Dezembro 2020 vol. 8 num. 5 - Colóquio Internacional de Design 2020

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Design Estratégico na área da saúde: propostametodológica para a Inovação Cultural e Social deassociações ligadas a doenças raras

Strategic Design in Healthcare: a methodological approach to Cultural andSocial Innovation for rare diseases patients’ organizations

Bittencourt, Gustavo Berwanger; Freire, Karine de Mello;

Artigo completo:

A abordagem do Design para as comunidades criativas e a Inovação Social já conta com uma ricatrajetória em teoria e projetos ao longo de quase duas décadas. Contudo, uma natural concentraçãode pesquisa e prática em determinadas áreas sociais deixa em aberto outras, o que apresenta muitasoportunidades. Neste artigo, é introduzida a área da saúde nesse diálogo, especificamente os desafiosdas associações de pacientes de doenças raras, as quais apresentam características de comunidadescriativas e que, entende-se, poderiam beneficiar-se da abordagem do Design Estratégico paraInovação Cultural e Social por sua necessidade de reformular seus modelos organizacionais. Nessaintersecção, é identificada uma lacuna no Design Estratégico: a falta de uma ferramenta para oprojeto de estratégias organizacionais que não esteja vinculada à cultura gerencial. Então, é propostaa transformação do Social Innovation Scanner, ferramenta de análise de maturidade de iniciativas deInovação Social em ferramenta prospectiva e projetual para a formulação de estratégiasorganizacionais de associações de pacientes de doenças raras. Conclui-se que essa proposta podeajudar a preencher com coerência teórico-metodológica tal lacuna de métodos e ferramentas paracomunidades que desejam inovar em seu modelo organizacional sem precisar recorrer às soluçõesmais tradicionais disponíveis, especialmente aquelas de lógica mercadológica.

Artigo completo:

The Design approach on creative communities and Social Innovation already has a richtrajectory in theory and projects built during the last two decades. However, a natural concentrationof research and practice in certain social areas leaves others open. This situation presents manyopportunities. In this article, the healthcare area is brought to this dialogue, more specifically thechallenges of rare disease patients' organizations, which have characteristics of creative communitiesand which, it’s our understanding, could benefit using the Strategic Design for Cultural and SocialInnovation approach when dealing with the need to reformulate its organizational models. At thisintersection, a gap in Strategic Design is identified: the lack of a tool for the design of organizationalstrategies that is not linked to the management culture. Therefore, it is proposed here to transformthe Social Innovation Scanner, a tool for analyzing the maturity of Social Innovation initiatives into aprospective and design tool for the formulation of organizational strategies for rare disease patients’organizations. It is concluded that this proposal can help to fill this gap with specific methods andtools for communities that wish to innovate in their organizational model without having to resort tothe most traditional solutions available, especially those born out of the market logic.

Palavras-chave: Design Estratégico; Inovação Social; Codesign; Doenças Raras; Associativismo,

Palavras-chave: Strategic Design; Social Innovation; Codesign; Rare Disease; Patients’ Organizations,

DOI: 10.5151/cid2020-47

Referências bibliográficas
  • [1] BARBOSA, Rogério Lima; PORTUGAL, Sílvia. O associativismo faz bem à saúde? O caso das doenças raras. Ciência & saúde coletiva. Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 417-430, fev. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232018000200417&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 24 mar 2019.
  • [2] BONSIEPE, Gui. Design and democracy. Design Issues, Cambridge, v. 22, n. 2, p. 27-34, 2006. Disponível em: https://www.mitpressjournals.org/doi/pdf/10.1162/desi.2006.227. Acesso em: 26 fev. 2020.
  • [3] BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n° 199, 30 de janeiro de 2014. Institui a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras, aprova as Diretrizes para Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e institui incentivosfinanceiros de custeio. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt0199_30_01_2014.html. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [4] CASTRO, Maria Luiza Almeida Cunha de; CARDOSO, Juliana. Estratégia e design: construção das abordagens contemporâneas. Strategic design research journal, São Leopoldo, v. 3, n. 3, p. 69- 75, 2010. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/sdrj/article/view/4789. Acesso em: 26 fev. 2020.
  • [5] DEL GAUDIO, Chiara; OLIVEIRA, Alfredo Jefferson; FRANZATO, Carlo. O tempo no design participativo. In: P&D, 11., 2014, Gramado. Anais... São Paulo: Blücher, 2014.
  • [6] DESIGN FOR SOCIAL INNOVATION AND SUSTENTABILITY (DESIS). 201 Disponível em: https://www.desisnetwork.org/. Acesso em: 22 de jan. 2020.
  • [7] FEDERIZZI, Carla Link; BORBA, Gustavo Severo de. Design para inovação social no âmbito da cidade: da teoria a práticas no Estado de São Paulo. In: FREIRE, Karine de Mello (org.). Design logico para a inovação cultural e social. São Paulo: Kazuá, 2015. p. 83-116.
  • [8] FRANZATO, Carlo; CAMPELO, Filipe. Special issue: strategic design research journal tenth volume. Strategic design research journal, São Leopoldo, v. 10, n. 2, p. 89-90, 2017. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/sdrj/article/view/14619. Acesso em: 22 fev. 2020.
  • [9] FRANZATO, Carlo et al. Inovação cultural e social: design estratégico e ecossistemas criativos. In:
  • [10] FREIRE, Karine de Mello (org.). Design estratégico para a inovação social e cultural. São Paulo: Kazuá, 2015. p. 157-182.
  • [11] FRASÃO, Gustavo. Ministério da Saúde lança protocolos para 12 doenças raras. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/noticias/sas/18133-ministerio-dasaude-lancaprotocolos-clinicos-para-12-doencas-raras. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [12] FREIRE, Karine. Design estratégico: origens e desdobramentos. In: P&D, 11., 2014, Gramado. Anais... São Paulo: Blücher, 2014. p. 2815-2829.
  • [13] FREIRE, Karine de Mello. Design estratégico para inovação social. In: FREIRE, Karine de Mello (org.). Design estratégico para a inovação social e cultural. São Paulo: Kazuá, 2015. p.13-41.
  • [14] FREIRE, Karine de Mello. From strategic planning to the designing of strategies: a change in favor of strategic design. Strategic design research journal, São Leopoldo, v. 10, n. 2, p. 91-96, 2017. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/sdrj/article/view/sdrj.2017.102.01. Acesso em: 26 fev. 2020.
  • [15] GRANDELLE, Renato. Mães conquistam espaço e atenção para síndromes raras, por causa de seus filhos. O globo, Rio de Janeiro, 7 de maio de 2018. Disponível em: https://blogs.oglobo.globo.com/to-dentro/post/maes-conquistam-espaco-e-atencao-para-sindromesraras-por-causa-de-seus-filhos.html. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [16] MANZINI, Ezio. Scenarios of sustainable wellbeing. Design philosophy papers, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 5-21, 2003. Disponível em: https://changedesign.org/Resources/Manzini/Manuscripts/ManziniScenarios.pdf. Acesso em: 22 fev. 2020.
  • [17] MANZINI, Ezio. Design culture and dialogic design. Design issues, Cambridge, v. 32, n. 1, p. 52-59, 2016. Disponível em: https://www.mitpressjournals.org/doi/pdf/10.1162/DESI_a_00364. Acesso em: 20 fev. 2020.
  • [18] MANZINI, Ezio. Design quando todos fazem design: uma introdução ao design para a inovação social. São Leopoldo: Unisinos, 2017.
  • [19] MANZINI Ezio. Politics of the everyday. London: Bloomsbury, 20
  • [20] MAURI, Francesco. Progettare progettando strategia. Milano: Masson S.p.A., 1996.
  • [21] MERONI, Anna; CORUBOLO, Marta; BARTOLOMEU, Matteo. The social innovation journey: emerging challenges in service design for the incubation of social innovation. In: SANGIORGI, Daniela;
  • [22] PRENDIVILLE, Alison (ed.). Designing for service: key issues and new directions. Londres: Bloomsbury, 2017. p. 163-181.
  • [23] MERONI, Anna. Depicting solutions: tools and techniques for describing services. In: MANZINI, Ezio;
  • [24] JÉGOU, François (org.). Sustainable everyday: scenarios of urban life. Milano: Edizioni Ambiente, 2003. p. 235-239.
  • [25] MERONI, Anna; FASSI, Davide; SIMEONE, Giulia. Design for Social Innovation as a form of design activism: an action format. In: SOCIAL FRONTIERS: the next edge of social innovation research conference proceedings. London: Nesta, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/263016635_Design_for_Social_Innovation_as_a_form_of_D esign_Activism_An_action_format. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [26] MERONI, Anna. Strategic design: where are we now: reflection around the foundations of a recent discipline. Strategic design research journal, São Leopoldo, v. 1, n. 1, p. 31-38, 2008. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/sdrj/article/view/5567. Acesso em: 20 fev. 2020.
  • [27] MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2005.
  • [28] MUOTRY, Alysson. Associações de pais e pacientes. G1, São Paulo, 7 de setembro de 2007. Disponível em: http://g1.globo.com/platb/espiral/2007/09/07/associacoes-de-pais-e-pacientes/. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [29] MURRAY, Robin; CAULIER-GRICE, Julie; MULGAN, Geoff. The open book of social innovation. Londres: The Young Foundation & Nesta, 2010.
  • [30] OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves. Business model generation. inovação em modelos de negócios. Rio de Janeiro: Alta Books, 2011.
  • [31] PEREIRA, Camila Claudiano Quina Pereira. Sobre a participação das associações de pacientes na construção do conhecimento sobre saúde: o caso das doenças raras. 2015. 152f. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/17094/1/Camila%20Claudiano%20Quina%20Pereira.pdf. Acesso em: 20 mar. 2019.
  • [32] RUSKY, Renata. Como conviver com doenças raras: pacientes revelam suas lutas. Correio Braziliense, [Brasília], 29 de abril de 2018. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/revista/2018/04/29/interna_revista_correio, /como-conviver-com-doencas-raras-pacientes-revelam-suas lutas.shtml. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [33] SAMTEN, Padma. Relações e redes. Viamão: Ação Paramita, 2019.
  • [34] SANTOS LUZ, Geisa dos; SILVA, Mara Regina Santos da; DEMONTIGNY, Francine. Priority needs referred by families of rare disease patients. Texto & Contexto: enfermagem, Florianópolis, v. 25, n. 4, nov. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010407072016000400311&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • [35] TUDELA, Juan Carrión; RAMÍREZ, Gloria Pino; HENAO, Alicia Males. Do movimiento asociativo de las enfermedades raras em Iberoamérica. Murcia: Alianza Iberoamericana de Enfermedades Raras o Poco Frecuentes, 2018.
  • [36] VERGANTI, Roberto. Design-Driven Innovation. São Paulo: Canal Certo, 2012.
  • [37] ZURLO, F. Design strategico. Roma: Enciclopedia Treccani, 2010. v. 4. Disponível em: http://www.treccani.it/enciclopedia/design-strategico_%28XXI-Secolo%29/. Acesso em: 24 mar. 2019.
Como citar:

Bittencourt, Gustavo Berwanger; Freire, Karine de Mello; "Design Estratégico na área da saúde: propostametodológica para a Inovação Cultural e Social deassociações ligadas a doenças raras", p. 599-612 . In: Anais do Colóquio Internacional de Design 2020. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cid2020-47

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações