Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

ANÁLISE DE PRÁTICAS HIBRIDAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UMA EMPRESA DE SOFTWARE

Bianchi, Michael Jordan; Amaral, Daniel Capaldo;

Artigo Completo:

As organizações estão se esforçando para desenvolver produtos de forma mais rápida, por meio de processos mais flexíveis. Um dos desafios atuais é a necessidade de ajustar as práticas de gerenciamento para diferentes tipos de projeto e segmentos de mercado. Uma das soluções tem sido a combinação de práticas de gestão de projetos provenientes da teoria tradicional e ágil, e esse fenômeno vem sendo denominado de modelos híbridos de gerenciamento. Este trabalho analisa as práticas de gestão de projetos em uso em uma empresa de softwares que desenvolve projetos utilizando ambas as abordagens (tradicional e ágil) e compara-as com os modelos híbridos presentes na literatura. O método escolhido foi o estudo de caso, onde foram entrevistadas 4 equipes de desenvolvimento responsáveis por diferentes tipos de projetos dentro da organização. A pesquisa identificou similaridades e diferenças em relação aos modelos da literatura e aponta um potencial problema em relação aos modelos observados. É indicado que neste tipo de empresa a adequação das práticas deva ser realizada para cada projeto, de maneira específica, ao invés da existência de um modelo de gestão geral para utilizar em quaisquer projetos da empresa. Este resultado demonstra que a estratégia de se criar um modelo híbrido único e geral pode não ser a melhor alternativa neste tipo de organização.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Gerenciamento de projetos, Gerenciamento ágil de projetos, Gestão híbrida de projetos, Modelos híbridos de gestão,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/cbgdp2017-051

Referências bibliográficas
  • [1] AHMAD, G.; SOOMRO, T.; BROHI, M. XSR: Novel Hybrid Software Development Model (Integrating XP, Scrum & RUP). International Journal of Soft Computing and Engineering, n. 3, p. 126–130, 2014.
  • [2] AMARAL, D. C. et al. Gerenciamento Ágil de Projetos: Aplicação em Produtos Inovadores. Saraiva ed.São Paulo: Saraiva, 2011.
  • [3] AMBLER, S. W. Going Beyond Scrum: Disciplined Agile Delivery. Disciplined Agile Consortium, White Paper Series, n. October, 201
  • [4] BARLOW, J. B. et al. Overview and Guidance on Agile Development in Large Organizations. Communications of the Association for Information Systems, v. 29, n. July 2011, p. 25–44, 2011.
  • [5] BATRA, D. et al. Balancing agile and structured development approaches to successfully manage large distributed software projects: A case study from the cruise line industry. Communications of the Association for Information Systems, v. 27, n. 1, p. 379–394, 2010.
  • [6] BINDER, J.; AILLAUD, L. I.; SCHILLI, L. The Project Management Cocktail Model: An Approach for Balancing Agile and ISO 21500. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 119, p. 182–191, 2014.
  • [7] BOEHM, B. Get ready for agile methods, with care. Computer, v. 35, n. 1, p. 64–69, 2002.
  • [8] BOEHM, B.; TURNER, R. Using risk to balance agile and plan-driven methods. Computer, v. 36, n. 6, p. 57–66, 2003a.
  • [9] CHO, J. A hybrid software development method for large-scale projects: rational unified process with scrum. Issues in Information Systems, v. 10, n. 2, p. 340–348, 200
  • [10] COBB, C. G. Making Sense of Agile Project Management: Balancing Control and Agility. New Jersey: John Wiley, 2012.
  • [11] CONFORTO, E. C. et al. Can Agile Project Management Be Adopted by Industries Other than Software Development? Project Management Journal, v. 45, n. 3, p. 21–34, 2014.
  • [12] CONFORTO, E. C.; AMARAL, D. C. Agile project management and stage-gate model—A hybrid framework for technology-based companies. Journal of Engineering and Technology Management, v. 40, p. 1–14, 2016.
  • [13] CONFORTO, E.C.; SILVA, F.B.; AMARAL, D.; REBENTISCH, E. Modelos Híbridos unindo Complexidade, Agilidade e Inovação, Revista Mundo PM, v.70, n.2, 2015.
  • [14] CONFORTO, E. C.; REBENTISCH, E.; AMARAL, D. C. The Building Blocks of Agility as a Team ’ s Competence. Project Management Agility Global Survey, 20
  • [15] COOPER, R. G. What’s Next?: After Stage-Gate. Research-Technology Management, v. 57, n. 1, p. 20–31, 2014.
  • [16] COOPER, R. G. Agile-Stage-Gate Hybrids. Research Technology Management, v. 59, n. 1, p. 21–29, 20
  • [17] COOPER, R. G.; SOMMER, A. F. The Agile–Stage-Gate Hybrid Model: A Promising New Approach and a New Research Opportunity. Journal of Product Innovation Management, v. 00, n. 00, p. n/a–n/a, 2016.
  • [18] COOPER, R. G. Idea-to-Launch Gating Systems : Better , Faster , and More Agile Idea-to-Launch Gating Systems. Research-Technology Management, v. 60, n. 1, p. 48–52, 2017.
  • [19] EDER, S. Práticas de gerenciamento de projetos de escopo e tempo nas perspectivas das abordagens ágil e tradicional. 2012. 190 p. Dissertação (Mestrado) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012.
  • [20] EDER, S. et al. Diferenciando as abordagens tradicional e ágil de gerenciamento de projetos. Production Journal, v. 25, n. 3, p. 482–497, 2015.
  • [21] GALAL-EDEEN, G.H.; RIAD, A.M.; SEYAM, M.S. Agility versus Discipline: is reconciliation possible? International Conference on Computer Engineering & Systems (ICCES), Cairo, pg.331-337, November 2007.
  • [22] KTATA, O.; LÉVESQUE, G. Agile development: Issues and avenues requiring a substantial enhancement of the business perspective in large projects. ACM, p. 59–66, 2009.
  • [23] MARCONI, M.; LAKATOS, E. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo, Editora Atlas, 2003.
  • [24] MIGUEL, Paulo Augusto Cauchick et al. Estudo de caso na engenharia de produção: estruturação e recomendações para sua condução. Revista Produção, v. 17, n. 1, p. 216-229, 2007.
  • [25] MIGUEL, Paulo A. C. et al. Metodologia de Pesquisa em Engenharia de Produção e Gestão de Operações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.
  • [26] NAWROCKI, J. et al. Balancing agility and discipline with XPrince. Lecture Notes in Computer Science, p. 266–277, 2006.
  • [27] PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE (PMI). A guide to the project management body of knowledge (PMBOK® guide) - 5th edition. Newtown Square, PA: Author, 2013.
  • [28] RAHIMIAN, V.; RAMSIN, R. Designing an agile methodology for mobile software development: a hybrid method engineering approach. Research Challenges in Information Science, 2008.
  • [29] SEYAM, M. S.; GALAL-EDEEN, G. H. Traditional versus Agile : The Tragile Framework for Information Systems Development. International Journal of Software Engineering (IJSE), v. 4, n. 1, p. 63–93, 2011.
  • [30] SILVA, F. B.; AMARAL, D. C. Hibridismo na gestão de projetos: avaliando propostas de combinação das abordagens ágil e tradicional. In: XXXIV Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2014, Curitiba. Engenharia de Produção, Infraestrutura e Desenvolvimento Sustentável: a Agenda Brasil + 10, 2014. v. 1. p. 1-8.
  • [31] SILVA, F. B. Proposta e avaliação de um procedimento de planejamento de tempo combinado ágil e tradicional. Dissertação (Mestrado) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, 2015.
  • [32] SOMMER, A. F. et al. Improved Product Development Performance through Agile/Stage-Gate Hybrids. Research Technology Management, v. 58, n. 1, p. 34–44, 2015.
  • [33] YIN, R. K. Estudo De Caso - Planejamento E Metodos. 2. ed. [s.l.] Bookman, 2001.
  • [34] ZAKI, K. M.; MOAWAD, R. A Hybrid Disciplined Agile Software Process Model. The 7th International Conference on Informatics and Systems (INFOS), 2010.
Como citar:

Bianchi, Michael Jordan; Amaral, Daniel Capaldo; "ANÁLISE DE PRÁTICAS HIBRIDAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UMA EMPRESA DE SOFTWARE", p. 503-512 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cbgdp2017-051

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações