Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

Avaliação da ação da enzima alfa-amilase em efluente de arroz parboilizado

FERREIRA, G. L.; SANTOS, D. G.; MANZOLLI, F.; MENDES, G. R. L.; FILHO, P. J. S.;

Artigo Completo:

O processo de biorremediação consiste na degradação de contaminantes através de reações enzimáticas, resultando em substratos acessíveis para incorporação no metabolismo microbiano. Os cultivos das leveduras Pichia pastoris e Saccharomyces boulardii em efluente de arroz parboilizado obtiveram bons resultados de remoção e absorção do fósforo presente, porém necessita-se adicionar uma fonte extra de carbono. A composição dos componentes dos efluentes dos tanques de parboilização de arroz é desconhecida. Dessa forma, este trabalho buscou avaliar a ação da enzima alfa-amilase, a fim de elucidar a presença de resíduos de amido e facilitar o processo de assimilação dos substratos já existentes nesse efluente pela levedura Saccharomyces boulardii . A enzima alfa-amilase foi adicionada ao efluente previamente a fermentação. O pré-tratamento foi realizado em diferentes concentrações e tempo de ação, e as reações foram incubadas a 40ºC, sendo posteriormente realizada a fermentação das amostras das pré-tratadas e com um padrão (efluente sem adição de enzima e fontes extras de carbono). A avaliação da ação da enzima se deu pela análise da viabilidade celular da S. boulardii. Através da utilização da alfa-amilase verificou-se um melhor crescimento da levedura em comparação ao padrão, além disso, quanto maior concentração e o tempo de ação, melhor o crescimento da levedura. Dessa forma, sugere-se que há resíduos de amido passíveis de ação da enzima e posterior assimilação pela levedura.

Artigo Completo:

Palavras-chave: biorremediação,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeqic2017-465

Referências bibliográficas
  • [1] ABIAP, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE ARROZ PARBOILIZADO. Histórico da Associação. Disponível em: . Acessado em 22 de abril de 2017
  • [2] BRASIL, MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, SECRETARIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Normas de identidade, qualidade, embalagem e apresentação do arroz. Brasília, v.8, n.20, p.1-25,1988.
  • [3] Chigusa K., Hasegawa T., Yamamoto N., Watanabe Y., Treatment of wastewater from oil manufacturing plant by yeasts, Water Sci. Technol. 34 (1996) 51–58.
  • [4] Gaboardi, G, “Produção do probiótico Saccharomyces boulardii em efluente de arroz parboilizado e avaliação da biorremediação”. 63f. – Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia. Universidade Federal de Pelotas. Centro de Desenvolvimento Tecnológico. Pelotas, 2015.
  • [5] Santos D. G., Gil-Turnes, C., Conceição, F.R.. Bioremediation of parboiled rice effluent supplemented with biodiesel-derived glycerol using Pichia pastoris X-33. TheScientificWorldJournal. 2012 doi:10.1100/2012/492925
  • [6] Moriya K., Iefuji H., Shimoi H., Sato S., Tadenuma M., Treatment of distillery wastewater discharged from beet molassesspirits production using yeast, J. Ferment. Bioeng. 69 (1990) 138–140.
  • [7] Motta, V. T. Bioquímica Clínica para Laboratório: Princípios e Interpretações. 4. ed. São Paulo: Robe Editorial, 2003
  • [8] Ogawa N., DeRisi J. e Brown P. O. New Components of a System for Phosphate Accumulation and Polyphosphate Metabolism in Saccharomyces cerevisiae Revealed by Genomic Expression Analysis. Molecular Biology of the Cell. Vol. 11, 4309–4321, Dezembro 2000
  • [9] Queiroz, M., Koetz, P.R., Caracterização do efluente da parboilização do arroz. Revista Brasileira de Agrociência. 3, 139-143, 1997.
  • [10] Yang Q., Angly F. E., Wanga Z., Zhanga H. Wastewater treatment systems harbor specific and diverse yeast communities. Biochemical Engineering Journal 58– 59 (2011) 168– 176
Como citar:

FERREIRA, G. L.; SANTOS, D. G.; MANZOLLI, F.; MENDES, G. R. L.; FILHO, P. J. S.; "Avaliação da ação da enzima alfa-amilase em efluente de arroz parboilizado", p. 2914-2918 . In: Anais do XII Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica [=Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n.4]. ISSN Impresso: 2446-8711. São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeqic2017-465

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações