Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Animoji, Memoji e AR Emoji: como os novos emojis podem contribuir na comunicação em chats de redes sociais

Animoji, Memoji and AR Emoji: how the new emojis can contribute in the communication in chats of social networks

Costa, Cinthia Larissa da; Prata, Wilson;

Artigo completo:

O Animoji, Memoji e AR Emoji são os novos emojis que buscam inserir novos elementos na comunicação por meio de chats, principalmente de redes sociais, com foco em entretenimento. Possíveis de serem encontrados nos últimos lançamentos dos smartphones das empresas Apple e Samsung, o seu uso atinge principalmente jovens dos perfis de consumo da Geração Y (Millennials) e da Geração Z. O objetivo foi estudar a estrutura da comunicação analisado por teóricos para auxiliar na identificação dos contextos e relações dos usuários com os novos emojis. A partir do referencial teórico e técnicas de design de serviço, escolheu-se a jornada do usuário como uma das ferramentas aplicadas com usuários em São Paulo. Descobriu-se que estes novos elementos codificam uma mensagem por meio de imagem, movimento, personificação e expressão próxima da corporal. E os usuários os utilizam com pessoas muito próximas e de confiança, como familiares e amigos, sendo a interação mais completa quando ambos interlocutores possuem o dispositivo com o mesmo novo emoji. Dos achados consideramos alguns limites do uso social desses elementos paralinguísticos, tais como seu papel na manutenção da desigualdade econômica e simbólica na adoção de novas tecnologias, a construção coletiva e individual de padrões na comunicação digital e os pressupostos comunicacionais, por vezes baseados em premissas limitadas, que esse recurso acaba por reforçar. Por fim, indicamos alguns pontos a serem considerados para futuras pesquisas sobre emojis e comunicação em chats.

Artigo completo:

Animoji, Memoji and AR Emoji are the new emojis that seek to insert new elements in communication through chats, especially social networks, with follow in entertainment. Possible to be found in the latest releases of smartphones from Apple and Samsung companies, their use mainly targets young people of Generation Y (Millennials) and Generation Z consumption profiles. The objective was to study the communication structure analyzed by theorists to assist in identification of user contexts and relationships with new emojis. From the theoretical framework and service design techniques, the user journey was chosen as one of the tools applied with users in São Paulo. These new elements have been found to encode a message through image, movement, personification, and close bodily expression. And users use them with very close and trusted people, such as family and friends, being the most complete interaction when both parties have the device with the same new emoji. From the findings we consider some limitations of the social use of these paralinguistic elements, such as their role in maintaining economic and symbolic inequality in the adoption of new technologies, the collective and individual construction of standards in digital communication and communicational assumptions, sometimes based on limited assumptions, which this feature reinforces. Finally, here are some points to consider for future research on emoji and chat communication.

Palavras-chave: Comunicação em chat, Emoji, Redes sociais,

Palavras-chave: Chat communication, Emoji, Social Network,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-1.0089

Referências bibliográficas
  • [1] Antunes, I. M. (2003). Aula de português – encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial (Série Aula;1)
  • [2] Bourdieu, P. (2002). Esboço de uma Teoria da Prática. Celta.
  • [3] Cha, M.; Park, J; Barash, V.; Fink, C. (Acessado em outubro de 2018). Emoticon Style: Interpreting Differences in Emoticons Across Cultures. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/261995763_Emoticon_Style_Interpreting_Differences_in_Emoticons_Across_Cultures.
  • [4] Freire, R. (2014). Entenda a diferença entre smiley, emoticon e emoji. Disponível em: https://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2014/07/entenda-diferenca-entre-smiley-emoticon-e-emoji.html. Acesso em: julho de 2019.
  • [5] Goffman, E. (2004). Estigma - Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. LTC.
  • [6] Kindervater, D. (2018). Meet Scott Fahlman, the Guy Who Created the First Emoticon. Disponível em: https://theculturetrip.com/north-america/usa/pennsylvania/articles/meet-scott-fahlman-the-guy-who-created-the-first-emoticon/. Acesso em: julho de 2019.
  • [7] Mesquita, R. M. (1997). Comunicação não-verbal: relevância na atuação profissional. Rev. paul. Educ. Fís., São Paulo, 11(2):155-63, jul./dez.
  • [8] Rodrigues, D., Prada, M., Gaspar, R (2018). Lisbon Emoji and Emoticon Database (LEED): Norms for emoji and emoticons in seven evaluative dimensions. Behav Res.
  • [9] Sternbergh, A. (2014). Daily Intelligencer. Smile, You’re Speaking Emoji: The Rapid Evolution of a Wordless Tongue. Disponível em: https://getpocket.com/explore/item/smile-you-re-speaking-emoji-the-rapid-evolution-of-a-wordless-tongue. Acesso em: julho de 201
  • [10] Nielsen, Jacob. Why You Only Need to Test with 5 Users. Disponível em: https://www.nngroup.com/articles/why-you-only-need-to-test-with-5-users/ . Acesso em: julho de 2019.
Como citar:

Costa, Cinthia Larissa da; Prata, Wilson; "Animoji, Memoji e AR Emoji: como os novos emojis podem contribuir na comunicação em chats de redes sociais", p. 112-121 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-1.0089

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações