Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Design com Foco em Industrianato sob Abordagem Sistêmica

Design with focus on Industrianato under Systemic Approach

Ribeiro, Giovana de Freitas Rabelo; Figueiredo, Luiz Fernando Goncalves De; Ourives, Eliete Auxiliadora Assunção;

Artigo Completo:

A população brasileira é formada por uma sociedade de culturas diferentes que se instalaram em regiões com características próprias gerando um artesanato diversificado e regionalista, e o design que, “para Walter Gropius, fundador da Bauhaus, esta concepção de arte e artesanato devia ser considerada não a partir da perspectiva de duas atividades, mas como dois ramos da mesma atividade” (Mozota, 2011, p.37), sempre foram indiferentes evitando a aproximação com o artesão, até que nos anos de 1980, houve uma busca da revitalização do artesanato através da preservação das técnicas produtiva. Esta parceria gerou um avanço, mas também pontos de tensão, que promoveu uma reflexão visando o desenvolvimento de um processo adequado. Em 1995 surge o PAB/MDIC - Programa de Artesanato Brasileiro do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, com as informações do SICAB – Sistema de Informação Cadastrais do Artesanato Brasileiro, com o intuito de elaborar políticas públicas, e planejamento de ações de fomento para o setor artesanal. A investigação inicia a discussão sob uma abordagem sistêmica e a gestão de design, que é uma forma de organizar e gerenciar o tema artesanato, suas classificações, suas formas tradicionais de trabalho e a relação com o processo industrial. Através dos conceitos que permeiam o tema, uma análise do artesanato como uma atividade produtiva e geradora de renda, e diante da importância deste setor e de seu grande desenvolvimento torna-se necessário propor uma classificação dos produtos a partir de inovações de processos, aplicação de gestão e qualificação do artesão. Dentro deste contexto e levando em consideração a necessidade de realizar pesquisas acadêmicas sobre o artesanato, surge à indagação de como a produção do artesanato em larga escala se relaciona com os processos produtivos, a gestão e a indústria e o que pode ser denominado industrianato. A pesquisa classifica-se em sua natureza como básica já que objetiva gerar novos conhecimentos para o avanço da ciência sem aplicação prática prevista, em relação à forma de abordagem como qualitativa, pois busca conhecimentos no mundo real, não podendo ser traduzido em números, segundo os seus objetivos como exploratória visto que objetiva proporcionar maior familiaridade com o problema por meio de uma pesquisa teórico-bibliográfica sobre artesanato e industrianato. O resultado da busca através dos conceitos e pesquisas encontradas permitiu desenvolver uma reflexão sobre a conceituação de industrianato existente mostrando que pode ser ampliado e melhor classificado. Os produtos resultantes de um artesanato onde se aplica a gestão de design sob uma abordagem sistêmica pode utilizar ou classificar o industrianato.

Artigo Completo:

The Brazilian population is formed by people of different cultures that have settled in regions with own characteristics by generating a diverse crafts and regionalist, and the design, according to Gropius, should be connected to the crafts, has always been indifferent while avoiding the approximation with the artisan, until in 1980, with the support of the Government there has been a paradigm breaks. The investigation starts a discussion on the crafts theme, and your relationship with the industry and design, under a systemic approach. In 1995 appears the PAB/MDIC having the purpose to create public policies, and after, a program of SEBRAE that enables the crafter to the entrepreneurship. The investigation starts a discussion about a systemic approach and the design management, that is a way to organize and manage the craft topic, it’s classifications, it’s traditional technics of work and the relation with the industrial process. Throughout the concepts that are related to the topic, a craft analysis as a productive activity and profitable, and due to the importance of this sector and to it’s major development, becomes necessary a classification of the products from process innovations, management application and crafter qualification. Within this context, and taking into account the need to conduct scientific research on the crafts, arises the questioning of how handicraft production in large scale relates to the industry and what can be termed industrianato. The research is classified in your nature as basic since it aims to generate new knowledge for the advancement of science without practical application, in relation to the form of qualitative approach, according to its exploratory goals as seen aimed at providing greater familiarity with the problem through a research theoretical and bibliography about crafts and industrianato and based on the concepts studied developed a reflection on the concept of industrianato. The result of the research through the concepts and researches found allowed developing a thought about conceptualization of the existed industrianato showing that it could be extended and better classified. The resulting products of a craft where it is applied the design management under a systemic approach can use or classify the industrianato.

Palavras-chave: Gestão de Design; Artesanato; Indústria; Inovação de Processos,

Palavras-chave: Design Management, Crafts, Industry, Process innovation,

DOI: 10.5151/cid2017-20

Referências bibliográficas
  • [1] BELCHIOR, Camilo de Lelis. Reciclando os Sentidos, Ed. Do Autor. Contagem: 2014.
  • [2] BERTALANFFY, Ludwig Von. Teoria Geral dos Sistemas: fundamentos, Desenvolvimentos e Aplicações, Vozes. Petrópolis: 2010.
  • [3] BRASIL. Diário Oficial. 06 de Outubro de 2010. Portaria SCS/MDIC Nº29.
  • [4] BORGES, Adélia. Design + Artesanato: O caminho Brasileiro. Terceiro Nome. São Paulo: 2011.
  • [5] CARDOSO, Rafael. Uma Introdução à História do Design. Edgard Blucher. São Paulo, 2004.
  • [6] CHRISTENSEN, C. M. Dilema da inovação: quando novas tecnologias levam empresas ao fracasso. Makron Books. São Paulo: 2001.
  • [7] DRUCKER, P. Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e princípios. Pioneira Thomson. São Paulo: 2002.
  • [8] KRUCKEN, Lia. Design e Território: valorização de identidades e produtos locais. Studio Nobel. São Paulo: 2009.
  • [9] LANA, S. L. B. A Complexidade dos Métodos em Design. Ed.UEMG. Belo Horizonte: 2011.
  • [10] MARTINS, Rosane Fonseca de Freitas; MERINO, Eugenio A. D. Gestão de Design como Estratégia Organizacional. EDUEL, Rio Books. Londrina: 2011.
  • [11] MAÑAS, A.V. Gestão de tecnologia e inovação. Érica. São Paulo: 2001.
  • [12] MASCENE, Durcelice Cândida. Termo de Referência: Atuação do Sistema SEBRAE no Artesanato. Brasília: 2010.
  • [13] MERINO, G. S. A. D. O Percurso do design: No Ensino e na Prática. Ed. UEMG. Belo Horizonte: 2011
  • [14] MOZOTA, Brigitte Borja de. Gestão do Design: Usando o Design para Construir Valor de Marca e Inovação Corporativa. Bookman. Porto Alegre: 2011.
  • [15] MORAIS, Dijon de. Caderno de Estudos Avançados em Design: Design e História. Ed. UEMG. Barbacena: 2014.
  • [16] MORIN, E. O método 1: a natureza da natureza. Tradução de Ilana Heineberg. Sulina. Porto Alegre: 2005.
  • [17] ROCHA NETO, Ivan. Gestão Estratégica de Conhecimentos & Competências: Administrando Incertezas e Inovações. UCB/Universa. Brasília: 2003.
  • [18] RONCALIO, Vanessa weiss. Inovação a Partir do Processo de significação em Produtos: Um Framework Conceitual para o Design. Curitiba: 2015.
  • [19] SANTOS, Flávio Anthero dos. O Design como Diferencial Competitivo: o Processo de Design Desenvolvido sob o Enfoque da Qualidade e da Gestão Estratégica. Editora da Univali. Itajaí: 2000.
  • [20] TRÍAS, de Bes, Fernando. A Bíblia da Inovação. Leya. São Paulo: 2011.
  • [21] VASCONCELLOS, Maria José Esteves de. Pensamento Sistêmico: O Novo Paradigma da Ciência. Editora Papirus. Campinas: 2013.
  • [22] ARTIGOS, TESES E DISSERTAÇÕES.
  • [23] ALANO, Agda Bernadete. Gestão de design como uma Ferramenta Estratégica para Identificar a Inovação Social em uma Comunidade Criativa. Dissertação de Mestrado em Gestão de Design do programa de Pós Graduação em Design da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis: 2015
  • [24] BARBOSA, Ana Carolina de morais Andrade. Cavalcanti, Virginia Pereira. Design, Souvenir e Cultura: Abrangência da Experiência Turística. 12º P&D - Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Outubro 2016/num.2, vol. 9. Belo Horizonte: 2016
  • [25] DUMONT, Fabiana. Análise do Processo de Comercialização de Produtos Artesanais de Comércio Justo para o Mercado Nacional e Internacional. Dissertação de Mestrado em Gestão do Desenvolvimento Local Sustentável. Faculdade de Ciência da Administração de Pernambuco. Recife: 2015
  • [26] FREITAS, Ana Luiza Cerqueira, Nicácio, Isadora Mayume Watanabe. O Uso do Mapeamento como Ferramenta de Diagnóstico de Projeto em Design para o Artesanato. 11º P&D – Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Gramado: 2014
  • [27] JOHANN, Diane Mere Weiller. Design e Artesanato: Análise da Gestão, Materiais e Técnicas Utilizadas em Grupos de Artesão no Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós Graduação em Design. - UFRGS. Porto Alegre: 2010.
  • [28] LORETO de Vargas, Daiene. Tecendo Tradições: Artesanato e Mercado Simbólico em uma comunidade Rural do Pampa Gaúcho. Tese de Doutorado do Programa de Pós Graduação em Extensão Rural. Universidade Federal de Santa Maria-UFSM-RS. Santa Maria: 2016.
  • [29] MAZZA, Adriana Carla Avelino. O Design, a Arte e o Artesanato Deslocando o Centro. Cadernos Ebape. BR, v.05, nº 04, Dez.2007. . Ceará: 2007.
  • [30] RABELO, Livia. O Processo de Expressão da Identidade Local no Artesanato da Associação Municipal de Artesãos de Paula Cândido (AMAPAC). Revista Elo – Dialogo em Extensão. Vol. 4, n.1, Junho de 2015.
  • [31] SANTANA, Maíra Fontenele. Design e Artesanato: Fragilidades de uma Aproximação. Revista do Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social - CIAGS & Rede de Pesquisadores em Gestão Social - RGS. vol.3, n.2, jul./ dez. 2012.
  • [32] SERAFIM, Elisa Feltran. Design e Artesanato: analise de Modelo de Atuação do Design junto a Grupos de Produção Artesanal. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós Graduação de Design da UFPE. Recife: 2015.
  • [33] IUVA de Melo, Carolina. Território Feito à Mão: Artesanato e Identidade territorial no Rio Grande do sul. Tese de Doutorado do Programa de Pós Graduação em Extensão Rural, da UFSM-RS. Santa Maria: 2016.
  • [34] WANDERLEY, Renata Garcia. Gestão do Conhecimento aplicada a Comunidades Produtivas Artesanais. Tese de Doutorado em Design da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Bauru: 2015.
Como citar:

Ribeiro, Giovana de Freitas Rabelo; Figueiredo, Luiz Fernando Goncalves De; Ourives, Eliete Auxiliadora Assunção; "Design com Foco em Industrianato sob Abordagem Sistêmica", p. 233-245 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-20

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações