid2020-49

Referências bibliográficas
  • [1] AAKER, David. Relevância de marca. Porto Alegre: Bookman, 201
  • [2] ALVES, Cíntia Barbosa; MEDEIROS, Diego Piovesan. Design social e branding: construindo um posicionamento de marca para o coletivo feminista Antonieta de Barros. 2017. Monografia (Graduação em Design Gráfico) – Faculdade SATC apud AAKER, David. Relevância de marca. Porto Alegre: Bookman, 2011.
  • [3] ALVES, Branca; PITANGUY, Jacqueline. O que é feminismo. São Paulo: Brasiliense, 1980.
  • [4] ARAÚJO, Sônia Maria da Silva. Dilthey e a Hermenêutica da Vida. In: Cadernos de Educação. vol.28. Pelotas: FaE/PPGE/UFPel, 2007.
  • [5] BRAGA, Marcos da Costa (org.). O papel social do Design Gráfico. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.
  • [6] CONSOLO, Maria Cecília. Marcas design estratégico: do símbolo à gestão da identidade corporativa. São Paulo: Blücher, 2015.
  • [7] DENIS, Rafael Cardoso. Uma introdução à História do Design. São Paulo: Bluecher, 2008.
  • [8] DILTHEY, Wilhelm. Introdução às ciências humanas: tentativa de uma fundamentação para o estudo da sociedade e da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.
  • [9] GAO, Ziyi. A gramática da cor: consensos culturais no ensino/aprendizagem de PLE por aprendentes chineses. 2015. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura Portugesa) – Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal. Disponível em: , acesso em: 28 de junho de 2018.
  • [10] GOMES FILHO, João. Gestalt do objeto: sistema de leitura visual da forma. São Paulo: Escrituras editora, 2008.
  • [11] GONSALES, Flavia Igliori. Branding e cultura: antigos modelos e novas perspectivas de diálogo. 2009. Monografia (Pós-graduação em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos) - Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação, Universidade de São Paulo, São Paulo.
  • [12] GUIMARÃES, Gilberto et. al. Os valores fundadores da enfermagem moderna à luz de Dilthey e Scheler. In: Texto Contexto Enfermagem. vol.24. n.3. Florianópolis, 2015.
  • [13] GUIMARÃES, Juliana. Design gráfico para causas sociais: a territorialidade como elemento balizador na construção de identidade visual gráfica de um coletivo de mulheres quilombolas na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Dissertação (Pós graduação em Cultura, Gestão e Processos em Design) – Escola de Design, Universidade do Estado de Minas gerais. Belo Horizonte, 2018.
  • [14] GUIMARÃES, Luciano. O repertório dinâmico das cores na mídia. In: XV Encontro da Compós. Bauru: Unesp, 2006. Disponível em: https://propart.files.wordpress.com/2008/10/autonomia_significancia_cores.pdf>, acesso em: 28 de junho de 2018.
  • [15] HAESBAERT, Rogério. Viver no limite. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.
  • [16] HAESBAERT, Rogério. Territórios alternativos. São Paulo: Contexto, 2017.
  • [17] ICOGRADA, 2015, Barcelona. International Council of Graphic Design Associations. Disponível em: acesso em: 11 de maio de 2018.
  • [18] JOHNSON, Michael. Branding in Five and a Half Steps. Londres: Thames and Hudson, 2016.
  • [19] KRUCKEN, Lia. Design e Território: valorização de identidades e produtos locais. São Paulo: Editora Studio Nobel, 2009.
  • [20] MIYASHIRO, Rafael Tadashi. Com design, além do design: os dois lados de um design gráfico com preocupações sociais. In: BRAGA, Marcos da Costa (org.). O papel social do Design. São Paulo: Editora Senac São Paulo. 2011.
  • [21] NEVES, Flávia. Contestação Gráfica: engajamento político-social por meio do design gráfico. In:
  • [22] BRAGA, Marcos da Costa. O papel social do design gráfico: história, conceitos e atuação profissional. São Paulo: Editora Senac São Paulo. 2011.
  • [23] RIBEIRO, Djamila. Simone de Beauvoir e Judith Butler: aproximações e Distanciamentos e os critérios da ação política. 2015. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo.
  • [24] RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Produção do Núcleo de filosofia e política da Universidade Federal de São Paulo. 2017. 1 hora e 50 minutos, som, color. Disponível em: , acesso em: 21 de junho de 2018.
  • [25] SAMARA, Timothy. Grid: construção e desconstrução. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
  • [26] SEMPRINI, Andrea. A marca pós-moderna: poder e fragilidade da marca na sociedade contemporânea. São Paulo: Estação das letras e cores, 2010.
Como citar:

Guimarães, Juliana; Silva, Sérgio Antônio; "Design gráfico para causas sociais: aterritorialidade como elemento balizador para aconstrução da marca gráfica de um coletivo demulheres quilombolas", p. 625-638 . In: Anais do Colóquio Internacional de Design 2020. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cid2020-49

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações