Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Análise das políticas industriais brasileiras no período de 2003 a 2015 à luz da teoria neo-schumpeteriana: um balanço propositivo

Analysis of Brazilian industrial policies from 2003 to 2015 in the light of neo-Schumpeterian theory: a propositional balance

Colombo, Arthur Osvaldo; Szapiro, Marina Honorio de Souza; Cassiolato, José Eduardo;

Artigo:

Este artigo tem como intuito demonstrar por meio da análise de uma bibliografia neoschumpeteriana e da observação de alguns dados da indústria de transformação brasileira que boa parte dos resultados pretendidos das políticas industriais executadas entre 2003 e 2015 não chegaram a ser alcançados de maneira satisfatória, principalmente com relação às metas de adensamento para a indústria de transformação no Brasil. Para tanto, foram utilizadas informações como de coeficientes de insumos importados, coeficiente de penetração de importações e exportações líquidas. Concluiu-se que os resultados das políticas industriais no período supracitado foram modestos por dois principais fatores: i) as políticas industriais explícitas e implícitas, especialmente a macroeconômica, apresentavam direções distintas; e ii) a grande maioria das políticas industriais não indicava caráter sistêmico baseado na teoria neoschumpeteriana de sistemas de inovação.

Artigo:

This article aims to demonstrate, through the analysis of a neo-Schumpeterian bibliography and the observation of some data from the Brazilian manufacturing industry, that most of the points and objectives that industrial policies implemented between 2003 and 2015 were not satisfactorily achieved, mainly in relation to the densification goals for the transformation industry in Brazil. For this purpose, information such as imported input coefficients, import penetration coefficient and net exports were used. It was concluded that the results of industrial policies in the aforementioned period were modest due to two main factors: i) explicit and implicit industrial policies, especially the macroeconomic one, presented different directions; and ii) the vast majority of industrial policies did not indicate a systemic character based on the neo-Schumpeterian theory of innovation systems.

Palavras-chave: política industrial; economia brasileira; indústria de transformação; políticas implícitas,

Palavras-chave: industrial policy; Brazilian economy; manufactory industry; implicit policies,

DOI: 10.5151/vi-enei-850

Referências bibliográficas
  • [1] ALDRIGHI, Dante; COLISTETE, Renato P. Industrial growth and structural change: Brazil in a long-run perspective. Working paper n. 2013-10, Department of Economics, FEA-USP, 2013.
  • [2] ARAGÃO, Roberto Barbosa de Andrade. Produtividade e Complexidade Econômica: Uma análise do caso brasileiro. Dissertação (Mestrado em Administração Pública) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2016.
  • [3] BOTELHO, Marisa dos Reis Azevedo; FERREIRA, Juliene Barbosa; SOUSA, Graciele de Fátima; CARRIJO, Michelle de Castro; CERICATTO DA SILVA, Ariana. Heterogeneidade Estrutural: Uma análise segundo porte, setor e idade das empresas industriais brasileiras (2007-2016). Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, p. 1-35, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/198055272524.
  • [4] CASTILLO, Mario; MARTINS, Antonio. (Des)industrialización y cambio estructural en América Latina. in: CIMOLI, Mario; CASTILLO, Mario; PORCILE, Gabriel; STUMPO, Giovanni (Ed.) Políticas industriales y tecnológicas en América Latina. Santiago, CEPAL, 2017.
  • [5] CAVALHEIRO, Nelson. Uma decomposição do aumento da produtividade do trabalho no Brasil durante os anos 90. Revista Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 81-109, 2003.
  • [6] CORREA, Felipe; STUMPO, Giovanni. Brechas de productividad y cambio estructural. in: CIMOLI, Mario; CASTILLO, Mario; PORCILE, Gabriel; STUMPO, Giovanni (Ed.) Políticas industriales y tecnológicas en América Latina. Santiago, CEPAL, 2017.
  • [7] DE VRIES, Gaaitzen; TIMMER, Marcel; DE VRIES, Klaas. Structural Transformation in Africa: Static Gains, Dynamic Losses. The Journal of Development Studies, v. 51, n. 6, p. 674-688, 2015. DOI: https://doi.org/10.1080/00220388.2014.997222.
  • [8] FABRICANT, Solomon. Employment in manufacturing, 1899–1939. New York: NBER, 1942.
  • [9] FAGERBERG, Jan. Technological progress, structural change and productivity growth: a comparative study. Structural change and economics dynamics. Oslo, p. 393-411. 2000. DOI: https://doi.org/10.1016/S0954-349X(00)00025-4.
  • [10] FLIGENSPAN, Flavio Benevett. A indústria brasileira no período 2007-2014: perdas e ganhos num ambiente de baixo crescimento. Revista Economia e Sociedade, v. 28, n. 2 (66), p. 421-448, Campinas, 2019. DOI: https://doi.org/1590/1982-3533.2019v28n2art06.
  • [11] HOLLAND, Márcio; PORCILE, Gabriel. Brecha tecnológica y crecimiento en América Latina. in: Cimoli, Mario (Ed.) Heterogeneidad Estructural, Asimetrías Tecnológicas y Crecimiento en América Latina. BID-CEPAL, Santiago, 2005.
  • [12] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Pesquisa Industrial Anual – Empresa – PIA- Empresa. 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/industria/9042-pesquisa-industrial-anual.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 29 jan. 2019.
  • [13] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Tabulação Especial da Base de Dados da Pesquisa Industrial Anual – Empresa (PIA-Empresa) dos anos de 1997 a 2018. [solicitação por meio de correio eletrônico ao IBGE]. Arquivos recebidos por [email protected].com em 22 de out. de 2020.
  • [14] JACINTO, Paulo de Andrade; RIBEIRO, Eduardo Pontual. Crescimento da produtividade no setor de serviços e da indústria no Brasil: Dinâmica e heterogeneidade. Revista Economia Aplicada, v. 19, n. 3, p. 401-427, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-8050/ea119450.
  • [15] KUPFER, David; ROCHA, Frederico. Productividad y heterogeneidad estructural en la industria brasileña. in: CIMOLI, Mario (Ed.). Heterogeneidad estructural, asimetrías tecnológicas y crecimiento en América Latina. Santiago: CEPAL, 2005.
  • [16] MCMILLAN, Margaret; RODRIK, Dani. Globalization, structural change and productivity growth. Working paper 17143, National Bureau of Economic Research. Cambridge, MA, 2011. DOI: https://doi.org/10.1016/j.worlddev.2013.10.012.
  • [17] NOGUEIRA, Mauro Oddo; INFANTE, Ricardo; MUSSI, Carlos. Produtividade do Trabalho e heterogeneidade Estrutural no Brasil Contemporâneo. in: DE NEGRI, Fernanda; CAVALCANTE, Luiz Ricardo (org.) Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes. Brasília: ABDI: IPEA, v. 1 - Desempenho, 2014.
  • [18] PENEDER, Michael. Industrial structure and aggregate growth. Structural Change and Economic Dynamics, v. 14, p. 427-448. 2003. DOI: https://doi.org/10.1016/S0954-349X(02)00052-8.
  • [19] ROCHA, Carolina Silvestri Cândido; TATSCH, Ana Lúcia; CÁRIO, Silvio Antônio Ferraz. Mudança estrutural e seu impacto na produtividade: uma análise da ascensão do setor de serviços na economia brasileira. Revista Economia Ensaios, v. 33, n. esp., p. 26-45, 20 DOI: https://doi.org/10.14393/REE-v33n0a2019-50413.
  • [20] ROCHA, Frederico. Produtividade do trabalho e mudança estrutural nas indústrias brasileiras extrativa e de transformação, 1970-2001. Revista de Economia Política, v. 27, n. 2, p. 221-241, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-31572007000200005.
  • [21] SUNKEL, Osvaldo; INFANTE, Ricardo (Ed.). Hacia un desarrollo inclusivo: El caso de Chile. Santiago: CEPAL; Fundación Chile 21; OIT, 2009. DOI: https://doi.org/10.18356/a30a6295-es.
  • [22] SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE (Org.). Anuário do trabalho na micro e pequena empresa: 2010- 2011. 5 ed. Brasília: SEBRAE, 2012.
  • [23] SQUEFF, Gabriel Coelho; NOGUEIRA, Mauro Oddo. A heterogeneidade estrutural no Brasil de 1950 a 2009. in: INFANTE, Ricardo; MUSSI, Carlos; NOGUEIRA, Mauro Oddo. (Ed.). Por um desenvolvimento inclusivo: o caso do Brasil. Santiago: Cepal; Brasília: OIT; Ipea, 2015. 341 p.
  • [24] TIMMER, Marcel P.; SZIRMAI, Adam. Productivity growth in Asian manufacturing: the structural bonus hypothesis examined. Structural Change and Economic Dynamics, v. 11, p. 371-392, 2000. DOI: https://doi.org/10.1016/S0954-349X(00)00023-0.
  • [25] TOREZANI, Tomás Amaral. Evolução da produtividade brasileira: Mudança estrutural e dinâmica tecnológica em uma abordagem multissetorial. 2018. Tese (Doutorado em Economia) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.
  • [26] TOREZANI, Tomás Amaral. Produtividade da indústria brasileira: decomposição do crescimento e padrões de concentração em uma abordagem desagregada, 1996-2016. Revista Brasileira de Inovação, v. 19, p. 1-37, 2020. DOI: https://doi.org/10.5151/iv-enei-2019-1.3-062.
  • [27] VASCONCELOS, Lucas Ferraz; NOGUEIRA, Mauro Oddo. Heterogeneidade estrutural no setor industrial. Boletim Radar - Tecnologia, Produção e Comércio Exterior, n. 14, Brasília: Ipea, 2011.
Como citar:

Colombo, Arthur Osvaldo; Szapiro, Marina Honorio de Souza; Cassiolato, José Eduardo; "Análise das políticas industriais brasileiras no período de 2003 a 2015 à luz da teoria neo-schumpeteriana: um balanço propositivo", p. 1021-1040 . In: Anais do VI Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI): “Indústria e pesquisa para Inovação: novos desafios ao desenvolvimento sustentável”. São Paulo: Blucher, 2022.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/vi-enei-850

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações