Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS PÚBLICOS DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO (P&D&I) EM PEQUENOS NEGÓCIOS: EXPERIÊNCIA DO BRASIL

EVALUATION OF PUBLIC RESEARCH PROGRAMS, DEVELOPMENT AND INNOVATION (R&D&I) IN SMALL BUSINESSES: EXPERIENCE FROM BRAZIL

Leal, Érika de Andrade Silva; Echeveste, Márcia Elisa; Guimarães, Lia Buarque de Macedo; Bandeira, Bruna; Nicchio, Júlia;

Artigo:

A primeira década dos anos 2000 foi bastante fértil para a institucionalização e regulamentação de marcos para a política de inovação no Brasil. Um dos instrumentos dessa política, a Subvenção Econômica (SE) à inovação, isto é, o financiamento das atividades de inovação nas empresas com recursos não reembolsáveis, foi utilizada pela Financidadora de Estudos e Projetos (Finep) em parceria com os Governos Estaduais. À medida que os estados ampliavam a execução dos programas de SE, uma demanda latente para as instituições de fomento trata-se da avaliação dos projetos apoiados. Este artigo apresenta um método de avaliação de impactos de programas públicos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D&I) contemplando três dimensões: i) cultura de inovação e cooperação; ii) econômica; e iii) social. Aplicamos o método para avaliar um programa público de SE à inovação brasileiro, denominado TECNOVA-ES voltado para pequenas empresas e executado no estado do Espírito Santo, no sudeste do Brasil. Os resultados mostraram que mais de 85% dos projetos não teriam sido executados sem o apoio público. O Programa foi muito mais efetivo em termos de adicionalidade que substituição dos investimentos em P&D&I. Estimulou o estabelecimento de parcerias com universidades, clientes e fornecedores, tem sido importante para viabilizar a comercialização de novos produtos, e permitiu a geração de em média 3 novos empregos formais por empresa. Nós mostramos que em todas as dimensões avaliadas os resultados estão em consonância com objetivos do Programa, sendo fundamental para a política de inovação brasileira.

Artigo:

The first decade of the 2000s was quite fertile for the institutionalization and regulation of frameworks for innovation policy in Brazil. One of the instruments of this policy, the Grants for innovation, that is, the financing of innovation activities in companies with non-reimbursable resources, was used by the Funding Authority for Studies and Projects (Finep) in partnership with State Governments. As the states expanded the execution of grants for innovation programs, a latent demand for funding institutions is the evaluation of supported projects. This article presents a framework for assessing the impacts of public Research, Development, and Innovation (R&D&I) programs covering: culture of research innovation and cooperation dimension; economic dimension; and social dimension. We apply the framework to assess a Brazilian public program - TECNOVA-ES- aimed at small firms and executed in the Espírito Santo State, in southeastern Brazil. The results showed that over 85% of the projects would not have been developed without public funding. This program stimulated the establishment of partnerships with universities, customers, and suppliers, enabled the commercialization of new products, and allowed for the generation of an average of 3 new formal jobs per firm. We have shown that, in all dimensions assessed, the results are in line with the goals of the Program, and it is critical to the Brazilian innovation policy.

Palavras-chave: Avaliação de Programas de Inovação; Pequenos Negócios; TECNOVA-ES ,

Palavras-chave: Assessment of innovation public programs; Small Business; TECNOVA-ES,

DOI: 10.5151/vi-enei-873

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, J. E de. Indústria Incentivada e Impactos socioambientais no Nordeste. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 35, no2, abr-jun. 2004
  • [2] BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 31 de Janeiro de 202
  • [3] BRASIL. Lei Complementar nº 185 de 06 de Outubro de 2021. Altera o art. 2º da Lei Complementar nº 125, de 3 de janeiro de 2007, para incluir Municípios dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo na área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Disponível em: https://www.in.gov.br/web/dou/-/lei-complementar-n-185-de-6-de-outubro-de-2021-350926131. Acesso em 17 de Fevereiro de 2022.
  • [4] CARVALHO, F. C. Sudene: do desenvolvimento cepalino ao
  • [5] desenvolvimento endógeno. In: Seminário internacional
  • [6] “Trajetórias de Desenvolvimento Local e Regional: uma comparação entre as Regiões
  • [7] do Nordeste Brasileiro e a Baixa Califórnia, México. Fortaleza, 2008. Disponível em: http://www.ric.ufc.br/evento1/fernada_ferrario_de_carvalho.PDF. Acesso em 15 de Agosto de 2021.
  • [8] CARVALHO OLIVEIRA, De P. C. O desenvolvimento da região Nordeste nos anos pós-Sudene (2000-2016). Revista Paranaense de Desenvolvimento, [s. l.], v. 39, n. 134, p. 21–36, 201
  • [9] DIAGNÓSTICO PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL – DRS. Arranjo 3: diagnóstico da microrregião centro-oeste. IFES, 2021.
  • [10] ESPÍRITO SANTO. Plano de Desenvolvimento Espírito Santo 2030. Secretaria de Estado de Economia e Planejamento. Vitória, dez. 2013. Disponível em: . Acesso em 16 abr. 2021.
  • [11] FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FIRJAN. Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal. 2018. Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2020.
  • [12] GUILHERMINO NETO, Guilherme. SudenePesquisa [repositório]. GitHub. Disponível em: . Acesso em 18 fev. 2022.
  • [13] LACERDA, G. N. De. A Sudene e o desenvolvimento do norte capixaba. Marca Café, p. 1, 1998.
  • [14] LEAL, E. A. S; LINO, L. ; SESSA, C. B. ; FERNANDES, J. ; SANTO, GABRIELA SALES DO ESPÍRITO . Os incentivos fiscais da Sudene no Norte do Espírito Santo: Notas intodutórias. In: VIII Encontro de Economia do Espírito Santo, 2021, On line. Anais do Evento: VIII Encontro de Economia do Espírito Santo, 2021.
  • [15] HOLLANDER, Myles; WOLFE, Douglas A.; CHICKEN, Eric. Nonparametric Statistical Methods. 3rd ed. New Jersey: Wiley, 2018.
  • [16] LINO, L.S. Os caminhos para a produção no interior do Espírito Santo. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo-USP, São Paulo-SP, 2021.
  • [17] MELO, R. O.L. ; SUBRINHO, J. M. P dos.; FEITOSA, O.C. Indústria e Desenvolvimento em Sergipe. Revista Econômica do Nordeste. Vol. 40, nº2, 2009.
  • [18] MENEZES, J. P. C. B.; SOMERLATE, R. L. de A. Incentivos fiscais: o mito do lucro da exploração na região do Vale do Mucuri. RAGC, [s. l.], v. 4, n. 10, p. 1–18, 2016.
  • [19] MONTGOMERY, Douglas C. Design and Analysis of Experiments. 9th ed. New Jersey: Wiley, 2017. R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing. Vienna: Austria, 2021. Disponível em . Acesso em 18 Fev. 2022.
  • [20] MOURA, H. N. A política da SUDENE e o desenvolvimento
  • [21] socioeconômico dos município no estado do Espírito Santo,
  • [22] Brasil . Viçosa, MG, 2019. Disponível em: https://www.locus.ufv.br/bitstream/123456789/27854/1/texto%20completo.pdf. Acesso em 19 de Fevereiro de 20
  • [23] PEREIRA, G. H. Política industrial e localização de investimentos e o caso do Espírito Santo. Vitória-ES: Edufes, 1997, 293 p.
  • [24] OBSERVATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO CAPIXABA (ODC). Os incentivos fiscais ainda funcionam como ferramentas para o desenvolvimento? Elementos de discussão sobre o norte do espírito santo na sudene. Disponível em:http://desenvolvimentocapixaba.com/category/publicacao/estudo-tematico/. Acesso em 10 de Fevereiro de 2022.
  • [25] PEREIRA NETO, C. A Polarização do Município de Linhares na Sudene Capixaba. In: VIII Encontro de Economia do Espírito Santo, 2021, On line. Anais do Evento: VIII Encontro de Economia do Espírito Santo, 2021.
  • [26] PESSOA, S. R. N.; MILANI, A. M. R. Análise da política nacional de desenvolvimento regional ( 2003-2010 ) sobre a economia do Nordeste. Revista Econômica do Nordeste, [s. l.], v. 47, n. 3, p. 45–60, 2016.
  • [27] ROCHA, H.C.; MORANDI, A.M.. Cafeicultura e grande indústria: a transição no Espírito Santo – 1955-1985. 2ª edição. Vitória-ES: Espírito Santo em Ação, 2012. 173 p.
  • [28] SESSA, C. B. Comércio Exterior, Guerra Fiscal e Dinâmica Regional Assimétrica no Brasil e no Espírito Santo. Tese (Economia) - Universidade Federal de Minas Gerais. 2019.
  • [29] SILVA, J. A.; TEIXEIRA, M. do S GONDIM. DESCONCENTRAÇÃO NO BRASIL: Nordeste, da SUDENE AOS Anos 2000. Rev. Econ. NE, Fortaleza, v. 45, n. 3, p. 118-134, jul-set., 2014.
  • [30] SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE - SUDENE. [s. l.], Relatórios Anuais, 2020. Disponível em: . Acesso em 10 jul. 2021.
  • [31] SUDENE. Institucional. Disponível em: http://antigo.sudene.gov.br/institucional. Acesso em 10 de Fevereiro de 2022.
  • [32] THODE, Henry. Testing for Normality. Boca Raton: CRC Press, 2002.
Como citar:

Leal, Érika de Andrade Silva; Echeveste, Márcia Elisa; Guimarães, Lia Buarque de Macedo; Bandeira, Bruna; Nicchio, Júlia; "AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS PÚBLICOS DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO (P&D&I) EM PEQUENOS NEGÓCIOS: EXPERIÊNCIA DO BRASIL", p. 1059-1078 . In: Anais do VI Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI): “Indústria e pesquisa para Inovação: novos desafios ao desenvolvimento sustentável”. São Paulo: Blucher, 2022.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/vi-enei-873

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações