Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DA CERÂMICA VERMELHA DE ROSÁRIO (MA) A PARTIR DA ADIÇÃO DE FINO DE ROCHAS ORNAMENTAIS

Guilhon, David; Santos, Denilson Moreira dos; Farias, Jamerson Araújo;

Artigo Completo:

O presente trabalho avalia a adição de resíduos de rochas ornamentais nas propriedades tecnológicas da cerâmica vermelha de Rosário ( MA), agregando benefícios ambientais, econômicos, funcionais e tecnológicos. Para tanto, procedeu-se a elaboração de diferentes composições, as quais foram queimadas a diferentes temperaturas. Os resultados revelam que temperatura de queima acima de 1050°C e o aumento de resíduos contribuem para o ganho de resistência do material e redução de defeitos neste . As composições que apresentaram melhor desempenho foram as 15%, 10% e 20%, todas sinterizadas a 1100 °C, na ordem decrescente. Sendo assim, as características deste material afirmam a viabilidade deste na fabricação de revestimento de paredes, objetos planos e utilitários domésticos.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Design; cerâmica vermelha; rochas ornamentais.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/despro-ped2016-0359

Referências bibliográficas
  • [1] ASKELAND, D. R., WRIGHT, W. Ciência e engenharia dos materiais. São Paulo: Cengage Learning , 2014.
  • [2] Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 13818: Placas cerâmicas para revestimento – especificação e métodos de ensaio Rio de Janeiro, 1997.
  • [3] ASTM C373-88: Standart Test Method for Water Absortion, Bulk Density, Apparent Porosity and Apparent Specific Gravity of Fired Whiteware Products. West Conshohocken: ASTM International, 2006.
  • [4] DANTAS, A. P. A. Utilização de resíduos de rochas ornamentais na produção de cerâmica branca. 2008. 96 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
  • [5] GOUVEIA, F. P. Efeito da incorporação de chamote (resíduo cerâmico queimado) em massas cerâmicas para a fabricação de blocos de vedação para o Distrito Federal – DF. Um estudo experimental. 2004. 94 f. Dissertação (Mestrado em Estruturas e Construção Civil) – Faculdade de Tecnologia. Universidade de Brasília, Brasília.
  • [6] GUIMARÃES, K. L. M. Análise da adição de ossos bovinos e rochas ornamentais em massa cerâmica branca para a utilização em processos de conformação. 2015. 117 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Programa de Pós-Graduação em Design. Universidade Federal do Maranhão, São Luís.
  • [7] JUNG, M.; CAMISA, I. S.; ALBANAZ, I.; PEREIRA, S. L. S.; CARGNIN, M. Comparativo entre diferentes métodos de determinação da retração linear de placas cerâmicas. In: Revista Técnico Científica (IFSC). 2012, Santa Catarina, Vol.3, Nº. 1, p. 242-251.
  • [8] MOTTA, J. F. M., ZANARDO, A., CABRAL JUNIOR, M. As matérias-primas cerâmicas. Parte I: O perfil das principais indústrias cerâmicas e seus Produtos. In: Revista Cerâmica Industrial. São Paulo , 2001. vol 6, no 2, março/abril, p 28-39.
  • [9] PINHEIRO, B. C. A. Processamento e caracterização de massas cerâmicas incorporadas com o resíduo borra de petróleo encapsulada para a fabricação de grês Porcelanato. 200 205 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Ciência dos Materiais) – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Centro de Ciência e Tecnologia. Laboratório de Materiais Avançados, Campos dos Goytacazes.
  • [10] PRADO, A. D. Efeito da incorporação de resíduo industrial (chamote, mármore e granito) para a produção de revestimento cerâmico. 2014. 62 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Materiais) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia dos Materiais. Instituto Federal do Maranhão, São Luís.
  • [11] PUREZA, J. C. C. Utilização de resíduos industriais de baixa granulometria em massas cerâmicas de argila vermelha: aspectos tecnológicos e ambientais. 2004. 148 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalurgia e de Materiais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
  • [12] OLIVEIRA, A. P. N. Tecnologia de fabricação de revestimentos cerâmicos. In: Cerâmica Industrial. São Paulo, Vol. 5, Nº 6, Nov/ Dez, 2000. p. 37-47.
  • [13] SANTOS, P. S. Ciência e Tecnologia de argilas. São Paulo: Edgard Blücher, 1989.
  • [14] SOUZA, V.C; SOUZA, J.C.; ROLIM FILHO, J.L. Diagnóstico do setor de rochas ornamentais e de revestimentos do Estado de Pernambuco. Estudos geológicos, Pernambuco, volume 8 , 2008.
  • [15] TALLINI JUNIOR, V. T. Desenvolvimento de novos materiais cerâmicos a partir de lodo de estações de tratamento de água, microesferas de vidro de jateamento, sais de neutralização de ácidos de baterias e areia de fundição. 2009 83 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Ciência dos Materiais) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia. Universidade Federal do Paraná. Curitiba.
  • [16] VIEIRA, C. M. F.; FEITOSA, H. S.; MONTEIRO, S. N. Avaliação da secagem de cerâmica vermelha através da Curva de Bigot. In: Revista Cerâmica Industrial. São Paulo, Vol. 8, Nº 1 , 2003.
Como citar:

Guilhon, David; Santos, Denilson Moreira dos; Farias, Jamerson Araújo; "AVALIAÇÃO DA CERÂMICA VERMELHA DE ROSÁRIO (MA) A PARTIR DA ADIÇÃO DE FINO DE ROCHAS ORNAMENTAIS", p. 4176-4187 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 9, n. 2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-ped2016-0359

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações