Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Burberry Acoustic: moda, do tangível ao intangível

Burberry Acoustic: fashion, from tangible to intangible

Cotrim, Michelle; Cotrim, Monique;

Artigo Completo:

O cenário contemporâneo é caracterizado por uma realidade dinâmica. Nada é feito para durar, tudo é efêmero. Estruturas pesadas não têm mais lugar em nossa sociedade. Ser leve é fundamental para movimentar-se com a velocidade necessária para não ficar para trás. Bauman (2001) conceitua esse cenário, como Modernidade Líquida. Espaço e tempo tornam-se dissociáveis, originando uma forma de simultaneidade não espacial. O mundo foi planificado, permitindo o acirramento da competição em termos globais (Friedman, 2005) As relações são estabelecidas através do consumo, sendo os indivíduos encarados não mais como produtores, mas como essencialmente consumidores. Segundo Bauman (2001) qualquer atividade que façamos perpassa a lógica do consumo e tudo o que realizamos, fazemos da mesma forma que faríamos ao ir às compras. Neste cenário o design pode ser entendido como uma ferramenta de gestão que permite as marcas entender o contexto, e a partir dele elaborar ações de curto, médio e longo prazo com foco no usuário. Marcas de sucesso aliam design, cultura e emoção. Com base nos argumentos apresentados por Kaplan (2010) e Hanna (2011), que discutem a importância das mídias sociais para o mercado contemporâneo, o presente artigo busca investigar como a Burberry, marca de moda do segmento de luxo, emprega tal estratégia. Visto que a marca é pioneira na incorporação de mídias digitais como canal de relacionamento com sua audiência (geração Y) e utiliza meios como a música como ferramenta de fortalecimento da identidade da companhia, como recorte para estudo de caso foi empregado a análise do canal oficial da companhia na plataforma digital YouTube, mais especificamente o projeto Burberry Acoustic.

Artigo Completo:

The contemporary setting is characterized by a dynamic reality. Nothing is made to last, everything is ephemeral. Heavy structures have no place in our society. Being light is key to moving with the speed necessary to not be left behind. Bauman (2001) call this scenario, as Liquid Modernity. Space and time become dissociable, giving rise to a form of non-spatial simultaneity. The world was flatted, allowing global competition to increase (Friedman, 2005) Relationships are established through consumption, and individuals are viewed not as producers but essentially as consumers. According to Bauman (2001) any activity that we do runs through the logic of consumption and everything we do, we do the same way we would do when shopping. In this context, design can be understood as a management tool that allows the brands to understand the framework, and elaborate, from it, actions of short, medium and long term focusing on the user. Successful brands combine design, culture and excitement. Based on arguments presented by Kaplan (2010) and Hanna (2011), whom discuss the importance of social media for the contemporary market; this paper aims to investigate how Burberry, a fashion brand in the luxury segment, employs such strategy. The brand is a pioneer in incorporating of digital media as channel of relationship with its audience (Generation Y) and uses means such as music as a tool to strengthen the company's identity, it was done a cutting using as case study the analysis of the official channel of the company on the digital platform YouTube, more specifically the project Burberry Acoustic.

Palavras-chave: design; moda; mídias sociais,

Palavras-chave: design; fashion; social medias,

DOI: 10.5151/cid2017-15

Referências bibliográficas
  • [1] ASACKER, Tom. A clear eye for branding: straight talk on today's most powerful business concept. Ithaca, N.Y: Paramount Market Pub., 2005. 143 p.
  • [2] BARTON, Laura. Burberry's Christopher Bailey on his obsession with music. Disponível em:. Acesso em:13 dez.2014.
  • [3] BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: J.Zahar, 2001.
  • [4] BURBERRY. Our history. Disponível em:. Acesso em:13 dez.201
  • [5] Burberry Acoustic : Generation-Y's favorite luxury brand. Disponível em:. Acesso em: 13 dez.2014.
  • [6] BURBERRY ACOUSTIC. In: Burbery YouTube channel. Disponível em:. Acesso em: 10 nov.2014.
  • [7] BURBERRY. The Hampshire Story 1856-1891 and a Hampshire company’s lasting legacy. Disponível em:. Acesso em: 13 dez.2014.
  • [8] CAMPBELL, Philips. Generation Y Consumers Spend Big on Trends. In: Power retail. Disponível em:. Acesso em:14 dez.2014.
  • [9] CRANE, Diana. A moda e seu papel social: classe, gênero e identidade das roupas. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2006.
  • [10] DISHMAN, Lydia. Burberry's "Tweetwalk" Delivers to the Masses and Challenges Fashion's Old Guard. In: Forbes. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2014.
  • [11] ESLINGER, Tom. Mobile Magic: The Saatchi and Saatchi Guide to Mobile Marketing and Design. Hoboken: Jonh Wiley & Sons, 2014.
  • [12] FINOCCHIARO, Peter. Burberry sets standard for engaging Generation Y: study. Disponívem em: . Acesso em:14 dez.2014.
  • [13] FRIEDMAN, Thomas L. O mundo é plano: o mundo globalizado no século XXI. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.
  • [14] GILLETTE, Felix. Hollywood's Big-Money YouTube Hit Factory. In: Bloomberg business week. Disponível em:. Acesso em: 13 dez. 20
  • [15] JERICO, Tracy. Burberry acoustic. In: Harper´s Bazzar online. Disponível em:. Acesso em: 14 dez. 2014)
  • [16] JONES, Liz. The luxury brand with a chequered past, Burberry's shaken off its chav image to become the fashionistas' favourite once more. Disponível em:. Acesso em 13 dez.2014.
  • [17] JONES, Terry; MAIR, Avril. Fashion now: i-D selects the world´s 150 most important designers. Köln; London: Taschen, 2005. 576p.
  • [18] Neev Capital Managing Director and Founder, Rahul Sharma discusses digital media impacting fashion and the fast growing male customer to luxury goods in Asia. In: The pulse, Bloomberg. Disponível em. Acesso em 13 dez. 2014.
  • [19] O'HARA, Georgina. Enciclopédia da moda: de 1840 à década de 80. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. 299 p.
  • [20] STRUNCK. Como criar identidades visuais para marcas de sucesso: um guia sobre o marketing das marcas e como representar graficamente seus valores. 2.ed. Rio de Janeiro: Rio Books, 2003. 160 p.
  • [21] TUNGATE, Mark. Fashion brands: branding style from Armani to Zara. London; Philadelphia,PA: Kogan Page, 2007.
  • [22] WHEELER, Alina. Design de identidade da marca: um guia completo para a criação, construção e manutenção de marcas fortes. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.
  • [23] HISTORY OF THE IMITATED, ICONIC BURBERRY TARTAN. Disponível em:. Acesso em 13 dez. 2014.
  • [24] THE SCOTTISH REGISTER OF TARTANS. Burberry (genuine). Disponível em:. Acesso em 13 dez. 2014.
  • [25] HAMPSHIRE COUNTY COUNCIL. Burberry. Disponível em:. Acesso em: 13 dez.2014.
  • [26] HAYWARD, Keith., YAR, Majid. The ‘chav’ phenomenon: Consumption, media and the construction of a new underclass. Disponível em:<://www.uk.sagepub.com> Acesso em: 13 dez.2014.
Como citar:

Cotrim, Michelle; Cotrim, Monique; "Burberry Acoustic: moda, do tangível ao intangível", p. 170-179 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-15

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações