Dezembro 2020 vol. 7 num. 3 - VIII Simpósio de Engenharia de Produção

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Arrecadação de ICMS do Estado do Rio de Janeiro: A elasticidade dos setores econômicos e seu uso na melhora da situação fiscal e financeira do Estado

Arrecadação de ICMS do Estado do Rio de Janeiro: A elasticidade dos setores econômicos e seu uso na melhora da situação fiscal e financeira do Estado

Ribeiro, Alessandra Oliveira; Bezerra, Francine Santana Lacerda; Fernandes, Marcelo Jusan; Almeida, Sandra Barbosa Silva de; Santos, Daiane Rodrigues dos;

Artigo completo:

O trabalho busca analisar a evolução da arrecadação do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Estado do Rio de Janeiro no período de 1997 a 2019. Nesta análise, discutem-se os fatores determinantes da arrecadação de ICMS, com intuito de contribuir com um incremento da arrecadação desse imposto e auxiliar na melhora da situação fiscal e financeira do Estado. A partir de modelo econométrico, são estimadas as elasticidades dos setores primário, secundário, terciário, energia, petróleo e outros em relação à arrecadação total de ICMS do Estado. A sensibilidade da receita tributária é de significativa relevância para a condução da política fiscal do Estado, sendo a elasticidade geralmente utilizada como medida de sensibilidade. A análise buscou identificar o setor da economia fluminense que deveria ter seus investimentos priorizados a fim de otimizar a arrecadação total dos impostos no estado. Os resultados indicam que todos os setores, com exceção do setor primário, apresentaram elasticidades positivas, o que significa dizer que o aumento da arrecadação de ICMS do setor tende a elevar a arrecadação total. Porém, a arrecadação do setor terciário apresentou elasticidade superior aos demais setores ao longo do período em análise, o que reflete a relevância desse setor na economia regional e serve como balizador para que o governo do estado do Rio de Janeiro priorize o setor terciário de modo a otimizar os investimentos e maximizar a arrecadação total de ICMS do estado

Artigo completo:

O trabalho busca analisar a evolução da arrecadação do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Estado do Rio de Janeiro no período de 1997 a 2019. Nesta análise, discutem-se os fatores determinantes da arrecadação de ICMS, com intuito de contribuir com um incremento da arrecadação desse imposto e auxiliar na melhora da situação fiscal e financeira do Estado. A partir de modelo econométrico, são estimadas as elasticidades dos setores primário, secundário, terciário, energia, petróleo e outros em relação à arrecadação total de ICMS do Estado. A sensibilidade da receita tributária é de significativa relevância para a condução da política fiscal do Estado, sendo a elasticidade geralmente utilizada como medida de sensibilidade. A análise buscou identificar o setor da economia fluminense que deveria ter seus investimentos priorizados a fim de otimizar a arrecadação total dos impostos no estado. Os resultados indicam que todos os setores, com exceção do setor primário, apresentaram elasticidades positivas, o que significa dizer que o aumento da arrecadação de ICMS do setor tende a elevar a arrecadação total. Porém, a arrecadação do setor terciário apresentou elasticidade superior aos demais setores ao longo do período em análise, o que reflete a relevância desse setor na economia regional e serve como balizador para que o governo do estado do Rio de Janeiro priorize o setor terciário de modo a otimizar os investimentos e maximizar a arrecadação total de ICMS do estado

Palavras-chave: Elasticidade; Elasticidade da Receita Tributária; ICMS.,

Palavras-chave: Elasticidade; Elasticidade da Receita Tributária; ICMS.,

DOI: 10.5151/viisimep-315809

Referências bibliográficas
  • [1] AMARAL, Rafael Gãneme. Tributação ao álcool combustível no Brasil. Rio de Janeiro:
  • [2] PUC, 2004. P. 05 – 4 Dissertação de Graduação, Pontifica Universidade Católica do Rio de
  • [3] Janeiro, Departamento de Economia.
  • [4] Banco Central do Brasil (BACEN). Base de arrecadação de ICMS. Disponível em:
  • [5]
  • [6] alizarSeries> Acesso em: 13 out 2019.
  • [7] BAYE, Michael. R. Economia de Empresas e Estratégias de Negócios. Porto Alegre: Mc
  • [8] Graw Hill, 2010. P. 74 – 109.
  • [9] BENEGAS, Mauricio e ALVES, Lúcio Flavio. Uma análise sobre efeito final do ICMS e o
  • [10] IRPF na distribuição de renda do Estado do Ceará. Planejamento de Políticas Públicas.
  • [11] Ipea, Ceará, v. 43, p. 61 – 89, jul/dez.2014.
  • [12] Federação de Indústrias do Estado (FIRJAN). Pesquisas e Estudos Socioeconômicos.
  • [13] Disponível em: < www.firjan.com.br/publicacoes> Acesso em: 13 out 2019.
  • [14] GOMES, Jesus de Lisboa e BARBIERI, José Carlos Gerenciamento de recursos híbridos
  • [15] no Brasil e no Estado de São Paulo: um novo modelo de política pública. Fundação
  • [16] Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, v.II, nº 3, p. 1 – 21, dezembro 2004.
  • [17] GUJARATI, Damonar. N e POTER, Dawn. C. Econometria básica. Porto Alegre: Mc Graw
  • [18] Hill, 2011. P. 62 – 69.
  • [19] KON, Anita. Economia de serviços: teoria e evolução no Brasil: inclui uma análise sobre
  • [20] o impacto do setor de serviços no desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Elsevier,
  • [21] 2004. P. 1 - 260.
  • [22] LUKIC, Melina Souza Rocha. Tributação no Brasil: estudos, ideias e propostas: ICMS,
  • [23] seguridade social, carga tributária, impactos econômicos. Brasília: Ipea, 2017. P. 31 – 64.
  • [24] MARQUES JUNIOR, Liderau dos Santos e OLIVEIRA, Cristiano Aguiar. As elasticidades
  • [25] de curto e longo prazo do ICMS no RS. Porto Alegre: Fundação de Economia e Estatística,
  • [26] 2014. P. 4 -14.
  • [27] MINISTÉRIO DA ECONOMIA, 2019. Disponível em:
  • [28] < http://www.in.gov.br/web/dou/-/resolucao-n-16-de-1-de-abril-de-2019-173019931> Acesso
  • [29] em: 22 out 2019.
  • [30] PENA, Rodolfo F. Alves. Setor Primário da Economia. Disponível em:
  • [31] Acesso em
  • [32] 22 out 2019.
  • [33] PEREIRA, Luiz Carlos Bresser Pereira. O Crescimento Perverso dos Serviços, Resultado
  • [34] da Estagnação Industrial. Jornal da Tarde, 16 de junho de 1989. Disponível em:
  • [35]
  • [36] A7os.pdf> Acesso em: 31/10/2019.
  • [37] PEREIRA, Marcio Zanelli. Interação do setor de serviços com os demais setores da
  • [38] economia: uma análise de insumo produto (2000-2005). Juiz de Fora: Universidade Federal
  • [39] de Juiz de Fora, 2012. P. 13 – 96. Dissertação de Mestrado em Economia Aplicada.
  • [40] PEREIRA, Mirian Tomiato; LOPES, Janete Leige e PONTILI, Rosangela Maria. Renda,
  • [41] escolaridade e gênero dos trabalhadores formais inseridos no setor de serviços de
  • [42] Campo Mourão. Paraná: II Seminário dos Cursos de Ciências Sociais Aplicadas da
  • [43] Fecilcam, 2011.
  • [44] POLITI, Ricardo Batista e MATTOS Enilnson Henrique Carvalho de. Uma nota sobre
  • [45] estimativas de carga fiscal e incidência de ICMS usando dados em painel. Fundação
  • [46] Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, p. 361 -374, Jul/Set/2012.
  • [47] ROSSETTI, Jose Paschoal. Contabilidade Social. São Paulo: Atlas, 1990.
  • [48] SECRETARIA DE FAZENDA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (Siafe), 2019.
  • [49] Disponível em:
  • [50]
  • [51] 8875&_adf.ctrl-state=ru3kbvue3_63> Acesso em: 30/10/2019.
  • [52] SOARES, Maurélio, GOMES, Ely do Carmo Oliveira e TOLEDO FILHO, Jorge Ribeiro. A
  • [53] repartição tributária dos recursos do ICMS nos municípios da Região Metropolitana de
  • [54] Curitba. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, p. 459 – 481, Mar/Abr/2011.
  • [55] SOBRAL, Bruno Leonardo Barth. A Crise no Estado do Rio de Janeiro Entendida Não
  • [56] Apenas Como Uma Questão Financeira. Geo UERJ. Rio de Janeiro, p. 34 – 63, 2017.
  • [57] SOUZA, Saul de Azevedo. Comparação dos Estimadores Robustos e de Mínimos
  • [58] Quadrados Ordinários. João Pessoa: UFPB, 2015. P. 1 – 43. 2015. Dissertação de
  • [59] Graduação, Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Estatística.
  • [60] VARSANO, Ricardo. A guerra fiscal do ICMS: quem ganha e quem perde. Ipea. Rio de
  • [61] Janeiro, nº 15, p. 3 – 19, 1997.
  • [62] ZUCCOLOTTO, Robson; RIBEIRO, Clarice Pereira de Paiva. e ABRANTES, Luiz Antônio.
  • [63] O comportamento das finanças públicas municipais nas capitais dos estados brasileiros
  • [64] de custos. Enfoque Reflexão Contábil. Vitória, 28, n. 1, p. 54-69, 2009.
Como citar:

Ribeiro, Alessandra Oliveira; Bezerra, Francine Santana Lacerda; Fernandes, Marcelo Jusan; Almeida, Sandra Barbosa Silva de; Santos, Daiane Rodrigues dos; "Arrecadação de ICMS do Estado do Rio de Janeiro: A elasticidade dos setores econômicos e seu uso na melhora da situação fiscal e financeira do Estado", p. 2317-2332 . In: Anais do VIII Simpósio de Engenharia de Produção . São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/viisimep-315809

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações