Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Contribuições do Design de Serviços na Saúde Pública: a Unidade Basica de Saúde - UPA

Contributions of Service Design in Public Health: The Basic Health Unit

Alberto, Iona Chaves; Avelar, Johelma Pires; Bahia, Isabella Pontello;

Artigo Completo:

No ambiente voltado para a assistência à saúde, questões pensadas sob a ótica do design se fazem necessárias. Na realidade da saúde pública, na cidade de Belo Horizonte/MG, a ótica do design de serviço pode resultar em melhorias consideráveis na assistência ao usuário e em ganhos na sua qualidade de vida. A proposta desse trabalho é apresentar conceitos sobre design, design de serviços e saúde, além de mostrar a etapa de acolhimento do serviço oferecido pelas Unidades De Pronto Atendimento – UPA’s, e posteriormente, sugerir futuras possibilidades de atuação do designer por meio de ferramentas dos métodos de design de serviços. Esse trabalho apresenta etapas iniciais de pesquisas do projeto ‘’ Design de Serviços como ferramenta para o bem estar social em uma Unidade De Pronto Atendimento – UPA’’ que está em andamento na Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG. O projeto procura contribuir para a melhoria da experiência do serviço na etapa de acolhimento das Unidades de Pronto Atendimento por meio dos conceitos, práticas e ferramentas do design de serviço. O projeto, devido ao forte caráter humano e, por conseguinte social, têm como referência os conceitos propostos por Manzini (2008), compreendendo, dessa forma, as relações ligadas ao uso sustentável, à inclusão e ao bem-estar. Consiste, também, na configuração de um documento com caráter teórico/diagnóstico com base nas ferramentas utilizadas na metodologia de design de serviços proposta por Stickdorn e Schneider (2010), observando, assim, os ambientes e suas relações. O ambiente de análise é uma Unidade de pronto atendimento, na etapa de acolhimento. O método de pesquisa utilizado para esse trabalho tem base na revisão de literatura voltada para a construção de repertório que permite o confronto das teorias e constatações sobre a problematização e o estabelecimento de critérios de juízo que ajudarão a nortear as prospecções com relação às discussões diante do tema. Como critério de escolha da UPA utilizou-se a proposta da realização de um Sorteio Aleatório Simples. Assim, todos os elementos da população terão as mesmas chances de fazer parte da amostra (MONTENEGRO, 1980). Assim, compreende-se, que o design de serviços pode colaborar para melhorias no sistema de saúde pública. Assim sendo, o projeto ‘’ Design de Serviços como ferramenta para o bem estar social em uma Unidade De Pronto Atendimento – UPA’’ sugere estudar este contexto, diagnosticar dificuldades existentes na etapa de acolhimento das UPAs, e então propor soluções viáveis e coesas com a realidade deste serviço na etapa em questão.

Artigo Completo:

In the environment on health care, resistant subjects under optical design are required. In the reality of the public health, in the city of Belo Horizonte / MG, the design of the optical service can result in considerables improvements in the assistence to usuary and in gains in his quality of life. The propose of this work is to present concepts about design, services design and health, besides showing the Stage of reception of the service offered from unitys of Emergency Care Units, and after that, suggest future possibilities of designer's acting using tools of the method of service design. This work presents initial stages of researchs from the Project: “Service Design as a tool for social welfare in a Unit for Emergency Care Units (Unidade de Pronto Atendimento – UPA)” that is being made on the Design's Schools of the University of the Minas Gerais State. The project wants to Contribute to the improvement of the experience of the service in the stage of hosting the Emergency Care Units by means of concepts, pratical and tools of design of services. The project, due to the strong human and therefore social character, is based on the concepts proposed by Manzini (2008), thus understanding the relationships linked to sustainable use, inclusion and well-being. It also consists in the configuration of a theoretical / diagnostic document based on the tools used in the service design methodology proposed by Stickdorn and Schneider (2010), thus observing the environments and their relations. The analysis environment is Emergency Care Units, in the reception stage. The research method used for this work is based on a literature review aimed at the construction of a repertoire that allows the confrontation of theories and findings about the problematization and the establishment of criteria of judgment that will help to guide the prospecting in relation to the discussions before the theme. As a criterion for choosing the UPA, the proposal of a Simple Random Sortition was used. Thus, all elements of the population will have the same chances of being part of the sample (MONTENEGRO, 1980). Thus, it is understood that service design can contribute to improvements in the public health system. Thus, the project '' Service Design as a tool for social welfare in a Emergency Care Units '' suggests to study this context, diagnose existing difficulties in the stage of hosting the Emergency Care Units, and then propose feasible and cohesive solutions with The reality of this service in the stage in question.

Palavras-chave: Saúde; Design de Serviços; Acolhimento; Diagnóstico,

Palavras-chave: Healthcare; Service design; wellfare; diagnosis,

DOI: 10.5151/cid2017-17

Referências bibliográficas
  • [1] ANDREW, Kate. Design social: como entregar um impacto positive. In: SCHNEIDER, Jakob; STICKDORN, Marc. This is Service Design Thinking: Basics – Tools – Cases. Book Industry Services (BIS) – 2010. Hardcover
  • [2] AVELAR, J. P.; DIAS, R. A. . Design de Serviços e a contribuição para o processo de inovação em empresas de micro e pequeno porte. In: Colóquio Internacional de Design. Belo Horizonte, 2015.
  • [3] BAHIANA, Carlos. A importância do Design para sua empresa. CNI, COMPI, SENAI/DR-RJ, Brasília, DF. CNI 1998.
  • [4] BONSIEPE, G. Design, Cultura E Sociedade. São Paulo: Blücher, 2011.
  • [5] BONSIEPE, G. Design: Do Material ao Digital. Tradução Cláudio Dutra. Florianópolis: FiES/IEL,1997.
  • [6] BRASIL. Patrícia de Paula. Ministério da Saúde. PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE: 71% dos brasileiros têm os serviços públicos de saúde como referência. 2015. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2017.
  • [7] BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.
  • [8] BUCHANAN, Richard. Four boundaries of service design. Pittsburg: Emerge, 2007. Disponível em: . Acesso em: 4 set. 2011.
  • [9] CANGUILHEM, Georges. O normal e o Patológico. 6ª edição, Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2006.
  • [10] CARDOSO, R. Design, Cultura Material e o Fetichismo Dos Objetos. Revista Arcos, Rio de Janeiro, v. 1, p. 14 - 39, 1998.
  • [11] CARDOSO, Rafael. Uma introdução à história do design. São Paulo: Edgard Blücher, 2004.
  • [12] CARLZON, J.; LANGERSTROM, T. A Hora Da Verdade. Rio de Janeiro: Sextante,2005.
  • [13] COTTAM, H.; LEADBEATER C. Health: Co-creating Services. London, Design Council, 2004.
  • [14] DE MORAES, D. Metaprojeto: O Design Do Design. São Paulo: Blücher, 2010.
  • [15] DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS: Comentários aos arts. 1.º a º da Constituição Federal. São Paulo: Atlas, 1997. 308p.
  • [16] FRASCARA, J. Diseño Gráfico Para La Gente: Comunicaciones De Massa Y Cambio Social. Buenos Aires: Ediciones Infinito, 1997 apud FREIRE, K. M. Design De Serviços, Comunicação E Inovação Social: Um Estudo Sobre Serviços De Atenção Primária À Saúde. Tese de doutorado. PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2011.
  • [17] FREIRE, Karine. Reflexões sobre o conceito de design de experiências. In: Strategic Design Research Journal. V. 2(1), p. 37-44. Rio de Janeiro: Unisinos, 2009.
  • [18] FREIRE, K. M.; DAMAZIO, V. Design de serviços: conceitos e reflexões sobre o futuro da disciplina. In: 9º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo, 2010.
  • [19] HOLMLID, S. From interactions to service. In: S. M. M. koivisto (ed.) designing services with innovative methods. v. 1. Keuruu, Finland: University of Art and Design Helsinki, 2009.
  • [20] HOLMLID, S.; EVENSON, S. 2008. Bringing Service Design to Service Sciences, Management and Engineering. In: B. HEFLEY; W. MURPHY, Service Science, Management and Engineering education for the 21st century. New York, Springer, p. 341-346.
  • [21] ICSID. International Council of Societies of Industrial Design. About ICSID. Disponível em . Acessado em: 10 de junho de 2016.
  • [22] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 de Jun. 2017.
  • [23] KORIA, Mikko. O grande valor do design é poder criar um futuro melhor. In: Revista planeta. Ed. 459. Belo horizonte, 2010. Disponível em: . Acesso em: 7 out. 2011.
  • [24] LANDIM, P.C. Design, Empresa, Sociedade. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.
  • [25] LOVELOCK, C.; WRIGHT, L. Serviços: marketing e gestão. São Paulo: Saraiva,2003.
  • [26] MANZINI, E. Design para a inovação social e sustentabilidade. Cadernos do Grupo de Altos Estudos, Programa de Engenharia de Produção da Coppe/UFRJ, Rio de Janeiro, vol. I 2008. Disponível em:< http://migre.me/rwrX1> Acesso em: 24 de agosto de 2015
  • [27] MANZINI, E; VEZZOLI, C. O desenvolvimento de produtos sustentáveis. São Paulo: EDUSP, 2002.
  • [28] MARGOLIN, V. Políticas Do Artificial: Ensaios E Estudos Sobre Design. Rio de Janeiro: Record, 2014.
  • [29] MARTINS, R. F. F; VAN DER LINDEN, J.C.S. (Org.). Pelos Caminhos Do Design: Metodologia De Projeto. Londrina: EDUEL, 2012.
  • [30] MCLELLAN, H. 2000. Experience design. CyberPsychology & Behavior, 3(1):59-69
  • [31] MERINO, G.; VIEIRA, M. L. H. O Design E Seus Desdobramentos. In: MARTINS, R. F. F; VAN DER LINDEN, J. C. S. (Org.). Pelos Caminhos Do Design: Metodologia De Projeto. Londrina: EDUEL, 2012, p. 175 - 222.
  • [32] MONTENEGRO, Eduardo J. S. – Estatística programada passo à passo – volume 5. Centrais Impressoras Brasileiras Ltda, 1980.
  • [33] MV (Porto Alegre). Mv. Alguns dados sobre a saúde pública brasileira em que você precisa ficar de olho. 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2017.
  • [34] OLIVA, R.; KALLENBERG, R. Managing transition from products to services. In: International Journal of Service Industry Management, v. 14, n. 2, p. 160-72, 2003.
  • [35] OLIVEIRTA et al . Unidade de pronto atendimento – upa 24h: percepção da enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2015 Jan-Mar; 24(1): 238-44.
  • [36] PINE, J.; GILMORE, J. H. Welcome to the experience economy. In: Harvard Business review. Boston: Harvard business school press, 76(4), p. 97-105, 1999.
  • [37] PINHEIRO, T. D. The Service Startup: Inovação E Empreendedorismo Através Do Design Thinking. Rio de Janeiro, RJ: Alta Books, 2015.
  • [38] PINHEIRO, T. D.; ALT, L. Design Thinking Brasil: Empatia, Colaboração E Experimentação Para Pessoas, Negócios E Sociedades. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.
  • [39] SCHNEIDER, B. Design – Uma Introdução: O Design No Contexto Social, Cultural E Econômico. Tradução Sonali Bertuol, George Bernard Sperber. São Paulo: Editora Blücher, 2010.
  • [40] Serviço BRASILEIRO de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas. Design para todas as empresas: O que é design. Brasília, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2017.
  • [41] STICKDORN, M.; SCHNEIDER, J. (Ed.). This Is Service Design Thinking: Basics,Tools, Cases. The Netherlands: BIS Publishers, 2010.
  • [42] TACKARA, J. Plano B. O Design E As Alternativas Viáveis Em Um Mundo Complexo. São Paulo: Saraiva: Versar, 2008.
  • [43] The Compenhagen Institute of Interection Design (2008). What is Service Design? Disponível em Acessado em 10 de Agosto de 2010 apud STICKDORN, M.; SCHNEIDER, J. (Ed.). This Is Service Design Thinking: Basics,Tools, Cases. The Netherlands: BIS Publishers, 2010.
  • [44] WALKER, Richard (1985) "Is there a service economy?" Science and Society , vol. 49, nº 1: 42-83.
  • [45] YIN, Robert K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.
  • [46] ZEITHAML, A. Z.; BITNER, M. J.; GREMLER, D. D. Marketing De Serviços: A Empresa Com Foco No Cliente. 6. Ed. Porto Alegra, AMGH, 2014.
  • [47] ZEITHAML, V.A; PARASURAMAN, A; BERRY L. L. A Conceptual Model of Service Quality and Its Implications for Future Research. In: Journal of Marketing, V. 49, p. 41-50. New York: Kenan-Flagler bussiness schooll, 1985.
Como citar:

Alberto, Iona Chaves; Avelar, Johelma Pires; Bahia, Isabella Pontello; "Contribuições do Design de Serviços na Saúde Pública: a Unidade Basica de Saúde - UPA", p. 194-206 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-17

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações