Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Design com minimalismo para slow fashion

Design with minimalism for slow fashion

Conti, Flávia Pereira; Ourives, Eliete Auxiliadora Assunção; Figueiredo, Luiz Fernando Gonçalves de;

Artigo Completo:

O artigo tem como objetivo a análise dos fatores positivos e negativos da aplicação de um design minimalista com enfoque no sistema slow fashion em empresas de moda, e também a exposição de empresas brasileiras que já o fazem em seu ambiente de trabalho. Para tanto, utilizou-se da ferramenta desenvolvida por Bruno-Faria e Alencar (1997), denominada “Indicadores de Clima de Criatividade” (ICC), que, por meio da análise de um ambiente criativo, busca avaliar os fatores que influenciam na expressão do potencial criador, tanto com os empregados individualmente quanto em nível organizacional. Para poder fazer tal investigação, fez-se um levantamento individual sobre design minimalista e slow fashion , analisando suas semelhanças e aplicações na história do design de moda para, à partir deste levantamento, poder fazer a aplicação das informações na ferramenta ICC. Como resultado, obteve-se uma análise positiva do ambiente de trabalho com aplicação do design minimalista para slow fashion , observando-se uma maior liberdade de ação, incentivo à novas ideias, disponibilidade de recursos materiais, autonomia do calendário de produção e a oportunidade de repensar o sistema de Moda, abrindo novas possibilidades de criação e de produção. Como único fator ambíguo, tem-se a probabilidade de haver bloqueio de ideiais por meio de superiores, podendo este ser positivo ou não. Como conclusão, percebe-se que a prática de um design minimalista para um sistema slow fashion é eficiente e uma oportunidade, além de criar um elo emocional com o consumidor por meio de seus artefatos, também possibilitando que a sociedade repense seu modo de consumo, observando-se a retomada de um pensamento mais crítico em cada ação, buscando uma maior conscientização, dada esta por meio de uma leitura do pensamento contemporâneo.

Artigo Completo:

The article aims to analyze the positive and negative factors of the application of a minimalist design focused on the slow fashion system in fashion companies, as well as the exposure of Brazilian companies that already do it in their work environment. In order to do so, it was used the tool developed by Bruno-Faria and Alencar (1997), called "Climate Indicators of Creativity" (CIC), which, through the analysis of a creative environment, seeks to evaluate the factors that influence expression of creative potential, both with individual employees and at the organizational level. In order to carry out such an investigation, an individual survey on minimalist design and slow fashion was carried out, analyzing its similarities and applications in the history of fashion design, and from this survey, to be able to apply the information in the CIC tool. As a result, it was obtained a positive analysis of the work environment with the application of the minimalist design for slow fashion, observing a greater freedom of action, encouraging new ideas, availability of material resources, autonomy of the production schedule and the opportunity to rethinking the Fashion system, opening up new possibilities for creation and production. As the only ambiguous factor, one has the probability of blocking ideas through superiors, which may be positive or not. As a conclusion, it is perceived that the practice of a minimalist design for a slow fashion system is positive and efficient, as well as creating an emotional link with the consumer through its products, also enabling society to rethink its mode of consumption, noting the resumption of a more critical thinking in each action, seeking a greater global awareness, given this through a reading of contemporary thinking.

Palavras-chave: minimalismo; slow fashion; design,

Palavras-chave: minimalism; slow fashion; design,

DOI: 10.5151/cid2017-21

Referências bibliográficas
  • [1] 6 coisas que você deve saber sobre Flat Design. 2013. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [2] ADA: Marca brasileira traz peças minimalistas e veganas permitindo que as mulheres libertem-se das amarras da moda. 2017. Disponível em . Acesso em 06 de junho de 2017.
  • [3] BAUMAN, Zygmunt. Journal of consumer culture. 2001. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [4] BIZ, Eduardo. A desaceleração da fast fashion . 2013. Disponível em . Acesso em 06 de junho de 2017.
  • [5] BRUNO-FARIA, Maria; ALENCAR, Eunice. Indicadores de clima para a criatividade: um instrumento de medida da percepção de estímulos e barreiras à criatividade no ambiente de trabalho. Revista de Administração. São Paulo: v. 33, n.4, p. 86-91, outubro/dezembro 1998.
  • [6] BUENO, Bárbara. Movimento slow life: desacelerando a vida. 201 Disponível em . Acesso em: 24 de maio de 2017.
  • [7] Cantrelle Design: sobre nós. Sem ano. Disponível em . Acesso em 06 de junho de 201
  • [8] COFFANI, Ana Laura. O que é design minimalista? 2015. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2017.
  • [9] DELLA MEA, Luciana. A moda em [re]evolução: slow fashion . 2014. Disponível em:
  • [10] . Acesso em 05 de maio de 2017.
  • [11] DENIS, Rafael. Uma introdução a história do design. 1999. São Paulo: Edgar Blüncher, 2000. 240 p.
  • [12] Design minimalista: sua história e dicas práticas. 2013. Disponível em: . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [13] ESCÓSSIA, Fernanda da. Crescimento constante: taxa de suicídio entre jovens sobe 10%
  • [14] desde 2002. 2017. Disponível em . Acesso em 06 de junho de 2017.
  • [15] Escola de Bauhaus. 20 Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [16] Estilo de vida das gerações globais: quanto a idade influencia nosso comportamento?
  • [17] 2016. Disponível em . Acesso em 06 de junho de 20
  • [18] FERREIRA, Eduardo; BRAGA, Marcos. Minimalismo e design minimalista. Sem ano. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [19] FERREIRA, Eduardo. Minimalismo, design minimalista e suas influências. 2008. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [20] MANZINI, Ezio; VEZZOLI, Carlo. O desenvolvimento de produtos sustentáveis: os requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo. Editora da Universidade de São Paulo, 2002.
  • [21] Marca brasileira, sustentável e justa! A Brisa só utiliza matérias-primas orgânicas, além de tingimentos naturais. 2017. Disponível em < http://followthecolours.com.br/style-freak/brisa-slowfashion/?utm_campaign=coschedule&utm_source=facebook_page&utm_medium=Follow%20The%20Colours&utm_content=Marca%20brasileira%20sustent%C3%A1vel%20e%20justa!%20A%20Brisa%20s%C3%B3%20utiliza%20mat%C3%A9riasprimas%20org%C3%A2nicas,%20al%C3%A9m%20de%20tingimentos%20naturais>. Acesso em 06 de junho de 2017.
  • [22] MARCONI, Marina; LAKATOS, Eva. Fundamentos de metodologia científica. 2003. 5ª edição. São Paulo: Atlas S.A. 311 p.
  • [23] MIGUEL, Bruna. O que é “minimalismo” na moda. 2014. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [24] NEUTE, Fernanda. O que é minimalismo?. 2013. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [25] NICOLAU, Raquel. ZOOM: Design, teoria e prática. 2013. Disponível em . Acesso em 08 de junho de 2017. O que é design? Sem ano. Disponível em < https://www.marketdesign.com.br/blog/o-que-edesign>. Acesso em 08 de junho de 2017.
  • [26] O que é design e o que ele pode fazer pela sua empresa. Sem ano. Disponível em. Acesso em 08 de junho de 2017.
  • [27] REFOSCO, Ereany; OENNING, Josiany; NEVES, Manuela. Da alta costura ao prêt-à-porter, de Fast fashion a Slow fashion : um grande desafio para a Moda. 2011. Disponível em . Acesso em 08 de junho de 2017.
  • [28] REVIDE. O conceito de fast fashion . 2010. Disponível em . Acesso em 24 de maio de 2017.
  • [29] SARATE, Fernanda. O movimento slow life e a desaceleração da sociedade de consumo contemporânea. 2009. Disponível em < http://www.comunicacaoetendencias.com.br/wpcontent/uploads/2011/04/TCC-Fernanda-Sarate.pdf>. Acesso em: 24 de maio de 2017.
  • [30] SILVA, Samantha; BUSARELLO, Raul. Fast fashion e slow fashion: o processo criativo na contemporaneidade. 2016. Disponível em . Acesso em 05 de junho de 2017.
  • [31] The rise of Lowsumerism. 2015. Disponível em: . Acesso em 06 de junho de 2017.
  • [32] TORRES, Marcos. Vamos falar sobre minimalismo. 2016. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2017.
  • [33] ZYSKO, Jefferson. Design dos anos 80. 2012. Disponível em . Acesso em 05 de maio de 2017.
Como citar:

Conti, Flávia Pereira; Ourives, Eliete Auxiliadora Assunção; Figueiredo, Luiz Fernando Gonçalves de; "Design com minimalismo para slow fashion", p. 246-257 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-21

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações