Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Comunicação sensorial no Museu Câmara Cascudo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte: uma experiência didática

Sensory communication at the Universidade Federal do Rio Grande do Norte’s Museu Câmara Cascudo: a didactic experience

Romani, Elizabeth; Bastos, Helena Rugai; Liberalino, Isadora Rocha de Medeiros;

Artigo completo:

O artigo apresenta experiência de projeto desenvolvida em componente curricular do Bacharelado em Design na Universidade Federal do Rio Grande do Norte [UFRN], envolvendo trocas entre docentes de diferentes áreas do conhecimento, discentes e consultores cegos. Objetivou-se na disciplina “Design inclusivo e artefatos gráficos”, a sensibilização dos discentes para questões sobre política de inclusão e de acessibilidade em espaços culturais, a fim de incorporar novas perspectivas na produção de materiais inclusivos para pessoas com deficiência, sobretudo para cegos e pessoas com baixa visão. No segundo semestre de 2018, foram ministrados conceitos, fundamentos e conteúdo, promovendo a discussão sobre design inclusivo, artefatos gráficos e acessibilidade cultural, comunicação e divulgação de conhecimento em espaços culturais, e metodologias participativas aplicadas ao design. A reflexão sobre tal conteúdo conduziu o desenvolvimento de projeto de artefatos para a exposição “Aves e evolução: uma perspectiva histórica” instalada no Museu Câmara Cascudo, selecionado por sua relevância no Rio Grande do Norte como difusor do patrimônio histórico, artístico, cultural e científico. Articulando ensino na graduação, extensão e pesquisa, no primeiro semestre de 2019, foram propostas ações de pesquisa e extensão no Museu, o que permitiu aperfeiçoar os artefatos desenvolvidos pelos discentes para implantá-los no espaço expositivo. A discussão sobre resultados obtidos pretende contribuir para debates sobre design inclusivo e apontar caminhos para a produção da comunicação sensorial, utilizando para isso recursos e tecnologia de baixo custo. A experiência deve conduzir projetos de extensão e pesquisa, objetivando aperfeiçoar investigações e desenvolvimento de recursos sensoriais em museus universitários locais.

Artigo completo:

The article presents an experience from a project carried out within a curricular component of the Bachelor’s in Design undergraduate program at the Universidade Federal do Rio Grande do Norte [UFRN], involving exchanges among professors from different areas of knowledge, students and blind consultants. In the subject called Design inclusivo e artefatos gráficos, it was aimed to sensitize students to matters regarding inclusion and accessibility policies in cultural spaces in order to incorporate new perspectives in the production of inclusive materials for people with disabilities, especially for the blind and visually impaired. In the second semester of 2018, concepts, fundaments and content were taught, promoting the discussion about inclusive design, graphic artifacts and cultural accessibility, communication and knowledge dissemination in cultural spaces and collaborative methodologies applied to design. Reflection about such content conducted the project development of artifacts for the exposition Aves e evolução: uma perspectiva histórica, installed at the Museu Câmara Cascudo, chosen due to its relevance in the state of Rio Grande do Norte as a promoter of the historic, artistic, cultural and scientific heritage. Articulating teaching, extension and research, in the first semester of 2019, research and extension activities were proposed at the museum, which made it possible to improve the artifacts developed by the students to be installed at the exposition area. Discussion about the results obtained intends to contribute to debates about inclusive design and lead to the production of sensory communication through low-cost technology and resources. The experience must carry out extension and research projects, aiming to improve studies and development of sensory resources in local university museums.

Palavras-chave: design universal, comunicação sensorial, acessibilidade, museu,

Palavras-chave: universal design, sensory communication, accessibility, museum,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-2.0346

Referências bibliográficas
  • [1] Amiralian, M.L.T.M. (1997). Compreendendo o cego: uma visão psicanalítica da cegueira por meio de desenhos-estórias. São Paulo: Casa do Psicólogo.
  • [2] Araújo, M.M., & Bruno, M.C.O. (Org.) (1995) A memória do pensamento museológico contemporâneo: documentos e depoimentos. São Paulo: Comitê Brasileiro do ICOM.
  • [3] Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. (2015) NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.
  • [4] Brasil. Presidência da República. (2015). Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015.
  • [5] Cambiaghi, S. (2007) Desenho Universal: métodos e técnicas para arquitetos e urbanistas. São Paulo: Editora Senac São Paulo.
  • [6] Cardoso, E., & Cuty, J. (Org.) (2012). Acessibilidade em ambientes culturais. Porto Alegre: Marca Visual.
  • [7] Duarte, M.L.B., & Piekas, M.I. (Org.). (2011). Desenho infantil em pesquisa: imagens visuais e táteis. Curitiba: Editora Insignt,.
  • [8] Lupton, E. (org.).(2013). Intuição, ação, criação: graphic design thinking. São Paulo: GGili.
  • [9] Preiser, W.F.E., & Ostroff, E. (Org.).(2001). Universal Design Handbook. New York: Macgraw-Hill.
  • [10] Sanders, E.B. (2002). From User-Centered to Participtory Design Approches. In: Frascara, J. (ed.). Design and the Social Sciences: making connections. London: Taylor & Francis.
  • [11] Sanders, E. B., & Stappers, P.J. (2008). Co-creation and the new landscapes of design. CoDesign International Journal of CoCreation in Design and the Arts, 4(1), pp. 5-18.
  • [12] Sarraf, V.P. (2015). Acessibilidade em espaços culturais: mediação e comunicação sensorial. São Paulo: Educ; Fapesp.
  • [13] Sassaki, R. (1997). Inclusão: onstruindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA.
  • [14] Spinuzzi, C. (2005). The Methodology of Participatory Design. Technical Communication, 52, (2), pp. 163 -174.
  • [15] Tojal, A.F. (2010). Acessibilidade e inclusão de públicos especiais em museus. In: Caderno de acessibilidade: Reflexões e Experiências em Museus e Exposições. São Paulo: Expomus.
  • [16] Ulbricht, V.R.; Fadel, L., & Batista, C.R. (Org.) (2017). Design para acessibilidade e inclusão [livro eletrônico]. São Paulo: Blucher.
Como citar:

Romani, Elizabeth; Bastos, Helena Rugai; Liberalino, Isadora Rocha de Medeiros; "Comunicação sensorial no Museu Câmara Cascudo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte: uma experiência didática", p. 1108-1119 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-2.0346

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações