Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

DESEMPENHO INOVATIVO NA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DA ECONOMIA BRASILEIRA

Figueiredo, Gabriel Passos de; Cario, Silvio Antonio Ferraz; Ruffoni, Janaína;

Artigo completo:

O artigo analisa o desempenho inovativo no setor de máquinas e equipamentos (M&E) da economia brasileira a partir das características das inovações, atividades, resultados e fontes do conhecimento utilizadas. Informações são da Pesquisa de Inovação (PINTEC) de 2003, 2005, 2008, 2011 e 2014. Foram observados ganhos de capacidade de desenvolvimento tecnológico de um seleto grupo de empresas, que impactaram o segmento. No plano dos processos produtivos, ocorreu avanço a partir de repasse tecnológico dos fornecedores, sendo referência o aumento do lançamento de “novos processos para o mercado nacional”. Retomou-se a importância e o investimento em P&D, assim como o aumento de lançamento de “novos produtos para o mercado nacional”. Como alternativa as custosas aquisições de novas M&E ou P&D para desenvolvimento tecnológico, aumentou a busca por absorver conhecimento de diferentes fontes. Os resultados sinalizaram aprendizado via learning by doing, using, interacting, e a retomada do learning by searching.

Artigo completo:

Palavras-chave: Inovação, Máquinas e Equipamentos (M&E), PINTEC,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-5.6-020

Referências bibliográficas
  • [1] ABDI (2011). O núcleo tecnológico da indústria brasileira. Agencia Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), 201
  • [2] ALÉM, A.C., PESSOA. R.M. O Setor de Bens de Capital e o Desenvolvimento Econômico: quais são os desafios? BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 22, p. 71-88, set. 2005.
  • [3] ARAÚJO, B. C. O núcleo tecnológico da indústria brasileira – bens de capital. IPEA. Brasília, 2011.
  • [4] BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatórios anuais. Vários anos.
  • [5] BERTASSO, B. F. Bens de capital seriados. Perspectiva de investimento em mecânica - Projeto PIB, UFRJ-IE. Campinas, jan. 2009.
  • [6] CAMPOS, B. C.; URRACA, A. R. Padrões Setoriais de Inovação na Indústria Brasileira. Revista Brasileira de Inovação, Rio de Janeiro (RJ), 8 (1), p.167-210, janeiro/junho, 2009.
  • [7] COHEN, W.; LEVINTHAL, D. Absorptive capacity: a new perspective on learning an innovation. Administrative Science Quarterly, vol. 35, n.1, mar. 1990, p. 128-152.
  • [8] EASTERBY-SMITH, M. GRACA, M. ANTONACOPOULOU, E. FERDINAND, J. Absorptive Capacity in Practice: An Empirical Examination of Zahra and George's Model. In: 6th International Organizational Knowledge, Learning and Capabilities Conference, Bentley College, Waltham, 2005.
  • [9] FERNANDES, R. L. Capacitação e estratégias tecnológicas das empresas líderes da indústria têxtil-confecções no estado de Santa Catarina. Dissertação DE Mestrado em Economia – Programa de Pós- Graduação em Economia. Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2008
  • [10] HELFAT, C. E. and PETERAF, M. A. (2003). ‘The dynamic resource-based view: capability lifecycles’. Strategic Management Journal, 24, 10, 997–10
  • [11] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Pesquisa de Inovação Tecnológica. RJ: IBGE, 2000, 2003, 2005, 2008 E 20
  • [12] LUNDVALL, B. A. Why the new economy is a learning economy. Druid Working Paper, nº.04-01, Aalborg, 2001.
  • [13] MALERBA, F. Learning by firms and incremental technical change. The Economic Journal, p. 845-859, July. 1992.
  • [14] MARSILI, O.; VERSPAGEN, B. Technological regimes and innovation: Looking for regularities in Dutch manufacturing. ECIS, Eindhoven University of Technology, Netherlands, 2001.
  • [15] MUROVEC, N.; PRODAN, I. Absorptive capacity, its determinants, and influence on innovation output: Cross-cultural validation of the structural model. Technovation, (in press), 2009.
  • [16] PAVITT, K. Sectorial patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy. nº. 13, p. 343-737, 1984.
  • [17] ROSA, A. C.; RUFFONI, J. Mensuração da capacidade absortiva de firmas que possuem interação com universidades. Revista Economia e Desenvolvimento, vol. 26, n. 1, 2014.
  • [18] SAENZ, M. J., KNOPPEN, D., REVILLA, E. Absorptive Capacity in Buyer-supplier
  • [19] Relationships: Empirical Evidence of Its Mediating Role. Journal of supply chain management, April, 2014.
  • [20] SILVA, C. F. E SUZIGAN, W. Padrões setoriais de inovação da indústria de transformação brasileira. Estudos econômicos, vol.44 no.2 São Paulo abr./jun. 2014.
  • [21] TEECE, D. J. 2007. Explicating dynamic capabilities: The nature and microfoundations of (sustainable) enterprise performance. Strategic Management Journal, 28: 1319-1350.
  • [22] TEECE, D. J. 2014. A dynamic capabilities-based entrepreneurial theory of the multinational enterprise. Journal of International Business Studies (2014), 45, 8–37.
  • [23] TEECE, D. J., & Pisano, G. The dynamic capabilities of firms: An introduction. Industrial and Corporate Change, 3: 537-556, 1994.
  • [24] TEECE, D. J., Pisano, G., & Shuen, A. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, 18: 509-533. 1997.
  • [25] TEECE, D. Profiting from technological innovation. Research Policy, 15 (6), 285–305.1986.
  • [26] TEIXEIRA, A. L .S; ROSA, A. C.; RUFFONI, J; RAPINI, M. S. Dimensões da capacidade de absorção, qualificação da mão de obra, P&D e desempenho inovativo. Revista Brasileira de Inovação, Campinas (SP), 15 (1), p. 139-164, janeiro/junho 2016.
  • [27] WANG, C. L. and Ahmed, P. K. (2007). Dynamic capabilities: a review and research agenda. The International Journal of Management Reviews, 9 (1): 31-51.
  • [28] VERMULM, R.; ERBER, F. Cadeia: bens de capital. Estudo da Competitividade de Cadeias Integradas no Brasil: impactos das zonas de livre comércio. UNICAMP-IE-NEIT, 2002. (Nota Técnica Final).
  • [29] VERMULM, R. A indústria de bens de capital seriados. Convênio CEPAL/IPEA. Dezembro de 2003.
  • [30] ZAHRA, S. A. E GEORGE, G. Absorptive capacity: A review, reconceptualization, and extension. Academy of Management Review, 27 (2): 185-203. 2002.
  • [31] ZAHRA, S. A., SAPIENZA, H. J.; DAVIDSSON, P. Entrepreneurship and Dynamic Capabilities: A Review, Model and Research Agenda. Journal of Management Studies 43(4):pp. 917-955, 2006. Accessed from http://eprints.qut.edu.au
Como citar:

Figueiredo, Gabriel Passos de; Cario, Silvio Antonio Ferraz; Ruffoni, Janaína; "DESEMPENHO INOVATIVO NA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DA ECONOMIA BRASILEIRA", p. 868-883 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-5.6-020

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações