Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

ADORNOS E ORIXÁS: O DESIGN COMO MEDIADOR ENTRE OS SÍMBOLOS E PLASTICIDADE

Almeida, Anderson Diego da Silva; Santos, Jefferson Nunes dos; Cardoso, Arlindo da Silva ;

Artigo Completo:

Os trajes e os adornos dos orixás possuem significados intrínsecos além do senso comum, que com um olhar apurado sobre sua composição, será percebida uma vestimenta que traz afirmação multiétnica e possível de uma leitura técnica e simbólica do design. Segundo Raul Lody,“não se pode entender estudos de trajes em sociedades complexas que não apresentam a incidência de elementos plurais e de diferentes fontes culturais” (2001, p. 44). Este artigo, sob o escopo metodológico de um levantamento bibliográfico e imagético, tem o objetivo de discutir a plasticidade das roupas e dos adornos usados nos terreiros de candomblé, através da leitura do design com ênfase na confecção desses artefatos, sem perder o viés histórico da cultura afro-brasileira. Para um maior aprofundamento, utiliza-se de uma entrevista realizada com um artesão e adepto do candomblé da cidade de Maceió, para compreender sua situação de criador de adornos para orixás, contextualizando-o a partir das suas influências religiosas.

Artigo Completo:

Palavras-chave: adornos; plasticidade; orixás; símbolos; design.,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/despro-ped2016-0306

Referências bibliográficas
  • [1] ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual: uma psicologia da criação criadora. São Paulo: Cengage Learning, 201
  • [2] DONIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007. ELIADE, Mircea. Mito e Realidade. São Paulo: Editora Perspectiva S.A., 197
  • [3] GOMES, Roberto. Entrevista concedida pelo artesão/designer de indumentária Roberto Gomes – depoimento [dez. 2015]. Entrevistador: Arlindo da Silva Cardoso. Maceió: UFAL, 2015. 2 áudios digitais.
  • [4] IPHAN. Casa dos objetos mágicos. Salvador/Brasília: IPHAN/Programa Monumenta, 2007.
  • [5] PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. RISÉRIO, Antonio. Um mundo afrobrarroco. In: Mágica Bahia. Salvador/Barcelona: Fundação Casa de Jorge Amado/Bustamente, Coelba, 1997.
  • [6] SANTOS, Nágila Oliveira dos. Do calundu colonial aos primeiros terreiros de candomblé no Brasil: de culto doméstico à organização político-social-religiosa. Revista África e Africanidades. Ano I – n.1. Maio, 2008.
  • [7] SILVA, Vagner Gonçalves da. Arte religiosa afro-brasileira: as múltiplas estéticas da devoção brasileira. In: Revista Debates do NER. Ano 9, n. 13, jan/jun. Porto Alegre, 2008.
  • [8] SOUZA, Patrícia Ricardo de. Axós e Ilequês: rito, mito e a estética do candomblé.2007. 183 fl. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.
  • [9] SVENDSEN, Lars. Moda: uma filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.
Como citar:

Almeida, Anderson Diego da Silva; Santos, Jefferson Nunes dos; Cardoso, Arlindo da Silva ; "ADORNOS E ORIXÁS: O DESIGN COMO MEDIADOR ENTRE OS SÍMBOLOS E PLASTICIDADE", p. 3561-3572 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 9, n. 2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-ped2016-0306

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações