Dezembro 2020 vol. 8 num. 5 - Colóquio Internacional de Design 2020

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Design e Dissidência Queer: considerações sobrequestões de gênero no design

Design and Queer Dissent: gender considerations in design

Oliveira, Mariana Nobre de; Medeiros, Wellington Gomes de;

Artigo completo:

Este artigo apresenta considerações sobre design e a cultura queer como parte de pesquisa emdesenvolvimento. Inicialmente, contextualizamos sobre as políticas de gênero contemporâneas,apresentando questões sobre a ordem binária, as hierarquias de gênero, e a pluralidade dosativismos, pontuando também de que forma essas questões se relacionam com o campo do design.Tratamos das dissidências de gênero como intrínsecas às relações de interseccionalidade edecolonialidade, direcionando o design como um meio político de contestação para enfrentamento daspautas e perspectivas queer. Colocamos em discussão os regimes estéticos normativos e o modocomo o design opera frente aos padrões hegemônicos, apresentando novas propostas e perspectivasque vêm ocorrendo no campo. A intenção é perceber, na ascensão dos novos discursos, ainevitabilidade das questões de gênero no design pelo seu papel e impacto nas representaçõessimbólicas de gênero e na materialização de regimes normativos. Considerar o fator humano em suacomplexidade impõe, pelas vias da contemporaneidade, uma nova ótica sobre as dissidências degênero e representações queer.

Artigo completo:

This article presents considerations about design and queer culture as part of research inprogress. Initially, we contextualize about contemporary gender policies, presenting questions aboutthe binary order, gender hierarchies, and the plurality of activisms, also pointing out how these issuesrelate to the field of design. Approaching gender dissidences as intrinsic to the relations ofintersectionality and decoloniality, we address design as a political means of contestation front ofqueer agendas and perspectives. Thus, discussing the normative aesthetic regimes and the way inwhich design operates facing hegemonic standards, presenting some new proposals and perspectivesthat have been taking place in the field. The intention is to perceive, in the ascent of new discourses,the inevitability of gender issues in design, due to its role and impact on symbolic representations ofgender and the materialization of normative regimes. Considering, through contemporaneity, thehuman factor in its complexity, it is needful a new perspective on gender dissent and queerrepresentations in design.

Palavras-chave: Design; Queer; Gênero; Normatividade,

Palavras-chave: Design; Queer; Gender; Normativity,

DOI: 10.5151/cid2020-41

Referências bibliográficas
  • [1] ABDALA, M.; SIQUEIRA, N. Fazer e pensar design em um mundo em transição: Decolonialidade e design como articulação simbólica. In: Anais do 9º CIDI e 9º CONGIC. Belo Horizonte: SBDI, 2019.
  • [2] BENTO, Berenice. Apresentação. In: COLLING, Leandro. Que os outros sejam o normal: tensões entre movimento LGBT e ativismo queer. Prefácio. Salvador: EDUFBA, 2015. l. 64-150. ePUB BENZ, Peter. Experience Design. London: Bloomsbury, 2015.
  • [3] BOMFIM, Gustavo A. Ideias e Formas na História do Design. Editora Universitá UFPB, 1998.
  • [4] BONSIEPE, Gui. Design, Cultura e Sociedade. 1ª. ed. São Paulo: Blucher, 2011.
  • [5] BORGES, Laila. As formas que moldam gêneros: o design como tecnologia de gênero no projeto de brinquedos infantis. Dissertação (Mestrado em Gênero) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, UFBA. Salvador, 2017.
  • [6] BUCHMÜLLER, Sandra. How to Design in a Social Responsible and Gender Sensitive Way? Palesta proferida no KISDtalks, Köln International School of Design, Köln, 201 Disponível em: . Acesso em 28 jul. 2020.
  • [7] BUTLER, Judith. Bodies that matter: on the discursive limits of "sex". New York: Routledge. 1993.
  • [8] BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução: Renato Aguiar. 13ª. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.
  • [9] CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo: Ubu, 2016.
  • [10] COLLING, Leandro. Que os outros sejam o normal: tensões entre movimento LGBT e ativismo queer. Salvador: EDUFBA, 2015. ePUB.
  • [11] COLLINS, P. H. Black feminist thought: knowledge, consciousness, and the politics of empowerment. 2. ed. New York: Routledge, 2000.
  • [12] CONNELL, Raewyn. Gênero em termos reais. Tradução: Marília Moschkovich. São Paulo: nVersos, 2016.
  • [13] CONNELL, R.; PEARSE, R. Gênero: uma perspectiva global. Tradução: Marília Moschkovich. São Paulo: nVersos, 2015.
  • [14] COSTANZA-CHOCK, Sasha. Design Justice: towards an intersectional feminist framework for design theory and practice, p. 529-540. In: Design Research Society International Conference [Proceedings of DRS2018, v.2]. Limerick: Design Research Society, 2018.
  • [15] DESIGN JUSTICE NETWORK. If We Want Design to be a Tool for Liberation, We’ll Need More Than Good Intentions. AIGA Eye on Design, 22 jul. 2020. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.
  • [16] DIAS, Rui H. M. Design de produto e corpo humano: ligações objeto-corpo na contemporaneidade. 2014. Tese (Doutorado em Design) - Faculdade de Arquitetura, Universidade de Lisboa. Lisboa, 2014.
  • [17] FOSTER, Hal. Recodificação. São Paulo: Casa Editorial Paulista, 1996.
  • [18] FOUCAULT, Michael. História da sexualidade: a vontade de saber. São Paulo: Paz & Terra, ed. 9, vol. 1, 2014.
  • [19] GOMES, Camilla. D. M. Gênero como categoria de análise decolonial. Civitas, Porto Alegre, v. 18, n. 1, Janeiro-Abril 2018. p. 65-82.
  • [20] JARY, David; JARY, Julia. Collins Dictionary of Sociology. Glasgow: Harper Collins, ed. 3, 2000.
  • [21] JOOST, G.; BIELING, T. Design contra a Normalidade. V!RUS, São Carlos, n. 7, Junho 2012.
  • [22] JULIER, Guy. Design Since 1900. London: Thames & Hudson, 2004.
  • [23] MORAES, Dijon De. Limites do Design. São Paulo: Studio Nobel, 1997.
  • [24] MORIN, Edgar. A Cabeça Bem-Feita. Rio de Janeiro: Bertrand, 2014
  • [25] NORMAN, Donald. Design Emocional. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.
  • [26] PELÚCIO, Larissa. Traduções e torções ou o que se quer dizer quando dizemos queer no Brasil? Revista Periódicus, Salvador, n. 1, Maio-Outubro 2014. p. 68-91.
  • [27] PORTINARI, Denise. Queerizar o Design. Arcos Design, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, Outubro 2017. p. 1-19.
  • [28] PERES, Willian S.; TOLEDO, Lívia G. Dissidências Existenciais de Gênero: resistências e enfrentamentos ao biopoder. Psicologia Política, Porto Alegre, v. 11, n. 22, Julho-Dezembro 2011. p. 261-277.
  • [29] RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.
  • [30] REA, Caterina A.; AMANCIO, Izzie M. S. Descolonizar a sexualidade: Teoria Queer of Colour e trânsitos para o Sul. Cadernos Pagu, Campinas, n. 53, 2018.
  • [31] SILVA, Sâmia B. E.; LESSA, Washington D. Modernização, progresso e desenvolvimento: desafios para o design na construção de perspectivas locais contra-hegemônicas, p. 561-569. In: Anais do 7º Simpósio Design Sustentável [Blucher Design Proceedings, v.6, n.3]. São Paulo: Blucher, 2019.
  • [32] THÜRLER, D.; TRÓI, M. D.; GARCIA, P. C. Dossiê Artivismo: outras cenas de enfrentamento, ontem e hoje. Cult, São Paulo, n. 226, Agosto 2017. p. 24-27
  • [33] WARD, Matt. Critical about Critical and Speculative Design. SpeculativeEdu, 23 jul. 2019. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. 2020.
  • [34] ZAPATA, M.; OLIVEIRA JR, N. H. Design de moda e cultura Queer: o devir-drag como expressão de gênero. Revista D.: Design, Educação, Sociedade e Sustentabilidade, Porto Alegre, v. 9, n. 2, 2017. p. 80-91.
Como citar:

Oliveira, Mariana Nobre de; Medeiros, Wellington Gomes de; "Design e Dissidência Queer: considerações sobrequestões de gênero no design", p. 528-539 . In: Anais do Colóquio Internacional de Design 2020. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cid2020-41

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações