Poster - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

AVALIAÇÃO DE ELEMENTOS VISUAIS ICÔNICOS QUE ATENDAM A USUÁRIOS SURDOS NAS INTERFACES DIGITAIS

EVALUATION OF VISUAL ICONIC ELEMENTS THAT SERVE DEAF USERS IN DIGITAL INTERFACES

Ribas, Armando Cardoso; Vanzin, Tarcisio; Ulbricht, Vania; Fadel, Luciana;

Poster:

Hoje a utilização de sistemas digitais é um processo que diariamente muitas pessoas utilizam, estes podem ser ouvintes, videntes, surdos, etc. A navegação desses usuários ocorre acessando hiperlinks de texto, ícones, dentre outros tipos. No entanto para os usuários surdos essa análise semântica pode ser dificultosa, pois a ausência da audição dificulta a navegação nos sistemas digitais apresentando confusão na escolha dos hiperlinks, provocada pela semelhança visual (e não semântica) entre as palavras, como também, dificuldade na compreensão na leitura. Neste momento verificou-se a importância de ícones para facilitar a navegabilidade de sistemas digitais, por isso, estudos relacionados ao desenvolvimento de ícones acessíveis para usuário surdo se fez necessário. Assim, o objetivo desse trabalho é fazer uma testagem de alguns ícones com usuários surdos.

Poster:

Today the use of digital systems is a process that many people use daily, these can be listeners, seers, deaf, etc. Browsing these users occurs by accessing text hyperlinks, icons, and more. However for deaf users, this semantic analysis can be difficult, since the absence of hearing makes it difficult to navigate digital systems, presenting confusion in the choice of hyperlinks, caused by visual (and not semantic) similarity between words, as well as difficulty in understanding In reading. At this moment it was verified the importance of icons to facilitate the navigability of digital systems, therefore, studies related to the development of accessible icons for deaf users became necessary. Thus, the objective of this work is to do a test of some icons with deaf users.

Palavras-chave: ícone, surdo, web,

Palavras-chave: Icon, deaf, web,

DOI: 10.5151/16ergodesign-0231

Referências bibliográficas
  • [1] BESSA, O. F. M. A agradabilidade do espaço urbano construído da cidade de Alfenas (MG): uma abordagem ergonômica. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 200
  • [2] CULLEN, G. Paisagem Urbana. Lisboa: Edições 70, 1996.
  • [3] ABRA- “Associação Brasileira de Acessibilidade”. Disponível em: . Acesso em: Outubro de 2014.
  • [4] BRASIL, Acessibilidade digital. Disponível em: http://www.acessobrasil.org.br/index.php?itemid=42 . Acesso em 06/2015)
  • [5] BRASIL. Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Lex: Presidência da República, Brasília. Disponível em: . Acesso em: 9 mar 201
  • [6] BRASIL. Portaria no 3, de 7 de maio de 2007. Institucionaliza o modelo de acessibilidade em governo eletrônico – e-MAG – no âmbito do sistema de administração dos recursos de informação e informática – SISP. Lex: Diário Oficial da União, seção 1, Brasília, 8 maio 2007.
  • [7] BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. Modelo de acessibilidade em governo eletrônico (eMAG). Brasília, 2014. 91 p.
  • [8] BOTELHO, P. Segredos e silêncios na interpretação dos surdos. Belo Horizonte: Autêntica, 199
  • [9] CASTRO, A. A. Revisão sistemática e metaanálise. São Paulo. LED-DIS/ Unifesp, 2001 Disponivel em http//:www.metodologia.org acessado em 12 de fevereiro de 2013.
  • [10] CAMPOS, Márcia de Borba; SILVEIRA,Milene Selbach. Tecnologias para Educação Especial. In: Anais: IV Congresso RIBIE, Brasilia, 1998. 24 páginas.
  • [11] CEREZO, J. A. L. Ciência, Técnica e Sociedade. In: IBARRA A.; OLIVÉ, L. Questiones Éticas de la Ciência y de la Tecnologia en el siglo XXI. Madri: OEI y Biblioteca Nueva, 2003.
  • [12] CHARTIER, Roger, 1994 "CULTURA POPULAR": revisitando um conceito historiográfico. Disponível em: http://www.cpdoc.fgv.br/revista/arq/172.pdf. Acessado em 05 de junho de 2007.
  • [13] CDPD. Benefício da prestação continuada e trabalho mudanças da lei n° 12.470, de 31 de agosto de 2011. Maria Aparecida Gugel. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD). 2011.
  • [14] CYBIS, Walter de Abreu. Abordagem ergonômica para IHC: ergonomia de interfaces humano-computador. Florianópolis: LabIUtil - Laboratório de Utilizabilidade INE/UFSC. Disponível em www.labiutil.inf.usfc.br/
  • [15] FERNANDES, E. Problema linguísticos e cognitivos do surdo. Rio de Janeiro: Agir, 1990
  • [16] FAJARDO, I., et al. Information structure and practice as facilitators of deaf users’ navigation in textual websites. Behaviour & Information Technology, Londres, v. 28, n. 1, p. 87-97, jan./fev. 2009.
  • [17] FAJARDO, I., et al. Improving deaf users’ accessibility in hypertext information retrieval: are graphical interfaces useful for them? Behaviour & Information Technology, Manchester, v. 25, n. 6, p. 455 – 467, nov./dez. 2006.
  • [18] FAJARDO, I., et al. Information structure and practice as facilitators of deaf users’ navigation in textual websites. Behaviour & Information Technology, Londres, v. 28, n. 1, p. 87-97, jan./fev. 2009.
  • [19] LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.
  • [20] MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2011.
  • [21] MARTINS, E. Cultura surda, educação e novas tecnologias em Santa Catarina. Dissertação (Mestrado em Sociologia Politica) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis, 2005
  • [22] PREECE, J.; ROGERS, Y; SHARP, H. Design de Interação: Além da interação homemcomputador. Porto Alegre, Bookman, 2005.
  • [23] QUEIROZ, J. E. R. Abordagem Híbrida para a Avaliação da Usabilidade de Interfaces com o Usuário. Projeto de Pesquisa da Universidade Federal de Campina Grande, 2006.
  • [24] RAMALHO E OLIVEIRA, S. R. Leitura de imagens para a educação. 1998. 288 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.
  • [25] ___. Arte, estética do cotidiano e relações culturais. 2002. Pesquisa de Pós-Doutorado. Université des Sciences et Technologies de Lille. Lille.
  • [26] ROCHA, H. V., BARANAUSKAS, M. C. C. Design e avaliação de interfaces humano- computador. Campinas, SP: NIED/UNICAMP, 2003. Disponível em: Acessado em: 5 mar 2016.
  • [27] SANTAELLA, L. A percepção. São Paulo: Experimento, 1993
Como citar:

Ribas, Armando Cardoso; Vanzin, Tarcisio; Ulbricht, Vania; Fadel, Luciana; "AVALIAÇÃO DE ELEMENTOS VISUAIS ICÔNICOS QUE ATENDAM A USUÁRIOS SURDOS NAS INTERFACES DIGITAIS", p. 2212-2218 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/16ergodesign-0231

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações