Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

Desaceleração, indústria e demografia no Brasil: Uma investigação sobre a estagnação da economia brasileira

Salomão Neto, Benito Adelmo; Silva, Guilherme Jonas Costa da;

Artigo completo:

O Brasil apresentou uma notável redução das suas taxas de crescimento a partir da década de 1980. Vários trabalhos que avaliam o comportamento de longo prazo do produto da economia brasileira, apontam fatores como trabalho como elementos que explicam o crescimento das economias. Curiosamente a população econômica ativa dobrou no período em questão, e a economia brasileira apresentou baixas taxas de crescimento. A hipótese deste artigo é que uma mudança estrutural do mercado de trabalho, causada pela expansão demográfica, consiste em uma das causas da estagnação do crescimento econômico, uma vez que a geração de empregos no setor de serviços, cujos retornos de escala são decrescentes, superou em muito o emprego gerado no setor de manufatura. As estimações realizadas por MQO e GMM em séries de tempo, mostram que em geral, os efeitos do emprego industrial sobre o produto, é em média de duas a três vezes maior em relação ao emprego gerado nos serviços.

Artigo completo:

Palavras-chave: Crescimento, Emprego, Serviços, Indústrias, Solow,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-1.3-019

Referências bibliográficas
  • [1] ARBACHE, J. Como Elevar a Produtividade? Propostas para o Governo 2015/2018. Ed. Campus Elsevier. Cap. 1 2014.
  • [2] BACHA, E. L. BONELLI, R. Uma Interpretação das Causas da Desaceleração Recente no Brasil. Belíndia 0. Ed. Civilização Brasileira. Cap. 08. 201
  • [3] BONELLI, R. PESSOA, S. A. Desindustrialização no Brasil: Fatos e Versões. Novos Dilemas da Política Econômica. Ed. Gen LTC. Cap. 19. 2011.
  • [4] BONELLI, R. PESSOA, S. A. MATOS, S. Desindustrialização no Brasil: Fatos e Interpretação. O Futuro da Indústria no Brasil. Cap. 2. Ed. Civilização Brasileira. 2013.
  • [5] BRESSER-PEREIRA, L. C. GALA, P. Why Foreign Savings Fail to Cause Growth. Revista de Economia Política. Vol. 27. No. 1. P. 3 – 19. 2007.
  • [6] BRESSER PEREIRA, L. C. Novo Desenvolvimentismo e a Ortodoxia Convencional. Nação, Câmbio e Desenvolvimento. Ed. FGV. Cap. 4. 2008.
  • [7] BUENO, R. L. S. Econometria de séries temporais. Ed. Cenage Learning. 2008.
  • [8] CARVALHO, L. KUPFER, D. A Transição Estrutural da Indústria Brasileira: da Diversificação e para a Especialização. Anais XXXV Encontro Nacional de Economia da ANPEC, Recife, 2007.
  • [9] GALA, P. Política Cambial, América Latina e Àsia. Nação, Câmbio e Desenvolvimento. Ed. FGV. Cap. 7. 2008.
  • [10] HANSEN, L. P. Large sample properties of generalized method of moments estimators. Econométrica, v. 50, n. 4, p. 1029 – 1054, 1982.
  • [11] IGLESIAS, R. RIOS, S. P. Evidências da Doença Holandesa? Uma Análise da Experiência recente do Brasil. Novos Dilemas da Política Econômica. Ed. Gen LTC. Cap. 18. 20
  • [12] KALDOR, L. The Role of Effective Demand in the Short Run and the Long Run. 1989.
  • [13] LISBOA, M, B, Instituições e Crescimento Econômico. Novos Dilemas da Política Econômica. Ed. Gen LTC. Cap. 20. 2011.
  • [14] MOREIRA, M. M. Câmbio e Crescimento na América Latina. Nação, Câmbio e Desenvolvimento. Ed. FGV. Cap. 6. 2008.
  • [15] OREIRO, J. L. Um arcabouço teórico para a Macroeconomia Estruturalista do Desenvolvimento: Uma homenagem a Bresser Pereira. Ed. UFSM. 20
  • [16] ROMER, D. Macroeconomics Advanced. Ed. McGraw-Hill Irvin. Cap. 01, 2012.
  • [17] ROWTHORN, R. RAMASWANY, R. Growth, Trade and Desindustrialization. IMF Staff Pappers, v. 46, n. 1, março 1999.
  • [18] SAY, J. B. A Treatise on Economy Political. Ed. Transaction. 2009.
  • [19] SHIMIT, C. A. J. FARINA, E. M. M. O. CONSIDERA. Concorrência no Brasil: E Agora? Propostas para o Governo 2015/2018. Ed. Campus Elsevier. Cap. 20. 2018.
  • [20] SCHUMPETER, J. A. Capitalismo, Socialismo e Democracia. Ed. Unesp. 2007.
  • [21] SOLOW, R. A Contribution to the Theory of Economic Growth. Ed. 1956.
  • [22] THIRLWALL, A. P. The Balance of Payments Constraint as na Explanation of International Growth rate Defferences. 1979.
  • [23] THIRLWALL, A. P. A Plain Man’s Guide To Kaldor’s Growth Laws. 1983.
  • [24] VERDORN,
  • [25] VERÌSSIMO, M. Desempenho da Indústria Automobilística e Desindustrialização no Brasil. Indústria, Crescimento e Desenvolvimento. Ed. Alínea, Cap. 05. 2014.
  • [26] VIEIRA, F. V. MACDONALD, R. Exchange rate volatility and exports: a panel data analysis. Journal of Economics Studies (Brandford), v. 43. 2016.
  • [27] WERNECK, S. T. V. PINHO, M. A. B. MODENESI, A. M. Macroeconomia para o Desenvolvimento, Crescimento e Estabilidade do Emprego. IPEA, 2010.
Como citar:

Salomão Neto, Benito Adelmo; Silva, Guilherme Jonas Costa da; "Desaceleração, indústria e demografia no Brasil: Uma investigação sobre a estagnação da economia brasileira", p. 143-151 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-1.3-019

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações