Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Design como mediador da inovação em startups

Design as mediator of innovation in startups

Araújo, Lidiane Samora de; Engler, Rita de Castro; Sales, Rosemary Bom Conselho;

Artigo Completo:

O design hoje é reconhecido por um número crescente de pessoas como uma forma de pensar e comportar-se aplicável a diferentes situações. O profissional do design é visto como pessoa qualificada e com competência técnica para lidar com ferramentas e abordagens que vão possibilitar a mediação de processos informacionais e comunicativos. Nesse sentido, o designer pode potencializar a produtividade e desenvolver soluções inovadoras, integrando capacidades e estimulando ações criativas. O termo inovação juntamente com a demanda por novas startups tem-se destacado como alternativa para as empresas que desejam se adaptar as novas tecnologias e criar diferenciais competitivos no meio em que atuam. Atualmente profissionais de diferentes áreas implementam abordagens padronizadas de design em suas práticas de trabalho, sem levar em consideração conhecimentos específicos necessários à prática do design. Este artigo discute alguns conceitos relacionados ao papel do design neste cenário, considerando definições essenciais como design, inovação, empreendedorismo e startups . Este estudo, de caráter exploratório, se apoia em teorias do design e de inovação e traz como resultado uma reflexão do papel do design frente as startups, e sua abrangência e para concepção e implementação de inovações. Espera-se que o potencial dos designers junto às startups possa estabelecer empreendimentos mais competitivos no mercado, além de abrir oportunidades nesse ambiente de trabalho. Os resultados apontam para a necessidade de parcerias e elaboração de mapeamento de startups versus a construção de um banco de oportunidades para profissionais do design.

Artigo Completo:

Design today is recognized by a growing number of people as a way of thinking and behaving applicable to different situations. The design professional is seen as a qualified person with technical competence to deal with tools and approaches that will enable the mediation of informational and communicative processes. In this sense, the designer can boost productivity and develop innovative solutions, integrating capabilities and stimulating creative actions. The term innovation along with the demand for new startups has been highlighted as an alternative for companies that wish to adapt to new technologies and create competitive differentials in the environment in which they operate. Currently, professionals from different areas implemente standardized approaches to design in their work practices, without taking into account the specific knowledge required for design practice. This article discusses some concepts related to the role of design in this scenario, considering essential definitions such as design, innovation, entrepreneurship and startups. This exploratory study draws on design and innovation theories and results in a reflection of the role of design in the face of startups, their comprehensiveness and the design and implementation of innovations. It is hoped that the potential of designers together with startups can establish more competitive ventures in the market, in addition to opening opportunities in this work environment. The results point to the need for partnerships and mapping of startups versus the construction of a bank of opportunities for design professionals.

Palavras-chave: design; inovação; startup; empreendedorismo,

Palavras-chave: design; innovation; startup; entrepreneurship,

DOI: 10.5151/cid2017-23

Referências bibliográficas
  • [1] AZEVEDO, Wilson. O que é design. São Paulo: Brasiliense, 2005.
  • [2] BEST, Kathryn. Design management: Managing Design Stategy, Process and Implementation. 2th Ed. Fairchild Books. 2015
  • [3] BONSIEPE, Gui. Design, cultura e sociedade. São Paulo: Blucher, 2011.
  • [4] CBD – Centro Brasil Design. Diagnóstico do Design Brasileiro. 201 Disponível em:
  • [5] http://www.cbd.org.br/wp-content/uploads/2013/01/Diagnostico_Design_Brasileiro_Web.pdf. Acesso em 26/07/2017.
  • [6] Christensen, Clayton M. O dilema da inovação - Quando As Novas Tecnologias Levam Empresas Ao Fracasso. M.Books; 2012.
  • [7] CNI - Confederação Nacional da Indústria. Pequenas e médias empresas inovadoras e startups / Confederação Nacional da Indústria, Instituto Euvaldo Lodi. – Brasília:, 2016.
  • [8] FASCIONI, Ligia. O design do designer. E-book ISBN: 978-85-915143-4-2, publicado em 2014. Disponível em: http://www.ligiafascioni.com.br/wp-content/uploads/2010/08/DesignDesigner-LigiaFascioni.pdf. Acesso em 26 de Jun. 2017.
  • [9] FINEP. Glossário. Disponível em: http://www.finep.gov.br/biblioteca/glossario. Acesso em 26/06/2017.
  • [10] FORTY, Adrian SOARES, Pedro Maia. Objetos de desejo design e sociedade desde 1750. São Paulo Cosac & Naify, 2007.
  • [11] GEM. Global Entrepreneurship Monitor Empreendedorismo no Brasil: 2016; Curitiba: IBQP, 2017. ISBN 978-85-87446-22-0: Disponível em: https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/GEM%20Nacional%20-%20web.pdf Acesso em 21 de Jun. 2017.
  • [12] GITAHY, Yuri. O que é uma startup? Exame. PME. Disponível em: http://exame.abril.com.br/pme/dicas-de-especialista/noticias/o-que-e-uma-startup?page=1. Acesso em 01. Jul.2017
  • [13] GUILLEBEAU, CHRIS. A Startup de $100: Abra o negócio dos seus sonhos e reinvente sua forma de ganhar a vida. São Paulo: Saraiva, 20
  • [14] Kaplan, Jerry. Startup: uma aventura no Vale do Silício. Cultura Editores Associados. 1998.
  • [15] Kotler, Philip. Keller, Kevin Lane. Administração de Marketing. 14ª Ed. 2012.
  • [16] KOTLER, Philip. Administração de marketing. 14ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.
  • [17] KRUCKEN, Lia. Competências para o Design na sociedade contemporânea. In: De Moraes, D.; Krucken, L.. (Org.). Design e Transversalidade. 1 ed. Belo Horizonte: Santa Clara, 2008, v. 1.
  • [18] LONGHI, Fúlvio. A história da revolução das startups. Imasters, 2011.Disponível em: http://imasters.com.br/artigo/20027/mercado/a-historia-da-revolucao-das-startup. Acesso em: 01 de Jul. 2017.
  • [19] MALDONADO, Tomás. Neue Entwicklungen in der Industrie und die Ausbildung des Produktgestalters. Em: ulm, Zeitschrift der Hochschule fur Gestalgung, n.2, 1958, apud BONSIEPE, Gui. Design, Dultura e Sociedade. São Paulo: Blucher, 2011.
  • [20] MANZINI, Ezio. Design, when everbody designs: an introduction to design for social innovattion. Cambridge: MIT Press Book, 2015.
  • [21] MARTINS, Rosane Fonseca de Freitas; MERINO, Eugênio André Dias. A gestão do Design como estratégia organizacional. 2.ed. Londrina: Eduel; Rio de Janeiro: Rio Books, 2011.
  • [22] MORAES, Dijon de. Design e Complexidade. Estudos Avançados em Design. Caderno 2. UEMG, 2008.
  • [23] MOZOTA, Brigitte Borja de. Gestão do Design: usando o Design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman, 2011.
  • [24] NICOLAU, Raquel Rebouças A. ZOOM: Design, Teoria e Prática. João Pessoa: Ideia, 2013. 201 p. Disponível em: http://www.insite.pro.br/elivre/zoomraquel.pdf. Acesso em: 27 de Jun. 2017.
  • [25] OLIVEIRA, Caio Marcelo Miolo. O Moodboard como estímulo à inovação no processo de
  • [26] codesign: estudo de caso em uma startup. 12º P&d 2016: Belo Horizonte. 2016.
  • [27] Porter, Michael E. Estratégia Competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Campus, 1986.
  • [28] RIES, Eric. A Startup Enxuta: como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. São Paulo: Lua de Papel, 2012.
  • [29] RONCALIO, Vanessa Weiss; KISTMANN, Virgínia Borges. Inovação guiada pelo design: possíveis caminhos para pensar a significação em produtos e serviços. In 11º P&D, 2014. Disponível em: http://www.ufrgs.br/ped2014/trabalhos/trabalhos/1081_arq2.pdf. Acesso em 26 de Jun. 2017.
  • [30] SANTOS, Ana Paula de Freitas; PEREIRA, Fabrício Henrique; SHIMADA, Gracieli Silva; MARTINS, Kissylla Mirielle Ferreira; PINTO, Abigail Deolinda Lunelli. A Variável Produto no Mix de Marketing. Revista Ampla de Gestão Empresarial, Registro, SP, Ano 2, N° 2, art. 8, p 117-129 maio 2013, ISSN 2317-0727.
  • [31] THIEL, Peter. De zero a um: O que aprender sobre empreendedorismo com o Vale do Silício. 1. Ed. – Rio de Janeiro: Objetiva, 2014.
  • [32] VERGANTI, Roberto. Design, Meanings, and Radical Innovation: A Metamodel and a Research Agenda. The journal of product Innovation Management. 2012. Disponível em: http://www.uniroma2.it/didattica/direzioneestrategie/. Acesso em: 26 de Jun. 2017.
  • [33] VERGANTI, Roberto. Não existe manual de inovação. Entrevista a revista Exame. Disponível em: http://exame.abril.com.br/revista-exame/nao-existe-manual-de-inovacao-declara-robertoverganti/2012. Acesso em: 01 de Jul. 2017.
Como citar:

Araújo, Lidiane Samora de; Engler, Rita de Castro; Sales, Rosemary Bom Conselho; "Design como mediador da inovação em startups", p. 268-277 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-23

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações