Artigo - Open Access.

Idioma principal

ANÁLISE DO DESEMPENHO DE UM MOTOR FLEX-FUEL PARA DIFERENTES RELAÇÕES DE COMPRESSÃO

Maggio Neto, Angelo; Maggio, André Vinícius de O.; Laganá, Armando Antônio Maria; Silva, Marcos Henrique C.; Naufal, Marco Isola; Fróes, Marco Aurélio;

Artigo:

Motores com relação de compressão variável estão perto da realidade dos veículos comerciais. Com o lançamento da tecnologia da Infinity, os motores monocombustíveis poderão utilizar as vantagens de alterar a taxa de compressão de acordo com a carga solicitada, otimizando o consumo e o desempenho. No caso dos motores flex-fuel, pode-se utilizar esta tecnologia para atuar no regime ideal de cada combustível dado que a gasolina (E22) pode trabalhar dentro de um intervalo de 8,5:1 até 13:1 de valores de taxa de compressão, ao passo que o etanol se concentra na faixa de 10:1 até 14:1. Para o bom funcionamento dos motores flex-fuel, adota-se como característica geométrica do motor uma relação de compressão intermediária entre o etanol e a gasolina, fazendo com que o motor não trabalhe no regime ótimo de nenhum dos combustíveis. Como exemplo, o etanol possui propriedades não exploradas, como a maior resistência a detonação. Nesse contexto, o principal objetivo deste trabalho é verificar o impacto no rendimento térmico e desempenho nos motores com tecnologia flex-fuel, em quatro taxas de compressão, em três diferentes composições: gasolina e27, etanol hidratado e uma composição intermediária.

Artigo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/simea2018-PAP73

Referências bibliográficas
  • [1] Kendall, J. (03 de Outubro de 2016). Nissan unveils 2018 production variable-compression-ratio ICE. Fonte: SAE International: https://www.sae.org/news/2016/10/nissan-unveils-2018-production-variable-compression-ratio-ice [2] Heywood, J. B. (1988). Internal Combustion Engines Fundamentals. USA: McGraw-Hill. [3] Nilsson, Y. (2007). Modelling for Fuel Optimal Control of a Variable Compression Engine. Linkoping - Suécia: Linkoping University. [4] Brunetti, F. (2012). Motores de Combustão Interna (1ª Edição ed., Vol. Volume 1). São Paulo: Blucher. [5] Guzzella, L., & Onder, C. H. (2010). Introduction to Modeling and Control of Internal Combustion Engine System. Zurich - Suiça: Springer. [6] Silva, M. H., & Laganá, A. A. (setembro de 2017). Modelagem de Torque para Motores com Tecnologia Flex. XXV Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva . São Paulo, SP. [7] Silva, M. H. (2018). Modelagem de Motores a Combustão Interna com Tecnologia Flex. Dissertação de Mestrado, São Paulo: USP.
Como citar:

Maggio Neto, Angelo; Maggio, André Vinícius de O.; Laganá, Armando Antônio Maria; Silva, Marcos Henrique C.; Naufal, Marco Isola; Fróes, Marco Aurélio; "ANÁLISE DO DESEMPENHO DE UM MOTOR FLEX-FUEL PARA DIFERENTES RELAÇÕES DE COMPRESSÃO", p. 541-556 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/simea2018-PAP73

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações