Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

CARACTERIZAÇÃO DOS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL DE NOVOS PRODUTOS DO SETOR FARMACÊUTICO: UMA VISÃO DA RELAÇÃO UNIVERSIDADE - EMPRESA NO ECOSSISTEMA MINEIRO

Barroso, Marina Bastos Carvalhais; Sofal, Beatriz Amâncio; Rocha, Letícia Carvalho Santana; Lasmar, Tiago Paz; Bagno, Raoni Barros;

Artigo Completo:

Dada importância do setor farmacêutico, é latente a necessidade de consolidação local de competências que suportem o desenvolvimento de novos produtos. Neste contexto, relações universidade-empresa são ponto chave para inovar no setor. Entretanto, complexidades inerentes à dinâmica de inovação típica da indústria farmacêutica e sua trajetória tecnológica local intensificam de forma especial este desafio. O desenvolvimento de inovações no setor é caracterizado por ser um processo longo, de capital intensivo, fortemente dependente de P&D e cercado de incertezas. Tal processo pode ainda perpassar vários agentes de uma complexa cadeia produtiva, com fortes assimetrias em termos de norteamento estratégico e domínio tecnológico. Focado nas relações entre universidade e empresa, este estudo tem o objetivo de identificar e discutir lacunas existentes no desenvolvimento de novos fármacos. Para isso, a análise conta com a aplicação de entrevistas semiestruturadas a atores chaves na relação universidade-empresa, incluindo professores universitários, um representante do NIT de uma universidade e profissionais de empresas do setor. O trabalho oferece um diagnóstico inicial que relaciona as possíveis barreiras da relação universidade-empresa sob o ponto de vista de diferentes atores da cadeia do setor farmacêutico. Ademais, evidencia pontos críticos de possíveis ações que auxiliem no enfrentamento dos aspectos contingenciais deste ecossistema e no robustecimento de uma abordagem de gestão da inovação no setor farmacêutico.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Gestão da inovação, relação universidade-empresa, setor farmacêutico,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/cbgdp2017-090

Referências bibliográficas
  • [1] ALBUQUERQUE, E. da M.; CASSIOLATO, J. E. As especificidades do sistema de inovação do setor saúde. Revista de Economia Política, v. 22, n. 4, p. 88, 2002.
  • [2] ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Disponível em: . Acesso em: 25 Mai. 2017
  • [3] BASTOS, V. D. Inovação farmacêutica: padrão setorial e perspectivas para o caso brasileiro.
  • [4] BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 22 , p. 271-296, set. 2005.
  • [5] BITTENCOURT, P. F.; RAPINI, M. S.; PARANHOS, J. Reflexos locacionais na interação universidade-empresa nos setores químico e farmacêutico brasileiro. Ensaios FEE, v. 33, n. 2, 2012.
  • [6] BRUNEEL, J.; D’ESTE, P.; SALTER, A. Investigating the factors that diminish the barriers to university–industry collaboration. Research policy, v. 39, n. 7, p. 858-868, 2010.
  • [7] CASTILHO, J. et al. A methodology to build an initial R&D portfolio for industry-university cooperation. In: Management of Engineering and Technology (PICMET), 2015 Portland International Conference on. IEEE, 2015. p. 257-269
  • [8] DA MOTTA VIEIRA, V. M.; OHAYON, P. Inovação em fármacos e medicamentos: estadoda-arte no Brasil e políticas de P&D. Revista Economia & Gestão, v. 6, n. 13, 200
  • [9] ETZKOWITZ, H. The triple helix: university-industry-government innovation in action. Routledge, 2008.
  • [10] GASSMANN, O.; REEPMEYER, G.; ZEDTWITZ, M. Leading Pharmaceutical Innovation: Trends and Drivers for Growth in the Pharmaceutical Industry. Springer-Verlag Berlin Heidelberg, 2008.
  • [11] GRABOWSKI, H.; VERNON, J.; DIMASI, J. Returns on Research and Development for 1990s New Drugs Introductions. In: Pharmacoeconomics 20, Suppl. 3, pp. 11-29. 2002.
  • [12] HASENCLEVER, L. A relação universidade-empresa e a inovação no Brasil: os casos do Porto Digital, da indústria farmacêutica e da UEG. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro.
  • [13] PALMEIRA FILHO, P. L.; PAN, S. S. K. Cadeia farmacêutica no Brasil: avaliação preliminar e perspectivas. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 18, p. 3-22, 2003.
  • [14] PARANHOS, J. Interação entre empresas e instituições de ciência e tecnologia: o caso do sistema farmacêutico de inovação brasileiro. In: Interação entre empresas e instituições de ciência e tecnologia: o caso do sistema farmacêutico de inovação brasileiro. EdUERJ, 2012.
  • [15] PARTHA, D.; DAVID, P. A. Toward a new economics of science. Research policy, v. 23, n. 5, p. 487-521, 1994
  • [16] PAVITT, K. Sectoral patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research policy, v. 13, n. 6, p. 343-373, 1984.
  • [17] PIMENTEL, V. P. et al. O desafio de adensar a cadeia de P&D de medicamentos biotecnológicos no Brasil. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 38, 2013.
  • [18] RADAELLI, V. A Nova Conformação Setorial da Indústria Farmacêutica Mundial: redesenho nas pesquisas e ingresso de novos atores. Revista Brasileira de Inovação, v. 7, n. 2 jul/dez, p. 445-482, 2008.
  • [19] SCHUMPETER, J. The Theory of Economic Development. Cambridge: Harvard University Press, 1934.
  • [20] SEGATTO-MENDES, A. P. Análise do processo de cooperação tecnológica universidade-empresa: um estudo exploratório. 1996. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.
  • [21] SINDUSFARMA - Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo. Relatório Anual de Atividades 2015. São Paulo, 2016.
  • [22] WEBSTER, A.; ETZKOWITZ, H.. Academic-industry relations: The second academic revolution?: A framework paper for the proposed research workshop on academic-industry relations. London: Science Policy Support Group, 1991.
Como citar:

Barroso, Marina Bastos Carvalhais; Sofal, Beatriz Amâncio; Rocha, Letícia Carvalho Santana; Lasmar, Tiago Paz; Bagno, Raoni Barros; "CARACTERIZAÇÃO DOS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL DE NOVOS PRODUTOS DO SETOR FARMACÊUTICO: UMA VISÃO DA RELAÇÃO UNIVERSIDADE - EMPRESA NO ECOSSISTEMA MINEIRO", p. 857-865 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cbgdp2017-090

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações