Pôster - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

COMO FALAR DE MORTE PARA CRIANÇAS? ANÁLISE DE CONTEÚDO DA INTERNET VOLTADO À ORIENTAÇÃO DE PAIS.

COMO FALAR DE MORTE PARA CRIANÇAS? ANÁLISE DE CONTEÚDO DA INTERNET VOLTADO À ORIENTAÇÃO DE PAIS.

Brito, Raissa Freitas Gomes; Frota, Mirna Albuquerque;

Pôster:

Justificativa

Falar sobre a morte,apesar do seu caráter universal e irreversível, constitui-se, na culturaocidental, como tabu, especialmente quando precisa ser comunicada às crianças.Todavia, diferente do que se pensa, falar sobre o assunto tende a amenizar ador, além de auxiliar a criança na elaboração do seu luto,

Objetivo(s)

Analisar qual conteúdo,voltado à orientação de pais, vem sendo veiculado na internet sobre a formaideal para falar de morte às crianças.

Método(s)

Estudo qualitativo,exploratório, realizado por meio de pesquisa documental. Foram analisadosartigos da internet, publicados entre maio de 2016 e maio de 2020, em sites depsicologia, educação e tanatologia e em jornais e revistas digitais, que tinhamos termos "morte ou morrer", "criança" e "falar (oucongênere)" em suas manchetes. A amostra foi composta por 23 documentos,analisados a partir da técnica análise de conteúdo, com suporte do softwarewebQDA.

Resultado(s)

Os resultados encontradosorientam os pais a tratar o assunto de forma natural; falando sempre a verdade;respeitando a etapa de desenvolvimento da criança; deixando-a à vontade paraexpressar sentimentos e memórias; recorrer a material lúdico (música, livros efilmes infantis) para facilitar a compreensão; e conversar sempre que a criançatocar no assunto.

Conclusão(ões)

Questionamentosespecíficos sobre o assunto, como o porquê, o que, como e quando falar, além dequem deve ser o comunicador, foram abordados de forma satisfatória na internet,considerando, todavia, a limitação da pesquisa no que tange ao tamanho daamostra.

Pôster:

Justificativa

Falar sobre a morte,apesar do seu caráter universal e irreversível, constitui-se, na culturaocidental, como tabu, especialmente quando precisa ser comunicada às crianças.Todavia, diferente do que se pensa, falar sobre o assunto tende a amenizar ador, além de auxiliar a criança na elaboração do seu luto,

Objetivo(s)

Analisar qual conteúdo,voltado à orientação de pais, vem sendo veiculado na internet sobre a formaideal para falar de morte às crianças.

Método(s)

Estudo qualitativo,exploratório, realizado por meio de pesquisa documental. Foram analisadosartigos da internet, publicados entre maio de 2016 e maio de 2020, em sites depsicologia, educação e tanatologia e em jornais e revistas digitais, que tinhamos termos "morte ou morrer", "criança" e "falar (oucongênere)" em suas manchetes. A amostra foi composta por 23 documentos,analisados a partir da técnica análise de conteúdo, com suporte do softwarewebQDA.

Resultado(s)

Os resultados encontradosorientam os pais a tratar o assunto de forma natural; falando sempre a verdade;respeitando a etapa de desenvolvimento da criança; deixando-a à vontade paraexpressar sentimentos e memórias; recorrer a material lúdico (música, livros efilmes infantis) para facilitar a compreensão; e conversar sempre que a criançatocar no assunto.

Conclusão(ões)

Questionamentosespecíficos sobre o assunto, como o porquê, o que, como e quando falar, além dequem deve ser o comunicador, foram abordados de forma satisfatória na internet,considerando, todavia, a limitação da pesquisa no que tange ao tamanho daamostra.

Palavras-chave: -,

Palavras-chave: -,

DOI: 10.5151/sabara2020-18

Referências bibliográficas
  • [1] -
Como citar:

Brito, Raissa Freitas Gomes; Frota, Mirna Albuquerque; "COMO FALAR DE MORTE PARA CRIANÇAS? ANÁLISE DE CONTEÚDO DA INTERNET VOLTADO À ORIENTAÇÃO DE PAIS.", p. 18 . In: Anais do 5º Congresso Internacional Sabará de Saúde Infantil. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/sabara2020-18

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações