Conference full papers - Open Access.

Idioma principal

BIM AND MOTIVATION SELF-REGULATION STRATEGIES

BIM AND MOTIVATION SELF-REGULATION STRATEGIES

Vasconcellos, Luciano de; Frison, Lourdes Maria Bragagnolo; Cunha, Eduardo Grala da;

Conference full papers:

We investigated the contributions of BIM in the light of the Self-Regulatory Learning construct, to understand how academics mobilize strategies to become more autonomous and capable of their own learning. It was investigated how can BIM technology software brings contributions to the development of self-regulatory strategies by undergraduate students. The research was developed first performing a semi-structured interview. Then the collected data were submitted to the content analysis technique and two categories emerged: a) the potentialities of BIM technology use b) contributions of BIM technology in the use of self- regulatory strategies. The findings of this research reveal the role of BIM to support student's self-regulatory strategies.

Conference full papers:

Palavras-chave: Self-Regulated Learning, Socially Shared, BIM, Architecture, Teaching,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/sigradi2020-97

Referências bibliográficas
  • [1] Zimmerman, B. J. (2002). Achieving Self-Regulation: The Trial and Triumph of Adolescence. En F. Pajares, F. Pajares, & T. Urdan (Edits.), Academic Motivation of Adolescents (1 ed., Vol. 1, págs. 1-27).
  • [2] Adamu, Z. A., & Thorpe, T. (2016). How universities are teaching BIM: a review and case study from the UK. Journal of Information Technology in Construction (ITcon), v. 21, págs. p. 119-139.
  • [3] Amado, J. (2014). Fundamentos da investigação qualitativa em educação. En J. Amado, Manual de investigação qualitativa em educação (2ª ed., págs. 17-107). Coimbra, Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra. doi:http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-0879-2
  • [4] Amado, J., & Ferreira, S. (2014). A entrevista na investigação em educação. En J. Amado, Manual de investigação qualitativa em educação (2ª ed., págs. 207-290). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. doi:http://dx.doi.org/10.14195/978- 989-26-0879-2
  • [5] Ambrose, M. A. (2012). Agent Provocateur–BIM in the academic design studio. International Journal of Architectural Computing, v. 10, n. 1, págs. p. 53-66.
  • [6] Arayici, Y., Coates, P., Koskela, L., & Kagioglou, M. (2011). BIM adoption and implementation for architectural practices. Structural survey, 29(1), 7-25.
  • [7] Avila, L. T. (2017). Autorregulação da aprendizagem no estágio de licenciatura em educação física: proposta formativa ancorada na pesquisa-ação. Pelotas: UFPel.
  • [8] Bandura, A. (1999). Social cognitive theory: An agentic perspective. Asian Journal of Social Psychology, 2, 21–41.
  • [9] Bandura, A. (2008). A evolução da teoria social cognitiva. En A. Bandura, R. Azzi, & S. (. Polydoro, Teoria social cognitiva: conceitos básicos (págs. 15-41). Porto Alegre: Artned Editora.
  • [10] Barison, M. B., & Santos, E. T. (2013). Educational Activities for the Teaching-Learning of BIM. Proceedings of I BIM International Conference (BIC 2013).
  • [11] Boruchovitch, E. (1999). Estratégias de aprendizagem e desempenho escolar: considerações para a prática educacional. Psicologia: Reflexão e Crítica, 12, págs. 361- 376. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79721999000200008
  • [12] Boruchovitch, E. (set./dez. de 2014). Autorregulação da aprendizagem: contribuições da psicologia educacional para a formação de professores. Psicologia Escolar e Educacional, 18.
  • [13] Brígitte, G. T., & Ruschel, R. C. (out./dez. de 2016). Modelo de informação da construção para o projeto baseado em desempenho: caracterização e processo. Ambiente Construído, 16(4), 9-26. doi:http://dx.doi.org/10.1590/s1678-86212016000400102
  • [14] Butler, D. L., Schnellert, L., & Perry, N. E. (2017). Developing self- regulating learners. Toronto - Canadá: Pearson Canada Incorporated.
  • [15] CBIC. (2016). Fundamentos BIM - Parte 1: Implantação. Brasília:: Câmara Brasileira da Indústria da Construção.
  • [16] Checcucci, É. d. (2014). Ensino-aprendizagem de BIM nos cursos de graduação em Arquitetura e Engenharia Civil. Encontro Da Associação Nacional De Pesquisa E Pós Graduação Em Arquitetura E Urbanismo, 3.
  • [17] Checcucci, É. d., Pereira, A. P., & Amorim, A. L. (Dezembro de 2013). Modelagem da Informação da Construção (BIM) no ensino de arquitetura. Proceedings of the 17th Conference of the Iberoamerican Society of Digital Graphics, 1(7), págs. 307- 311. doi:10.5151/despro-sigradi2013-0058
  • [18] Chizzotti, A. (2003). A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evolução e desafios. Revista portuguesa de educação, 16(2), págs. 221-236.
  • [19] Creswell, J. W. (2010). Projeto de Pesquisa [recurso eletrônico]: métodos qualitativo, quantitativo e misto (3 ed.). (D. d. Silva, Ed., & S. M. Rosa, Trad.) Porto Alegre: Penso. Recuperado el 2017, de https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/978853632 3589/
  • [20] Damiani, M. F., Rochefort, R. S., Castro, R. F., Dariz, M. R., & Pinheiro, S. S. (2014). Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, 45, págs. 57-67.
  • [21] Delatorre, V., Pereira, A. T., & Miotto, J. (2015). BIM: Relatos de aplicação no ensino de arquitetura. Blucher Design Proceedings, 2(3), págs. 30-37.
  • [22] Denzin, N., & Lincon, G. (2003). Paradigmatic Controversies. Contradictions and.
  • [23] Eastman, C., Teicholz, P., Sacks, R., & Liston, K. (2014). MANUAL DE BIM: um guia de modelagem da informação da construção para arquitetos, engenheiros , gerentes construtores e incorporadores (1ª edição ed.). (C. G. Ayres Filho, Trad.) Porto Alegre, RS, Brasil: Bookman.
  • [24] Florio, W. (2007). Contribuições do Building Information Modeling no processo de projeto em arquitetura. Encontro de tecnologia da informaçao e comunicaçao na construçao civil, 3.
  • [25] Godoy, V. H., Cardoso, C. F., & Borges, M. M. (2013). BIM: desafios para um conceito em construção no ensino de arquitetura e engenharia. En COBENGE, CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA (págs. 1-10). Gramado - RS. Recuperado el 16 de Fev de 2016, de https://www.fadep.br/engenharia- eletrica/congresso/pdf/118411_1.pdf
  • [26] Jantzen, S. A. (2009). É possível (aprender e ensinar a) projetar: projeto arquitetônico e urbanístico: orientações para o trabalho de curso (II ed.). (S. A. Jantzen, A. C. Silveira Jr., &
  • [27] G. S. Fernandes, Edits.) Pelotas, RS, Brasil: Editora Universitária / UFPEL.
  • [28] Kitchenham, B. A., & Pfleeger, S. L. (2002). Principles of survey research: part 3: constructing a survey instrument. ACM SIGSOFT Software Engineering Notes, 27(2), págs. 20-24.
  • [29] Ledo, R. Z., & Pereira, A. T. (2014). Objetos de Aprendizagem voltados ao ensino de modelagem digital 3D para arquitetura baseado no estilo cognitivo visual. Blucher Design Proceedings, 1(8), págs. 86-90.
  • [30] Machado, F. A., Ruschel, R. C., & Scheer, S. (2016). Análise bibliométrica da produção brasileira de artigos científicos na área de BIM. Encontro Nacional De Tecnologia Do Ambiente Construído, 16.
  • [31] Marques, S. (20-21 de June de 2013). Collaborative Intelligence in the Educational Context of BIM. BIC2013 - First BIM International Conference, 1, págs. 149-152.
  • [32] Martínez, A. C. (2000). Ensaio sobre o projeto. (A. L. Spaltemberg, & S. Fisher, Trads.) Brasília, DF, Brasil: Editora Universidade de Brasília.
  • [33] Martinez-Pons, M., & Zimmerman, B. (1990). Student differences in self-regulated learning: Relating grade, sex, and giftedness to self-efficacy and strategy use. Journal of educational Psychology, 82(1), pág. 51.
  • [34] Moraes, R. (2004). Pensamento eco-sistêmico: educação, aprendizagem e cidadania no século XXI. Petrópolis, RJ: Vozes.
  • [35] Moura, N. C., Giacaglia, M. E., & Lara, A. H. (2013). BIM Implementation: An Experiment Integrating Practice, Theory and Didactic. En A. A. Costa, P. Couto, & A. R. Meireles (Ed.), Building Information Modeling: A new construction paradigm (págs. 62-64). Porto: BIC 2013.
  • [36] Nome, C. A., & Queiroz, N. (2014). BIM: Processo e Integração no Ateliê de Projeto Arquitetônico. III ENAPARQ.
  • [37] Palomera-Arias, R., & Liu, R. (July de 2016). BIM laboratory exercises for a MEP systems course in a construction science and management program. (R. Amor, Ed.) Journal of Information Technology in Construction (ITcon), 21(13), págs. 188-203.
  • [38] Paulino, P., & Silva, A. L. (maio/junho/julho/agosto de 2012). Promover a regulação da motivação na aprendizagem. Cadernos de Educaçã, 42, 96-118.doi:HTTP://DX.DOI.ORG/10.15210/CADUC.V0I42.2150
  • [39] Paulino, P., Sá, I., & Lopes da Silva, A. (fev. de 2016). Crenças e estratégias da motivação na aprendizagem: Desenvolvimento de uma escala. Psychologic, 58(1), 65-87. Recuperado el 15 de mar. de 2018, de http://impactum- journals.uc.pt/psychologica/article/view/2755
  • [40] Pedersen, S. A., & Polydoro, S. A. (2017). Programas de Intervenção em Autorregulação da Escrita. En S. A. Polydoro, Promoção da autorregulação da aprendizagem: contribuições da Teoria Social Cognitiva (Vol. III, págs. 133-148). Porto Alegre: Letra1.
  • [41] Pinho, A. P., Bastos, A. V., Dourado, L. C., & Ribeiro, J. L. (2013). A transição do ensino médio para a universidade: um estudo qualitativo sobre os fatores que influenciam este processo e suas possíveis consequências comportamentais. XIII Coloquio de Gestión Universitaria. Obtenido de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/25876
  • [42] Pintrich, P. R. (2000). The role of goal orientation in self-regulated learning. En M. Boekaerts, M. Zeidner, & P. R. Pintrich (Edits.), Handbook of self-regulation (págs. 451-502). Academic Press.
  • [43] Polydoro, S. A., & Azzi, R. G. (dez de 2009). Aprendizagem da autorregulação sob a perspectiva da teoria sócio-cognitiva: introduzindo modelos de investigação e intervenção. Psicol educ, 75-94. Recuperado el 2018 de julho de 22, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S 1414-69752009000200005&lng=en&nrm=iso
  • [44] Rêgo, R. d., & Carreiro, P. P. (2015). Fundamentos da gestão da informação projetual em curso de arquitetura e urbanismo. VII ENCONTRO BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO (págs. 616-629). Porto Alegre: ANTAC; São Paulo: Blucher.
  • [45] Romcy, N. M., Tinoco, M. B., & Cardoso, D. R. (2015). A introdução do BIM em cursos de arquitetura e urbanismo: relato comparativo de duas experiências. En ENCONTRO BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO (7. ed., págs. 513-525)., 2015, Recife. Anais...Porto Alegre: ANTAC.
  • [46] Rosário, P. S., Trigo, J., & Guimarães, C. (2003). Estórias para estudar, histórias sobre o estudar: Narrativas Auto- regulatórias na Sala de Aula. Revista Portuguesa de Educação, 16, 117133.
  • [47] Rosário, P., Pereira, A., Högemann, J., Nunes, A. R., Figueiredo, M., Núñez, J. C., . . . Gaeta, M. (2014). Autorregulación del aprendizaje: una revisión sistemática en revistas de la base SciELO. Universitas Psychologica, 2(13), 781-798.
  • [48] Ruschel, R. C. (2014). TO BIM OR NOT TO BIM? III Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo , págs. 1-15.
  • [49] Ruschel, R. C., Andrade, M. L., & Morais, M. (abr./jun. de 2013). O ensino de BIM no Brasil: onde estamos? Ambiente Construído, 13(2), 151-165.
  • [50] Santos, D. A., & Alliprandini, P. M. (Dezembro de 2018). A promoção do uso de estratégias cognitivas em alunos do Ensino Médio. Psicologia Escolar e Educacional, 22(3), 535- 543.
  • [51] Silveira, D. T., & Córdova, F. P. (2009). A PESQUISA CIENTÍFICA. En D. T. [organizado por] Tatiana Engel Gerhardt, & c. p.–U. de (Ed.), Métodos de Pesquisa (1ª ed., págs. 31-42). Porto Alegre: Editora da UFRGS.
  • [52] Souza, L. F. (2010). Estratégias de aprendizagem e fatores motivacionais relacionados. Educ. rev.(36), págs. p. 95-107. doi:10.1590/S0104-40602010000100008
  • [53] Veiga Simão, A. M., & Frison, L. M. (julho/agosto de 2013). Autorregulação da aprendizagem: abordagens teóricas e desafios para as práticas em contextos educativos. Cadern(45).
  • [54] Veiga Simão, A. M., Frison, L. M., & Nonticuri, A. R. (26 de 10 de 2015). Dos significados à autorregulação: perspectivas de estudantes com trajetórias acadêmicas de insucesso. Revista De Estudios E Investigación En Psicología Y Educación, Extr.(1), 048-053. doi: https://doi.org/10.17979/reipe.2015.0.01.251
  • [55] Vinsová, I., Achten, H., & Matêjovská, D. (2015). Integrating BIM in Education: Lessons Learned. Real Time-Proceedings of the 33rd eCAADe Conference, 127-131.
  • [56] Williams, J. H. (2008). Employee engagement: Improving articipation in safety. . Professional Safety, , 12(53), 40-45 .
  • [57] Wolters, C. A. (2003). Regulation of Motivation: Evaluating an Underemphasized Aspect of Self-Regulated Learning. Educational Psychologist, 38:4, 189-205.doi:10.1207/S15326985EP3804_1
  • [58] Wolters, C. A. (2011). Regulation of Motivation: Contextual and Social Aspects. Teachers College Record, 113(2), 265-283.
  • [59] Wolters, C. A., Denton, C. A., York, M. J., & Francis, D. J. (March de 2014). Adolescents’ motivation for reading: group differences and relation to standardized achievement. Reading and Writing, 27, págs. 503–533. Recuperado el Dez de 2018, de https://link-springer- com.ez66.periodicos.capes.gov.br/journal/11145
  • [60] Wu, W., & Issa, R. R. (2013). BIM Education and Recruiting: Survey-Based Comparative Analysis of Issues, Perceptions, and Collaboration Opportunities. Journal of professional issues in engineering education and practice, 140(2), pp. 04013014-1 / 04013014-5.
  • [61] Ximenes dos Santos, O. J., & Boruchovitch, E. (2011). Estratégias de Aprendizagem e Aprender a Aprender: Concepções e Conhecimento de Professores. Psicologia Ciência e Profissão, 31(2), 284-295. Recuperado el 15 de 05 de 2018, de http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=282021811007
  • [62] Yin, R. K. (2014). Estudo de Caso Planejamento e Métodos (5ª ed.). Bookman.
  • [63] Zimmerman, B. J. (September de 1989). A social cognitive view of self-regulated academic learning. Journal of Educational Psychology, 81(3),, 329-339.
  • [64] Zimmerman, B. J. (2000). Attaining Self-Regulation: A social cognitive perspective. En M. Boekaerts, M. Zeidner, & P. R. Pintrich (Edits.), Handbook of Self-Regulation (Vol. 1, págs. 13-39). New York: Academic Press.
  • [65] Zimmerman, B. J. (2002). Achieving Self-Regulation: The Trial and Triumph of Adolescence. En F. Pajares, F. Pajares, & T. Urdan (Edits.), Academic Motivation of Adolescents (1 ed., Vol. 1, págs. 1-27).
  • [66] Zimmerman, B. J. (Spring de 2002). Becoming a Self-Regulated Learner: An Overview. Theory Into Pratice, 41(College of Education, The Ohio State University), 65-70.
  • [67] Zimmerman, B. J. (2011). Motivational Sources and Outcomes of Self-Regulated Learning and Performance. En Handbook of Self-Regulation of Learning and Performance Routledge (págs. 49-64). doi:10.4324/9780203839010.ch4
  • [68] Zimmerman, B. J. (2013). From Cognitive Modeling to Self- Regulation: A Social Cognitive Career Path. Educational Psychologist, 48:3, 135-147.
Como citar:

Vasconcellos, Luciano de; Frison, Lourdes Maria Bragagnolo; Cunha, Eduardo Grala da; "BIM AND MOTIVATION SELF-REGULATION STRATEGIES", p. 705-712 . In: Congreso SIGraDi 2020. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/sigradi2020-97

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações